Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Cada brasileiro descarta, em média, 16 quilos de lixo plástico por ano, segundo estudo realizado pelo Blue Keepers no segundo semestre de 2022 para o Pacto Global da ONU. Somando os mais de 215 milhões de habitantes no país, temos cerca de 3,4 milhões de toneladas descartadas no meio ambiente a cada ano, grande parte de maneira irregular. De acordo com relatório divulgado em 2021 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o plástico reponde por 85% dos resíduos que chegam aos oceanos e até 2040 o volume deve triplicar, ficando entre 23 milhões e 37 milhões de toneladas.

O fundador da Artistas do Brasil, Carlos Nauff, explica que deixar de usar sacolinhas plásticas descartáveis é fundamental para prevenir este cenário e aponta que para cada vez que uma ecobag é usada, ao menos cinco sacolinhas deixam de ser consumidas. “Se utilizada uma vez por semana, cada bolsa retornável é responsável por tirar de circulação 250 sacolas plásticas por ano, o que traz um impacto ambiental significativo, especialmente se pensarmos que é um item que vai passar só 5 minutos na sua mão, e mais de 500 anos nos oceanos”, afirma.

Desde 2016, a CáPraLá, criadora da coleção Artistas do Brasil, já comercializou mais de 50 milhões de ecobags, o que a coloca como a marca de bolsas mais vendidas do País e, também, responsável por retirar de circulação mais de 12,5 bilhões de sacolas plásticas descartáveis — o que equivale a cerca de 125 mil toneladas de plástico. “A história da marca começou em 2016, mas a empresa CáPraLá, foi fundada em 2009 com o nome B4U Bags e o objetivo de cuidar do meio ambiente, reduzindo a quantidade de plásticos na natureza, que é um dos principais problemas ambientais do mundo”, conta Nauff.

Para 2023, a marca irá confeccionar mais 15 milhões de bolsas retornáveis. O que equivale a evitar a circulação de mais 3,75 bilhões de sacolas plásticas no Brasil, ou deixar de gerar 37,5 mil toneladas de lixo plástico. “Em médio prazo, nossa expectativa é eliminar a necessidade dos brasileiros por sacolas descartáveis”, completa.