Elon Musk ameaçou proibir iPhones em suas empresas, dizendo que uma aliança entre a Apple e a OpenAI o preocupa com a segurança dos dados.

O empresário Elon Musk desistiu de um processo judicial contra a OpenAI e seus cofundadores, Sam Altman e Greg Brockman, na última terça-feira. Musk havia acusado a empresa de inteligência artificial de trair sua missão original ao se tornar uma empresa com fins lucrativos apoiada pela Microsoft. A desistência ocorreu após Musk ameaçar proibir iPhones em suas empresas, expressando preocupação com a segurança dos dados devido a uma aliança entre a Apple e a OpenAI.

Elon Musk iniciou o processo na Califórnia, alegando que a OpenAI violou o compromisso de criar inteligência artificial em benefício da sociedade. No entanto, o magnata decidiu retirar a ação sem fornecer uma justificativa específica. Tanto Musk quanto a OpenAI não comentaram sobre o assunto até o momento.

Musk argumentou que a OpenAI, da qual se desligou em 2018, havia se distanciado de sua missão inicial de ser uma entidade sem fins lucrativos. Ele afirmou que a empresa se tornou efetivamente uma subsidiária da Microsoft, uma alegação que tanto a OpenAI quanto a Microsoft negaram.

A OpenAI ganhou destaque em 2022 com o lançamento do ChatGPT, um chatbot capaz de gerar textos como poemas e ensaios. Além disso, a empresa desenvolveu ferramentas de geração de imagens e vídeos consideradas líderes em sua área. A Microsoft, grande investidora na OpenAI desde 2019, intensificou seu apoio financeiro à empresa no ano passado.

A polêmica em torno da OpenAI também envolveu a demissão e posterior reintegração do CEO Sam Altman. A empresa enfrentou críticas de Musk, que lançou sua própria empresa de inteligência artificial, a xAI, no ano passado.

Musk expressou sua indignação com a parceria da OpenAI com a Apple, afirmando que a empresa de tecnologia não compreende totalmente as implicações de compartilhar dados com a OpenAI. Essa crítica acontece em meio ao contexto de preocupações crescentes sobre os riscos associados à superinteligência artificial.

Sem avaliações ainda