Flávia Roberta Freitas (IBM)

Por Flávia Roberta Freitas, Head de Responsabilidade Social da IBM América Latina

A gestão responsável dos recursos hídricos e saneamento são fundamentais para reduzir a desigualdade e a pobreza, acelerar o crescimento econômico e responder às alterações climáticas. Por isso, se queremos melhorar a qualidade de vida das pessoas, devemos aproveitar todos os recursos, conhecimentos e tecnologias disponíveis para garantir um uso mais eficiente da água na América Latina.

Vamos nos aprofundar em três áreas de vital importância para nossa região, onde a aplicação da tecnologia pode apoiar as comunidades locais:

Agricultura sustentável

No território rural da América Latina e Caribe são produzidos alimentos para 800 milhões de pessoas, são cultivadas 14% das plantações do mundo e somos refúgio de grande parte da biodiversidade, água doce e florestas naturais[2]. Nesse quadro, torna-se imperativo transformar a agricultura da região para melhorar a produtividade, a rentabilidade, garantir o uso eficiente e ampliar as oportunidades de desenvolvimento econômico e social.

Nessa linha, a startup Agrolly criou um aplicativo que ajuda pequenos agricultores a melhorar o rendimento de suas lavouras com Inteligência Artificial e dados climáticos locais, para que possam tomar melhores decisões sobre suas lavouras. A IBM forneceu à Agrolly orientação técnica e recursos para avançar no projeto, desenvolver tecnologia open source e gerenciar sua aplicação na nuvem, que já está disponível no Brasil, Índia e Mongólia.

Além disso, a IBM está trabalhando com a Fundacion Plan21 para o Desenvolvimento Humano Sustentável em um projeto para ajudar pequenos agricultores da América Latina a gerenciar suas colheitas de forma mais sustentável, aumentar sua produtividade e renda, bem como conscientizar os consumidores a comprar de forma mais reponsável. Este projeto faz parte do recente anúncio do IBM Sustainability Accelerator, um programa global de impacto social pro-bono para apoiar comunidades vulneráveis ​​expostas à riscos ambientais.

Mudança climática

A América Latina e o Caribe devem experimentar efeitos intensos de ondas de calor, diminuição do rendimento das colheitas, incêndios florestais, esgotamento de recifes de corais e eventos extremos do nível do mar[3]. Além do claro impacto social que isso causaria, devemos também estar alertas ao econômico, como a interrupção do serviço de energia e a ruptura ou atraso na cadeia de suprimentos e operações de diversos setores, entre outros.

Para ajudar a prever esses impactos potenciais, o IBM Environmental Intelligence Suite utiliza inteligência artificial, dados climáticos, análise de risco climático e análise geoespacial avançada para apoiar as empresas da região no monitoramento, gerenciamento de esforços de mitigação e resposta mais oportuna, coordenada e eficiente. Ter um único ponto de controle e informações de várias fontes de dados permite que as organizações antecipem os riscos climáticos, melhorem a resiliência e acelerem o cumprimento de suas metas de sustentabilidade.

Qualidade da água subterrânea

Este ano, o Dia Mundial da Água concentra-se na importância das águas subterrâneas, que são uma parte fundamental do ciclo da vida. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 50 e 100 litros de água são usados ​​para cobrir as necessidades básicas diárias de uma pessoa.[4] Embora seja verdade que na última década se avançou no acesso à água potável e na melhoria das condições de saneamento – mas com diferenças entre os países da região -, ainda há um longo caminho a percorrer.

Se você ainda está hesitando, este cenário deve nos levar a uma ação efetiva e urgente, com uma abordagem coordenada entre os setores público e privado e organizações da sociedade civil. Um exemplo interessante é o da Saaf Water, uma plataforma de análise e qualidade da água desenvolvida para ajudar as pessoas que vivem nas áreas rurais da Índia. Criada pela equipe vencedora da quarta edição do Call for Code Global Challenge, esta solução oferecerá às comunidades dados e informações sobre a água potável local para tomar decisões seguras sobre purificação e consumo, por meio do monitoramento da qualidade da água subterrânea e alertando as autoridades e cidadãos em caso de qualquer inconveniente.

Há total concordância sobre o lugar fundamental que a água tem em nossas vidas. Devemos deslocar o eixo da discussão da análise do problema para as ações concretas que cada governo, empresa, organização e cidadão está em condições de realizar para proteger esse valioso recurso. A tecnologia é uma aliada, mas a chave é como aproveitamos o conhecimento e a experiência da humanidade para implementar mudanças reais, uma ação de cada vez.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.