IBGE
IBGE

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou queda de 1,96% em setembro, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de agosto foi revista de um recuo de 3,11% para uma redução ainda recorde de 3,04%.

O IPP de setembro teve a segunda maior deflação da série histórica, iniciada em 2014, ficando atrás apenas do resultado de agosto. O índice acumulou uma deflação de 4,94% nos dois últimos meses de quedas.

O IPP mede a evolução dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e fretes, da indústria extrativa e de 23 setores da indústria de transformação.

Com o resultado, o IPP de indústrias de transformação e extrativa acumulou aumento de 5,87% no ano. A taxa acumulada em 12 meses foi de 9,76%.

Considerando apenas a indústria extrativa, houve queda de 3,82% em setembro, após a redução de 14,18% registrada em agosto.

Já a indústria de transformação registrou recuo de 1,86% em setembro, ante uma queda de 2,38% no IPP de agosto.