Crédito: iStock

A sustentabilidade é um tema que está cada vez mais em alta dentro da sociedade atual. Muito disso é por conta de diversos estudos que falam que precisamos fazer algo para mudar nosso comportamento perante à natureza e nos tornarmos mais conscientes sobre nossos padrões de consumo.

Com essa demanda mais ecológica no mercado, as indústrias têm procurado cada vez mais formas de criar equipamentos que não precisem de combustíveis fósseis para funcionar. Um dos maiores símbolos desse movimento são os carros elétricos, ou híbridos, que usam tanto o motor elétrico quanto à combustão.

Apesar desse anseio por produtos mais ecológicos, esses veículos ainda são considerados como artigos de luxo pela população. Mesmo assim, segundo uma pesquisa realizada pela Veja, a venda de eletrificados cresceu 30% de janeiro a agosto no Brasil, em comparação com o mesmo período de 2021. Os modelos à combustão diminuíram 8,5%.

Entretanto, esses veículos seguem a lógica da indústria high tech. Inicialmente, eles são itens de luxo, porém, à medida que a estrutura é desenvolvida, a concorrência aumenta. Isso faz com que os preços abaixem e a novidade fique mais acessível para outras camadas da sociedade.

Isso pode ser refletido através de números. Segundo dados do Mercado Livre, um dos maiores e-commerces e serviços financeiros da América Latina, registrou-se um aumento de 77% na procura de carros elétricos e híbridos seminovos na plataforma em 2022, se comparado com o ano anterior à pesquisa.

Apesar de não termos números exatos ainda de um crescimento exponencial, a Webmotors, startup brasileira que vende veículos de maneira totalmente online, registrou um aumento de 31% entre o primeiro e o segundo trimestre.

Fora isso, o número de anúncios desativados, geralmente atrelados à venda do produto anunciado, cresceu 46% durante o período de estudo.

Obviamente que isso não é um número que representa todo o movimento, mas ele simboliza que, mesmo no mercado de seminovos online, a procura por estes modelos de veículos ainda se mantém alta, mesmo com a “normalização” da indústria.

Essa nova demanda acaba aquecendo, além do mercado de carros em SP, a indústria em todo o território nacional, já que esse tipo de desejo de consumo não para somente nos carros seminovos em SP. Ele também se estende para a indústria que oferece componentes para que esses veículos possam rodar.

Toda esta ação pode gerar resultados ainda mais rápidos na agenda de 2030, apresentada pela Organização das Nações Unidas (ONU), de aproximar a emissão de CO2 na atmosfera.

Segundo um relatório da Elev, empresa que é especializada em soluções para o ecossistema de carros elétricos em São Paulo, registrou-se um aumento de 11% na quantidade de carregadores vendidos.

Com tudo isso em vista, podemos ver que o mercado de veículos elétricos veio para ficar. Isso pode apresentar novas perspectivas de mercado e um maior investimento em produtos ecológicos. Esse movimento pode até mesmo trazer um estilo de vida mais saudável para todos – só nos resta esperar.