Crédito: iStock

O mercado de videogames, anualmente, movimenta mais de 300 bilhões de dólares. Essa soma ultrapassa a soma do capital gerado pelas indústrias de música e cinema. Nesse contexto, o Brasil é o 13º no ranking mundial de países produtores de jogos, sendo o maior na América Latina.

Grande parte desses sucessos se deve ao grande leque de opções que os gamers têm para jogar, podendo passar futebol e esportes, jogos de tiro, que simulam a experiência de pistolas e snipers de airsoft, luta, estratégia, e para quem gosta de algo mais único, temos os jogos indie.

O que é um jogo indie?

Provavelmente, você deve estar se fazendo a pergunta acima, não é mesmo? O jogo indie, termo em inglês, geralmente, é usado para identificar um jogo independente, realizado por uma equipe de profissionais com renda limitada e nenhuma interferência criativa externa.

Este tipo de jogo é extremamente criativo, e se vale disso como um diferencial para competir com grandes jogadores da indústria. É até que fácil identificar um jogo indie, geralmente eles estão atrelados a histórias e jogabilidades totalmente inéditas e muito inventivas, que geralmente não são permitidas por grandes empresas do ramo.

Exemplos de jogos indie que fizeram sucesso

Entretanto, isso não impede que elas acabem sendo compradas por uma grande empresa e se transformem em um case de sucesso. Isso aconteceu com um jogo bastante famoso e que marcou uma geração: Minecraft.

O jogo que tinha como plot principal a sobrevivência e criatividade foi desenvolvido por Markus Persson, de forma completamente independente. Mas graças à sua fácil jogabilidade, e total liberdade para seus jogadores, logo tomou uma grandiosidade que é sentida até hoje, incluindo uma adaptação para os cinemas.

E o cenário nacional?

Dentro do cenário nacional, e até mesmo internacional, os desenvolvedores geralmente sofrem com a falta de incentivo em seus projetos, que vão além do financeiro, mas também das pessoas procurarem mais sobre este tipo de gênero de jogos.

Isso se deve à grande competição que existe entre os games de grandes players, que acabam ganhando mais visibilidade do que os de desenvolvedores independentes, em que é bastante comum esperar parte da renda e do trabalho investidos voltar em forma de downloads ou compra de seu trabalho.

Segundo uma pesquisa realizada pelo II Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, o Brasil conta com 233 profissionais da categoria totalmente autônomos, sendo 75 formalizados como MEI (Microempreendedor Individual).

Ainda segundo o estudo, 82,2% destes profissionais têm uma renda de até R$ 1.908,00, seguidos de somente 11,7% com uma renda média mensal que pode chegar até a R$ 4.770,00, o que pode gerar um certo desânimo por parte dos jovens que gostariam de seguir este tipo de profissão.

Apesar disso, nosso mercado de jogos indie ainda permanece aquecido e com jogos que esbanjam criatividade de jogabilidades únicas, para divertir os gamers e ainda impulsionar o mercado nacional de profissionais da área.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.