Vice-presidente da República, ministro da Agricultura e Pecuária e governador de São Paulo participam do Congresso Brasileiro do Agronegócio

Evento acontece na próxima segunda-feira (7/8), com presença de outras lideranças políticas, como a ex-Ministra Tereza Cristina e o deputado federal Pedro Lupion

Nesta segunda-feira, 7 de agosto, a partir das 9h, o agronegócio brasileiro estará reunido para avaliar como a inovação e a governança são fundamentais para a competitividade do setor e para consolidar o protagonismo do país na produção sustentável de alimentos, fibras e bioenergia. O 22º Congresso Brasileiro do Agronegócio, uma realização da Associação Brasileira do Agronegócio – ABAG, em parceria com a B3 – a bolsa do Brasil, contará com as presenças do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (a partir das 8h – Sala de Imprensa), do governador de São Paulo, Tarcísio Gomes de Freitas, e do ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro.

O evento, em formato híbrido, terá as análises de renomados especialistas em diversas áreas, por meio de quatro painéis, que abordam o tema central Brasil Agro: Inovação e Governança, e deve receber 700 participantes no Sheraton WTC Hotel, em São Paulo (SP), e reunir, na transmissão online, mais de 6 mil profissionais do Brasil e do exterior. Para acompanhar o Congresso, em tempo real, por meio da Internet, é só se inscrever gratuitamente no site oficial.

A solenidade de abertura do evento, que será conduzida por Luiz Carlos Corrêa Carvalho (presidente da ABAG) e por Gilson Finkelsztain (CEO da B3), terá a participação da senadora Tereza Cristina, do deputado federal Pedro Lupion (presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA), de Jorge Viana (presidente da ApexBrasil, e de João Martins (presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA)

Após a cerimônia, a Nelson Ferreira, sócio sênior e líder global de Agricultura da Mckinsey & Company, revelará informações sobre os resultados da pesquisa: Inovação no Agronegócio.

Silvia Massruhá, presidente da Embrapa, será a moderadora do primeiro painel – Cadeias Produtivas e Inovação –, que avaliará a importância, para a competitividade do setor, das novas tecnologias e de processos disruptivos em diferentes cadeias produtivas. Os debatedores serão Davide Ceper (CEO da Varda), Luiz Lourenço (presidente do Conselho de Administração da Cocamar), Malu Nachreiner (CEO da Bayer Brasil) e Ricardo Scheffer de Figueiredo (CEO do Grupo Sonda Brasil).

Na sequência, Alexandre Bernardes (vice-presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores – ANFAVEA), Juca Andrade (vice-presidente de Produtos e Clientes da B3) e Pablo Ricoldy (diretor da BrasilSeg) participarão do painel Inovação e Mercados, moderado por Ingo Plöger (vice-presidente da ABAG), que abordará a inovação em mercados estratégicos para o agro nacional: máquinas, equipamentos e implementos agrícolas; biocombustíveis; seguro rural; investimentos; crédito e financiamentos.

A programação da tarde do 22º Congresso Brasileiro do Agronegócio terá início com homenagens. O Prêmio Ney Bittencourt de Araújo – Personalidade do Agronegócio 2023 será entregue ao jornalista José Luiz Tejon Megido, e o Prêmio Norman Borlaug – Sustentabilidade 2023, ao pesquisador da Embrapa Miguel Ivan Lacerda Moreira. As homenagens serão apresentadas por Roberto Rodrigues (ex-ministro da Agricultura e presidente da Academia Brasileira de Ciências Agronômicas – ABCA), e por Evandro Gussi (presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar – UNICA).

O painel Governança e Perspectivas contará com participações de Grazielle Parenti (head de Business & Sustainability no Brasil e LATAM da Syngenta), Paulo Sousa (presidente da Cargill) e Ricardo Nishimura (presidente do Conselho de Administração da Jacto), que analisarão a evolução da governança e seus efeitos para o desenvolvimento do agro e do país. A moderação será do jornalista William Waack.

Moderado também por Waack, o painel Geopolítica e Governança reunirá Francisco Turra (ex-ministro da Agricultura e presidente do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA), Paulo Hartung (presidente-executivo da Indústria Brasileira de Árvores – IBA) e o embaixador Roberto Azevedo (ex-diretor-geral da Organização Mundial do Comércio – OMC), para apresentar um panorama da geopolítica e seus efeitos para o agro brasileiro, e analisar como as recentes legislações aprovadas, especialmente o Green Deal (Pacto Verde Europeu), podem impactar o setor.

Artigo anteriorUniversalização do saneamento pode gerar mais de R$ 25 bi em benefícios na área da saúde
Próximo artigoProdução plástica pode ser reduzida em 80% até 2040, aponta relatório
Avatar
Para falar conosco basta enviar um e-mail para redacaomeioambienterio@gmail.com ou através do nosso whatsapp 021 989 39 9273.