Crédito: AP Photo/Lindsey Wasson

Redmond, EUA (14 de junho de 2024) — A Microsoft anunciou que os novos laptops equipados com Windows que serão enviados aos clientes na próxima semana não contarão com o recurso de inteligência artificial (IA) chamado Recall, que tem gerado preocupações significativas em relação à privacidade e à segurança cibernética.

Em evento realizado em maio, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, apresentou o Recall como um avanço importante para a IA, descrevendo-o como um mecanismo que permite aos computadores “nos verem, ouvirem e raciocinarem sobre nossas intenções e o que nos rodeia” de forma quase instantânea. O Recall opera capturando instantâneos periódicos da tela do computador para fornecer ao Copilot, o assistente de IA da Microsoft, uma “memória fotográfica” das atividades virtuais do usuário, auxiliando na lembrança de tarefas e ações anteriores.

“Estamos entrando em uma nova era em que os computadores não apenas nos entendem, mas podem antecipar nossas necessidades e intenções”, disse Nadella durante o evento.

Contudo, a empresa decidiu adiar a implementação ampla do recurso Recall. A Microsoft informou que, em vez de disponibilizá-lo para todos os usuários de novos PCs a partir de terça-feira, o recurso será inicialmente testado por um grupo menor de usuários, participantes do programa de testes Windows Insider. Esse grupo de especialistas ajudará a “garantir que a experiência atenda aos nossos altos padrões de qualidade e segurança”, conforme declarou Pavan Davaluri, vice-presidente corporativo de Windows e dispositivos da Microsoft.

A decisão de adiar o lançamento do Recall ocorre em um momento em que a Microsoft enfrenta intensa concorrência no campo da IA generativa, especialmente com empresas rivais da Big Tech lançando suas próprias tecnologias de ponta que podem criar documentos, gerar imagens e atuar como assistentes pessoais tanto no trabalho quanto em casa.

No evento anual Build da Microsoft, realizado no mês passado, a empresa apresentou uma nova linha de computadores pessoais integrados com IA. Esses novos dispositivos, que rodam o sistema operacional Windows 11, são fabricados por parceiros de hardware como Acer, Asus, Dell, HP, Lenovo e Samsung, além da própria linha Surface da Microsoft.

Embora o Recall tenha sido inicialmente recebido com entusiasmo por sua capacidade de melhorar a interação entre usuários e máquinas, surgiram preocupações sobre como a captura contínua de imagens da tela pode afetar a privacidade e a segurança dos dados dos usuários. Críticos questionaram se a Microsoft estaria preparada para proteger essas informações de possíveis abusos ou violações.

O adiamento do Recall reflete o compromisso da Microsoft em abordar essas preocupações de forma cuidadosa e em garantir que quaisquer novos recursos de IA introduzidos atendam aos seus rigorosos critérios de segurança e privacidade. A empresa indicou que continuará a desenvolver e testar o recurso em colaboração com os participantes do Windows Insider, antes de considerar uma implantação mais ampla.

Este movimento é um lembrete claro de que, enquanto a inovação tecnológica avança rapidamente, as questões de privacidade e segurança devem ser abordadas com a máxima seriedade para manter a confiança dos usuários.

Fonte: AP News

Sem avaliações ainda