Ninguém pode negar o quanto nosso estilo de vida mudou nas últimas décadas, porém, é preciso pensar também em esforços como o de economia de energia, o que faz toda diferença.

Realmente, se por um lado nós conseguimos conquistar liberdade e tecnologias incríveis que integram as pessoas de um país inteiro, ou mesmo do mundo todo. 

Por outro lado, também descobrimos que isso pode ter um preço alto se não for feito com cuidado.

Basta considerar o caso dos computadores, dos celulares e até dos tablets, que são dispositivos incríveis com os quais cada pessoa pode se conectar a todo um universo online que permite mil e uma utilidades, pessoais ou profissionais.

O que inclui desde uma loja que vende cortina de trilho para quarto de casal, até os usuários da internet que podem encontrar uma loja assim em poucos segundos e pedir para o GPS do celular ajudá-las a chegar lá agora mesmo.

Por outro lado, todos esses dispositivos e produtos, do computador ao celular, precisam ser reciclados se não quisermos ter problemas na hora de descartá-los e trocar, lembrando que a cada ano que passa as atualizações chegam mais rápido.

Isso basta para mostrar como é preciso falar em avanço e, junto, em responsabilidade, sustentabilidade e visão de médio e longo prazo. 

Assim, já não dá para desfrutarmos de benefícios pessoais e presentes sem olhar para o futuro e para as próximas gerações.

Se isso é verdadeiro para o caso de nossos hábitos mais rotineiros, é ainda mais verdadeiro para o caso de uma empresa, que pode chegar a gastar muito mais recursos naturais do que centenas de pessoas sozinhas em suas casas.

É só imaginarmos o caso de uma empresa de arquitetura e reforma, ou mesmo das construtoras e empreiteiras da área, para perceber que centenas ou milhares de funcionários podem exercer um efeito muito maior sobre nosso meio ambiente.

É aí que surge a questão da economia de energia no universo corporativo, cujos hábitos mais eficientes podem fazer toda diferença. 

Também foi, por isso, que deliberamos sobre escrever este material especial a respeito de algo tão urgente.

Falar deste assunto implica trazer não apenas os 3 hábitos mais eficientes, como faremos abaixo, mas também alguns conceitos e características sem os quais correríamos o risco de deixar esses conselhos práticos muito genéricos.

Além do que, também é preciso contextualizar a importância de se economizar energia nas empresas, como modo de destacar o que se pode esperar disso no curto, médio e longo prazo, tanto para o negócio quanto para a sociedade.

Inclusive, vale a pena trazer exemplos práticos e de segmentos reais, pois hoje esse assunto é tão importante que precisa ser levado a todo tipo de negócio, seja quem vende bateria de 60 amperes ou quem presta serviços populares.

Sendo assim, onde quer que haja uma empresa com sua missão de crescer e se expandir, é preciso que junto haja uma visão mais abrangente como modo de pensar essa expansão como algo harmonioso e capaz de ser amigo do meio ambiente e do próximo.

Desta maneira, se o seu objetivo aqui é mergulhar de cabeça em hábitos e práticas realmente coerentes, que possam trazer o bem não apenas para você e sua firma mas também para o mundo, então basta seguir com a leitura até o fim.

Por que economizar, afinal?

A energia elétrica é, sem sombra de dúvida, um dos maiores bens conquistados nos últimos tempos, a ponto de poder ser considerada um símbolo dos tempos modernos.

Hoje não conseguimos nem sequer imaginar o que seria passar um dia sem energia, sem uma lâmpada acesa, uma tomada para carregar o celular, uma geladeira funcionando bem, um microondas, um simples ventilador em dias de calor.

Se isso já é verdadeiro em nosso dia a dia, quando nos transportamos para o universo corporativo se torna algo ainda mais importante. De fato, um escritório ou uma fábrica sem energia é algo realmente impensável.

Por outro lado, também é verdade que as empresas são as que mais gastam energia elétrica em termos proporcionais, daí que seja tão importante a economia começar por parte delas.

O primeiro grande motivo para isso é economizar recursos e evitar um impacto negativo sobre a natureza. 

Há muitos modos de fazer isso, alguns simples como apagar as luzes de um cômodo vazio, outros bem mais abrangentes.

Basta imaginar uma grande corporação que investe em projeto escritório residencial, para implementar o home office quando possível. 

Isso cria uma cadeia incrível de vantagens, desde o fato de que não haverá tanta gente em um mesmo lugar consumindo aqueles recursos, até a economia de combustível de cada um dos funcionários que já não precisará ir ao local fisicamente.

