Black Friday
Black Friday

Continua até sexta-feira (26) as promoções da Black Friday no Brasil, inspirada nos Estados Unidos com ofertas de produtos para antes do natal. Consumidores que ainda pretendem aproveitar o período, devem tomar medidas de prevenção e cuidados para não serem enganados.

Com o crescimento do mercado online durante a pandemia da Covid-19, os e-commerces seguem aquecidos. Para garantir bons negócios e preços realmente baixos, a sugestão de especialistas é se preparar para realizar as compras e acompanhar os valores por meio de sites de rastreio.

A seguir, veja 3 sugestões para aproveitar as promoções da reta final da Black Friday sem ciladas.

1. Preços

O atrativo principal da Black Friday, sem dúvida, é o preço baixo característico do período. Mas nem sempre, a conduta das lojas pode ser honesta em relação a este item. 

Para o advogado Daniel Galvão, especialista no escritório Galvão e Silva Advocacia, a melhor forma de identificar se o valor realmente está abaixo do habitual é a pesquisa.

“O consumidor que espera a Black Friday para adquirir determinado produto, precisa buscar o valor anterior a esse período, tanto na loja onde pretende comprar quanto nas concorrentes. Outro método que pode evitar o engano são os sites de comparação e histórico de preços, como o Zoom ou Buscapé”, explica o advogado.

Além de verificar o preço, é válido observar alterações dependendo das condições de pagamento, pois podem alterar o valor final de realizado em muitas parcelas, por exemplo. 

2. Sites fraudulentos

Outro ponto de atenção crucial para evitar qualquer tipo de golpe, é verificar a procedência dos sites de compras aos quais pretende adquirir. Quadrilhas especializadas em criação e manutenção de sites, criam páginas falsificadas de lojas conhecidas ou nomeiam sites com títulos convincentes, mas que não passam de ferramentas para aplicação de golpes.

Além do valor do falso produto, que pode ser feito via transferência, pix  ou cartões, os criminosos podem roubar dados de consumidores.

É necessário ficar atento ao valor e desconfiar se está muito abaixo do que é praticado no mercado. Além disso, antes de efetuar qualquer compra, verifique a reputação do estabelecimento em sites como o Reclame Aqui. Caso não localize informações relevantes, o ideal é não realizar a compra.

Verifique também a URL do site, pois erros de ortografia, substituição de caracteres ou encerrados com domínios diferentes de “.com”, podem indicar fraudes.

“Caso o consumidor seja vítima de golpes aplicados em sites falsificados, pode abrir um processo judicial a fim de recuperar o valor. É importante recolher todas as evidências e acionar um advogado com a maior brevidade possível”, alerta doutor Daniel.

3. Dados de cartão de crédito

A forma de pagamento por cartão de crédito é uma das mais utilizadas durante a Black Friday, pois oferece oportunidade de parcelamento da compra. Porém é extremamente importante verificar se o site solicita dados desnecessários, como endereço de cobrança, senha do cartão e código de segurança.

De acordo com dados da Federação Brasileira de Bancos – Febraban, o roubo de dados cresceu 165% no primeiro semestre de 2021, em relação ao mesmo período do ano anterior.

O aumento é reflexo da exposição de informações de cartão de crédito online. Outra situação a se considerar para evitar fazer parte dessa estatística, é não fornecer os dados por telefone durante um eventual processo de validação de compra.

Caso seja vítima de compras indevidas ou qualquer fraude que envolva o cartão de crédito, entre em contato imediatamente com a instituição financeira responsável e com a loja onde foi realizada. Além disso, o consumidor deve registrar um boletim de ocorrência.

Para compras online, priorize o uso do cartão virtual, pois os dados são provisórios e eliminados após curto período de tempo, inibindo riscos de vazamento de dados.

Considerações

A Black Friday pode auxiliar diversos consumidores que escolhem este período para realizar compras já programadas, mas a atenção deve ser redobrada para evitar transtornos. 

Não realize compras com pressa e avalie todas as etapas, dados e valores antes de efetuar qualquer tipo de pagamento.

Em casos suspeitos, acione imediatamente os órgãos competentes, como SACs, ouvidorias ou Procon. 

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.