Unigel Agro Bahia. Crédito - Divulgação

Com o objetivo de apresentar a primeira fábrica de hidrogênio e amônia verdes do Brasil e debater sobre iniciativas que contribuam para descarbonização da indústria, a Unigel – uma das maiores empresas químicas da América Latina e maior fabricante de fertilizantes nitrogenados do Brasil – participa da 27° edição da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2022 que ocorrerá entre os dias 6 e 18 de novembro de 2022, na cidade de Sharm El-Sheikh, no Egito.

Leo Slezynger, acionista da Unigel, será o representante da companhia na COP27 e estará no Espaço Brasil para o debate “Ações para o Desenvolvimento do Mercado De Hidrogênio Verde no Brasil”, no dia 16 de novembro, às 10h, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Também participam do painel nomes como Denise Scarpa de Albuquerque Maranhão, especialista em Relações Corporativas e Assuntos Regulatórios da Shell; Leone Peter Correia da Silva Andrade, diretor de inovação e tecnologia do SENAI/DR/BA e Jurandir Marães Picanço Júnior, consultor em Energia da Federação das Indústrias do Estado do Ceará.

Já no dia 17, às 9h, também no Espaço Brasil, o acionista da Unigel terá a oportunidade de apresentar a fábrica de hidrogênio verde da Unigel em discussão promovida pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) juntamente com o CEO da thyssenkrupp South America, Paulo Alvarenga; Rogério Zampronha, CEO da Prumo Logística; e Jessé Can Griensven Thé, CEO da Lakes Environmental.

Segundo Slezynger, a Unigel chega à COP27 com o foco em demonstrar como o Brasil tem potencial para ser protagonista no mercado de hidrogênio verde. “Compreendo que o Brasil tem condições de ser o maior produtor de hidrogênio verde do planeta, uma vez que temos uma indústria consistente, condições climáticas privilegiadas e um mercado interno forte que gerará crescimento aos fornecedores mesmo em adversidades internacionais. É uma honra estar pela primeira vez em um evento grandioso como esse e poder demonstrar que nosso país será um dos grandes players de hidrogênio do mundo”, explica.