Adiante veremos mais detalhes sobre isso, o que precisa ficar claro agora não é como fazer, mas por que motivo fazer. Sendo esse do impacto ao meio ambiente o principal, mas nem de longe o único.

Afinal, no próprio exemplo dado vemos que uma empresa pode se beneficiar também em termos de economia, de operação e até de qualidade de vida para os funcionários. Sobretudo as maiores, como uma fábrica de bateria Moura para carro.

Inclusive, há quem inclua na pauta da sustentabilidade uma cultura organizacional mais humanizada, capaz de pensar nos funcionários e até nos moradores próximos de algo como uma fábrica, já que eles também são impactados por aquela atividade.

Além dessas vantagens, outra seria a da própria concorrência que uma marca enfrenta, tanto que hoje existe o termo marketing verde. 

De fato, além de otimizar processos e por isso tornar-se mais competitiva, a marca ganha autoridade no mercado.

Desta forma, ao demonstrar que ela se preocupa sinceramente com o meio ambiente e com a economia de energia, isso tende a atrair cada vez mais as melhores oportunidades, em termos dos clientes, fornecedores, parceiros e afins.

  1. De olho nos equipamentos

Um passo fundamental para falarmos em hábitos realmente eficientes de economia de energia elétrica, é ficar de olho nos aparelhos, equipamentos e dispositivos eletrônicos de modo geral.

Aqui é preciso que cada empresa se comprometa de modo sincero e abrangente, pois não dá para listar os itens presentes em cada operação, o que muda de caso para caso.

Afinal, a rotina de um fornecedor de asfalto pode ser radicalmente diferente da rotina da fabricante desse mesmo tipo de asfalto.

Basicamente, os equipamentos mais comuns são, para efeito de ilustração:

  • Máquinas;
  • Computadores;
  • Assistente virtual;
  • Celulares;
  • Impressoras.

Enfim, todo tipo de dispositivo que vai ligado na tomada, seja para funcionamento contínuo ou apenas na hora de carregar suas baterias.

A grande dica aqui é mantê-los todos em dia, primeiramente, em termos de manutenção, pois um defeito qualquer já pode fazer com que eles consumam muito mais energia elétrica do que seria realmente necessário.

Depois, em termos de troca, upgrade ou atualizações gerais, o que também pode fazer com quem uma tecnologia nova traga uma economia bem melhor do que outras já defasadas e atrasadas em relação ao mercado, que não para de evoluir.

Ao mesmo tempo, vale lembrar que na hora de comprar novos equipamentos e eletrônicos o principal fator de escolha pode ser esse. Como vimos, há empresas e fabricantes que se preocupam com isso, mas outras não. 

Portanto, associe-se àquelas que valorizam, um modo bem prático de fazer isso é verificando se o produto possui o famoso Selo Procel de Economia de Energia.

  1. Pense na arquitetura

Pouca gente sabe, mas a escolha do estilo ou design de paredes, divisórias, janelas, móveis e todos os demais elementos arquitetônicos é algo que pode impactar diretamente no seu consumo de energia elétrica.

Afinal, pare para pensar, se um ambiente é escuro, você precisará de lâmpadas muito mais fortes, e sempre ligadas, para torná-lo minimamente funcional.

Por isso, um escritório da área de análise de solo completa pode optar por um estilo mais clean e mais moderno, e isso vai economizar muita energia.

Um modo prático de fazer isso é lançando mão de divisórias de vidro, janelas amplas, cortinas finas que não obstruem a luz natural e daí em diante.

Se você não quer fazer mudanças estruturais, saiba que até a escolha das cores das paredes pode ajudar, pois quanto mais claras elas forem, melhor vai ser.

  1. Trabalhe a conscientização

Por fim, não é possível falar sobre hábitos de consumo de energia sem falar na cultura organizacional e no exemplo da liderança.

É mais ou menos como alguém que come frutas secas natalinas por serem ricas em Vitamina A, valorizando seu cardápio diário. Ao mesmo tempo, é preciso ter uma rotina saudável também em termos de exercícios físicos e afins.

No caso da empresa, ou a convicção de preservar o meio ambiente parte dos donos e sócios, descendo pelos diretores e líderes até os funcionários, ou não vai funcionar. Então, torne essa pauta parte da cultura e da filosofia de trabalho.

Considerações finais

Sendo assim, poucas coisas são tão importantes quanto pensar no meio ambiente e nas próximas gerações, já que sem isso o futuro do mundo estaria comprometido.

Neste cenário tão urgente, as empresas têm um papel fundamental, portanto, com os 3 hábitos eficientes que detalhamos acima, elas já podem começar a fazer sua parte.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.