No mês de setembro foram registradas no Brasil 5.072.949 multas de trânsito em todo o país, 12% a mais em relação a agosto, quando houve 4.528.513. Tais dados foram disponibilizados pela Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran). As estatísticas ficam mais impressionantes na comparação com setembro de 2021, período em que foram registradas 1.424.406 infrações, ou seja, um aumento de 256%. Importante destacar que, na época, por conta da pandemia de COVID-19, muitas empresas ainda estavam em esquema remoto, assim como instituições de ensino, implicando numa menor circulação de automóveis nas ruas.

A multa mais comum em setembro deste ano foi “transitar acima da velocidade máxima permitida em até 20%”, com 2.037.322 infrações. Esta já havia sido a mais aplicada no mês anterior: 1.657.891 registros. A autuação é de natureza média, gera 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista e o valor da penalidade é de R$130,16.

Completam o pódio das cinco infrações mais aplicadas: avançar o sinal vermelho do semáforo ou de parada obrigatória (339.853); não identificação do condutor infrator, ou seja, multa imposta à pessoa jurídica (305.822); transitar acima da velocidade máxima permitida de 20% a 50% (278.769); e, por fim, deixar de utilizar o cinto de segurança (209.219).

André Brunetta, CEO do aplicativo Zul+ – que facilita a vida de quem dirige -, ressalta a importância do respeito às leis de trânsito para diminuir esses números e, consequentemente, os riscos para motoristas e pedestres. “Quem desrespeita as normas impostas, além de receber multas, pode causar graves acidentes. Assim, se a velocidade limite é aquela ou se não posso parar em determinado local, as regras precisam ser respeitadas”, afirma Brunetta.

Os condutores que recebem infrações também devem ficar atentos ao prazo limite para o pagamento das multas. Não quitá-las implica em consequências, tanto ao veículo quanto ao motorista. Para o primeiro, não é possível licenciá-lo nem transferi-lo após uma venda. Já no segundo caso, a pessoa é considerada inadimplente e tem o nome inscrito na dívida ativa.

Pagamentos ou recurso de multas via app

Quem recebeu a notificação de multa e possui veículos registrados em São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro ou Santa Catarina,tem a opção de efetuar o pagamento pelo aplicativo Zul+. Primeiro, o motorista deve fazer o download gratuito do app para iOS ou Android. O próximo passo é fazer o cadastro do veículo, clicar no botão de multas e escolher a forma de pagamento. O usuário pode pagar via PIX à vista ou pelo cartão de crédito em até 12 vezes (para valores acima de R$ 150). 

Importante destacar que o Zul+ também conta com a funcionalidade de recurso de multas. Após efetuar o cadastro do veículo no app, o condutor acessa a função IPVA, Multas e Licenciamento e depois seleciona “Recurso de multa”, confirma qual automóvel foi autuado, responde algumas perguntas para fundamentar a defesa e paga uma taxa para receber o documento redigido por e-mail. Na sequência, é de responsabilidade do motorista entregar o recurso para as autoridades de trânsito.