Perspectiva do Inova Parque. Imagem ilustrativa. Crédito: Divulgação
Perspectiva do Inova Parque. Imagem ilustrativa. Crédito: Divulgação

O Inova Parque, novo projeto da Everest Empreendimentos, está alinhado com as tendências mundiais de ações sustentáveis e inclusivas, presentes no Relatório das Cidades Mundiais de 2022, da Organização das Nações Unidas. O documento analisa as práticas atuais e projeta novas perspectivas de desenvolvimento urbano para as cidades no futuro.

No conceito alinhado ao novo empreendimento para a cidade de Contagem, está o 15-minute city, projeto que tem como princípio básico organizar todas as necessidades básicas do dia a dia em uma distância próxima a pé ou de bicicleta. O intuito dessa iniciativa é focar na transformação, a fim de deixar os espaços mais inclusivos e sustentáveis.

O impacto do conceito vai de encontro a busca por melhor qualidade de vida, que busca a sustentabilidade e mobilidade urbana. No documento gerado pelas Nações Unidas, há a preocupação em diminuir o efeito das ações climáticas nas cidades e as futuras pandemias que possam a vir gerar novos impactos sociais.
 

Caminhando junto ao conceito mundial, o Inova Parque adota este modelo em seu projeto, compilando dentro do seu empreendimento locais como hospitais, shoppings, escolas, áreas verdes e praças abertas e inclusivas.
 

De acordo com Milenna Crespo, vice-presidente da DesignCorp e uma das desenvolvedoras do Inova Parque, esse modelo de cidade compacta foi primordial na inclusão do projeto, que pretende ser um marco na cidade de Contagem.
 

“Queremos que as pessoas se sintam conectadas e presenteadas. No Inova, os moradores vão encontrar tudo que precisam muito perto. Além disso, o projeto abraça a sustentabilidade, com grandes praças verdes e abertas ao público. Todo o projeto já nasce com a preocupação e consciência ambiental”, disse.
 

Este modelo se torna importante muito por conta do impacto gerado pela pandemia, que também assolou o planeta financeiramente. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, destaca o efeito gerado pela Covid-19 e como o mundo deve se preparar as nossas cidades para os próximos surtos.
 

“As cidades sofreram o impacto da pandemia. As áreas urbanas já abrigam 55% da população mundial, e esse número deve crescer para 68% até 2050. Nosso mundo em rápida urbanização deve responder efetivamente a essa pandemia e se preparar para futuros surtos de doenças infecciosas”, aponta.