Demanda por seguro de automóvel sobe 18% em fevereiro de 2024

A demanda do mercado brasileiro de seguros de automóveis teve um crescimento de 18,68% em fevereiro, na comparação com mesmo mês de 2023. Já em relação ao mês anterior, janeiro, houve queda de -9,70%, devido à menor quantidade de dias e ao feriado do Carnaval. Considerando o ajuste do indicador pela quantidade de dias úteis de fevereiro, a demanda registrou alta de 5,34%. Os dados são do Índice Neurotech de Demanda por Seguros (INDS) que mede mensalmente o comportamento e o volume das consultas na plataforma da Neurotech, empresa pioneira em soluções de inteligência artificial aplicadas a seguros e crédito.

Por região do País, todas apresentaram um crescimento significativo na comparação anual: Norte (21,94%), Nordeste (21,63%), Centro-Oeste (20,02%), Sudeste (18,06%) e Sul (17,68%). O comportamento está relacionado ao aquecimento do mercado de automóveis.

Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o número de emplacamentos de automóveis e comerciais leves cresceu quase 30% em fevereiro, na comparação com o mesmo período de 2023, o que na análise de Daniel Gusson, head comercial de Seguros da Neurotech, traz ainda mais otimismo para as seguradoras em relação ao restante do ano.

“O primeiro bimestre deste ano foi surpreendente para o mercado de automóveis, pois tradicionalmente já é esperada uma queda nas vendas por se tratar de um início de ano, que geralmente traz maior cautela aos consumidores, e pelo fato de fevereiro ser um mês mais curto. Isso não ocorreu em 2024, o que pode ser associado à expectativa de maior celeridade da recuperação econômica do país. O impacto para as seguradoras é bastante positivo, visto que o INDS de fevereiro também apresentou mudanças importantes de comportamento em condutores de todas as idades”, afirma.

De acordo com o INDS, todas as faixas etárias analisadas apresentaram crescimento de procura por seguros em relação ao ano passado, o que normalmente é atípico entre os mais jovens. Para se ter uma ideia, enquanto o mês de janeiro apresentou queda de 18,48% entre pessoas de 18 a 25 anos, fevereiro teve crescimento de 1,46%. Já a população com 60 anos ou mais, tradicionalmente mais cautelosa, apresentou uma procura 12,29% maior – em janeiro deste ano, o crescimento foi de 7,24%.