Eólica e solar
Eólica e solar

Um relatório que será publicado nesta quarta (5) no Reino Unido pelo think tank de energia Ember constata que as energias renováveis atenderam a todo o aumento da demanda mundial por eletricidade na primeira metade de 2022, impedindo qualquer crescimento na geração de carvão e gás.

O aumento da geração eólica e solar atendeu mais de três quartos do crescimento da demanda global por eletricidade na primeira metade de 2022, enquanto a hidroeletricidade atendeu o restante. Isso freou um possível aumento de 4% na geração fóssil e, com isso, evitou US$ 40 bilhões em custos de combustível, além de 230 Mt de CO2 em emissões, segundo a publicação.

O relatório analisa dados de eletricidade de 75 países que representam 90% da demanda mundial de eletricidade. Ele compara os primeiros seis meses de 2022 (H1-2022) ao mesmo período em 2021 (H1-2021) para mostrar como a transição de eletricidade progrediu.

O relatório conclui que a demanda global de eletricidade cresceu em 389 terawatts-hora (TWh) no primeiro semestre de 2022. As energias renováveis – eólica, solar e hídrica – aumentaram em 416 TWh, excedendo ligeiramente o aumento da demanda de eletricidade.

Só a energia eólica e solar aumentou em 300 TWh, o que equivale a 77% do aumento da demanda global de eletricidade. Na China, o aumento da geração eólica e solar sozinha atendeu 92% do aumento da demanda de eletricidade; nos EUA foi de 81%, enquanto na Índia foi de 23%.

“O vento e a energia solar estão se provando durante a crise energética”, disse Malgorzata Wiatros-Motyka, analista sênior da Ember. “O primeiro passo para acabar com o domínio dos combustíveis fósseis caros e poluentes é construir energia limpa suficiente para satisfazer o apetite crescente do mundo por eletricidade”.

 


Aumento da geração de fósseis foi interrompido

Como resultado do crescimento das energias renováveis, a geração fóssil ficou praticamente inalterada (+5 TWh, +0,1%). O carvão caiu em 36 TWh (-1%) e o gás em 1 TWh (-0,05%); isto compensou um ligeiro aumento em outros combustíveis fósseis (principalmente petróleo) de 42 TWh. Consequentemente, as emissões globais do setor energético de CO2 permaneceram inalteradas no primeiro semestre de 2022 em comparação com o mesmo período do ano passado, apesar do aumento da demanda de eletricidade.

O carvão na UE aumentou 15% apenas para cobrir um déficit temporário na geração nuclear e hidrelétrica. O carvão na Índia subiu 10% devido a uma forte recuperação na demanda de eletricidade em relação aos níveis mais baixos do ano passado, quando a pandemia de Covid-19 atingiu mais duramente o país. Globalmente, estes aumentos foram compensados por quedas de 3% na China e 7% nos EUA.

Na China, o crescimento da energia eólica e solar permitiu uma queda de 3% na energia dos combustíveis fósseis — sem este crescimento, os combustíveis fósseis teriam aumentado em 1%. Na Índia, a energia dos combustíveis fósseis aumentou 9%, mas teria sido 12% sem o crescimento da energia eólica e solar. Nos EUA, desacelerou o aumento da energia dos combustíveis fósseis de 7% para apenas 1%. Na UE, a energia dos combustíveis fósseis aumentou 6%, mas teria sido de 16% sem o crescimento do vento e da energia solar.

Recorde de emissões em 2022 ainda é uma possibilidade

Apesar da parada na geração de fósseis na primeira metade de 2022, a geração de carvão e gás aumentou em julho e agosto. Isto deixa em aberto a possibilidade de que as emissões de CO2 do setor elétrico em 2022 ainda possam aumentar, após o recorde histórico do ano passado.

“Não podemos ter certeza se atingimos o pico do carvão e do gás no setor energético”, diz Wiatros-Motyka. “As emissões globais do setor de energia ainda estão tendendo para cima quando precisavam estar caindo muito rapidamente. E os mesmos combustíveis fósseis que nos empurram para uma crise climática também estão causando a crise energética global. Temos uma solução: o vento e a energia solar são de origem local e barata, e já estão cortando rapidamente tanto os custos, como as emissões”.
 

2=cjM6UWZkFWY1oTbvNmLslWYtdGQvlmclRnbllmYtF2bpVWbvF2YhRWZypjM3MTO3MzN4UTM6cmbw5CZlJGO5cTOkJ2M0MWNwYmY1ADM1gjYlR2YycDN3gTM3YkMlgTM3YkMlITN2ITMGJTJ0MjM2MDN5MDMy8VL0ETLfpDM

O relatório será publicado às 00:01 GMT+1 neste link.