A lagoa Bustillos está abaixo de 50% do seu nível normal de água.

Crise na Lagoa Bustillos

A lagoa Bustillos, localizada no norte do México, enfrenta uma situação crítica devido à seca extrema que tem assolado o país. De acordo com autoridades locais, a lagoa está com menos de 50% do seu nível normal de água. Essa redução drástica agravou a concentração de poluentes, tornando o ambiente aquático letal para as espécies que ali vivem.

Mortandade de Peixes

Na última semana, milhares de peixes começaram a morrer, suas carcaças se acumulando na lama seca do leito da lagoa Bustillos. Esse cenário desolador é acompanhado por um odor fétido que paira sobre a área. Na quarta-feira, equipes de trabalhadores estavam envolvidas na remoção dos peixes em decomposição, uma medida necessária para evitar a disseminação de doenças na região.

Impacto da Seca no México

O México enfrenta uma das piores secas dos últimos tempos, com temperaturas extremas quebrando recordes em várias cidades. Desde meados de março, a atual estação quente já causou a morte de 125 pessoas. A situação na lagoa Bustillos é um reflexo das condições adversas que têm devastado o país.

A seca não só afeta os recursos hídricos e a vida aquática, mas também ameaça o abastecimento de água para as populações locais e a agricultura. Com a lagoa Bustillos secando, o ecossistema local e os meios de subsistência das comunidades ao redor estão em risco iminente.

Concentração de Poluentes

A baixa quantidade de água na lagoa Bustillos significa que os poluentes presentes se tornaram mais concentrados. Esses poluentes são extremamente perigosos para os peixes e outras formas de vida aquática. Com a evaporação da água, substâncias tóxicas que normalmente seriam diluídas agora se acumulam em níveis mortais, exacerbando a crise ecológica.

Resposta das Autoridades

As autoridades locais estão trabalhando arduamente para mitigar o impacto da mortandade de peixes. A remoção dos restos em decomposição é crucial para evitar riscos sanitários adicionais para a população circundante. Além disso, medidas estão sendo consideradas para tratar a água restante na lagoa Bustillos e tentar salvar o que resta do ecossistema aquático.

Recordes de Calor e Mortes

O calor intenso não se limita à região da lagoa Bustillos. Diversas cidades mexicanas, incluindo a capital, enfrentam temperaturas recordes. O impacto do calor extremo combinado com a falta de chuvas resultou em condições devastadoras para a flora, fauna e para as pessoas.

De acordo com o serviço de saúde do México, a estação quente que começou em março já causou um número alarmante de mortes. Essas mortes estão diretamente ligadas ao estresse térmico e à falta de água potável. A crise climática está evidenciando a necessidade urgente de ações tanto no nível local quanto global para mitigar os efeitos das mudanças climáticas e proteger os recursos naturais vitais.

Preocupação com o Futuro

A situação na lagoa Bustillos levanta preocupações sobre o futuro das regiões vulneráveis à seca. A diminuição dos níveis de água e a consequente concentração de poluentes não são problemas isolados, mas um reflexo dos desafios climáticos que muitas partes do mundo estão começando a enfrentar.

A proteção dos corpos d’água, o desenvolvimento de estratégias de gestão sustentável e a adaptação às mudanças climáticas são essenciais para evitar que situações como a da lagoa Bustillos se tornem mais comuns.

Fonte: AFP

Sem avaliações ainda