Você já ouviu falar da palavra “coworking”? Se ainda não ouviu pode ser que em breve você ouça, isso porque ela descreve algo que está crescendo cada vez mais em costume para as pessoas. 

Cada vez mais o coworking se destaca, tornando algo natural para diversos tipos de empresas, principalmente para aquelas que são pequenas e estão dando os primeiros passos ainda no atendimento presencial. 

Para quem não sabe, o coworking basicamente é uma empresa passar a trabalhar em um local que também vende o espaço para outras empresas. Assim, mais de um negócio é gerido no mesmo ambiente e aí a forma com que isso se organiza sempre vai variar.  

Essa modalidade está crescendo muito, não só aqui, mas no mundo todo. Para se ter noção, recentemente foram notados um crescimento de 90% na procura por esse tipo de espaço, isso em todo o mundo.  

Isso deixa muito claro que as pessoas querem trabalhar assim, ou pelo menos sentem que precisam trabalhar assim. Para muitos, o coworking é o primeiro passo para o home office, ou a opção mais barata depois do home office.

Mas afinal, porque será que o crescimento dessa modalidade está se dando agora? Existe algo acontecendo no mundo hoje que justifique isso? Essa é uma pergunta muito interessante e com respostas que falam sobre os tempos que passamos.

Porque tem feito tanto sucesso?

Quando a covid 19 atingiu o mundo, muitas empresas perderam rendimentos, algumas tiveram que fechar as portas. No entanto, algumas se adaptaram, e foi exatamente por isso que sobreviveram. 

 A coisa ficou ainda mais difícil para quem estava abrindo uma nova empresa, afinal, a economia acabou ficando extremamente fragilizada. E aí a solução foi trabalhar em home office, mas não é todo tipo de empresa que pode sobreviver assim.

E foi aí que as empresas passaram a perceber que mais barato do que alugar um lugar, arrumar, e fazer todo o processo para poder atender ali, era melhor pegar um lugar já pronto e pagar bem menos.

E foi então que o coworking se tornou parte importante da economia hoje, justamente pelo alto número de pessoas aderindo a esse estilo, várias empresas que só existem porque descobriram que isso era possível.

Os muitos tipos de Coworking

Outro fator que ajudou muito o coworking a crescer, é o fato de que não existe apenas uma forma dele existir. Tudo depende de quem está oferecendo o local, com regras próprias e oportunidades próprias.

Por exemplo, você pode ter um ambiente todo compartilhado. Sem salas, apenas baias, ou então apenas mesas. Como se cada mesa pudesse ser de uma empresa diferente. Essa é sem dúvida a forma mais simples.

Mas você pode ter coworking com salas diferentes dentro de um mesmo ambiente, o que traz um pouco mais de privacidade para trabalhar. Além disso, alguns lugares também costumam alugar sala de reunião privativa, seja ela por uma chamada pelo comprador ou então presencial. 

 Tudo vai depender do tamanho do lugar, e do quanto de espaço ele tem para oferecer. Claro que os preços também vão variar, um local pode ter mais opções, que são mais caras, ou coisas mais simples, mas mais em conta. 

O que um bom Coworking oferece?

Se você está curioso com isso, e quer saber qual é a grande vantagem de usar o coworking, saiba que isso vai sempre depender muito de um lugar para o outro. Apesar disso, existem algumas coisas que são universais quando o assunto é essa modalidade.

Por exemplo, a internet é fundamental para o trabalho, e você não precisa pegar o lugar e usar a banda larga do celular. Na verdade, o lugar oferece internet ilimitada e em uma velocidade satisfatória para se trabalhar, além dos acessos liberados, desde notícias do Maranhão até vídeos e podcast.

Além disso, as mesas e cadeiras, bem como a infraestrutura em geral também é sempre oferecida. Alguns até têm áreas comuns, que podem ter água, café e coisas do tipo, o que torna ainda mais barato para as empresas.

 Mas uma das coisas mais úteis que esse tipo de modalidade tem, é a recepção. A recepção é super importante para uma empresa que precisa receber clientes ou parceiros.

E seria confuso que cada uma das empresas tivessem uma própria recepcionista em um local, e por isso o responsável pelo local é quem cuida dessa parte. A grande vantagem é que ela é funcionária do local e não da sua empresa, o que significa que a parte burocrática não fica para você.

Coisas como registro e os gastos com funcionário, que vão dos depósitos do FGTS até o décimo terceiro e férias, nada disso precisa ser pago por você. O salário da funcionária sai do pagamento que você faz para alugar o local, e todos os direitos dela são responsabilidade do dono do coworking, ajudando muito as pequenas empresas.