Economia
Economia / foto: pexels

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou nesta quinta-feira (13/10) de uma série de sessões de reuniões ministeriais do G20, dando sequência à sua agenda de compromissos nas Reuniões Anuais do Fundo Monetário Internacional e dos Conselhos de Governadores do Grupo Banco Mundial (IMF World Bank Annual Meetings), em Washington. 

As quatro sessões desta quinta-feira se seguiram às duas primeiras, realizadas na quarta-feira (12/10), e trataram de sustentabilidade financeira, tributação internacional, regulação do setor financeiro e infraestrutura. O ministro Paulo Guedes forneceu e reiterou informações sobre os avanços do Brasil no âmbito das reformas estruturantes — incluindo os marcos regulatórios –, redução de impostos, combate à pobreza e economia verde e digital, entre outros pontos. 

Ainda nesta quinta-feira, Guedes participa do Early Warming Exercise, reunião de trabalho em que se discute os riscos para a economia mundial com base em relatório do Conselho de Estabilidade Financeira (do inglês, Financial Stability Board — FSB). A agenda do dia inclui também encontros bilaterais com a Argentina e com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Economia global 

No último compromisso da quarta-feira (12/10), o ministro participou das duas primeiras sessões de reuniões ministeriais do G20. Ministros de Finanças e presidentes de instituições financeiras que reúnem as principais economias do mundo debateram economia global e arquitetura financeira internacional, temas definidos como foco de atuação do G20 em 2022 — ano em que presidência do grupo está sendo exercida pela Indonésia. 

Presididas pela ministra de Finanças da Indonésia, Sri Mulyani, as sessões tiveram intervenções do ministro Paulo Guedes e do presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto. 

Guedes foi um dos primeiros a falar na sessão realizada durante o jantar (working dinner) oferecido pela ministra da Indonésia. No encontro foram debatidos a conjuntura e os riscos para a economia mundial. O ministro fez exposição sobre a relevância do Brasil no quadro atual da economia mundial e disse aos representantes do G20 que o país está apto a contribuir para a garantia da segurança alimentar e energética do mundo, e que está fazendo uma transição para uma economia digital e verde. 

Assinalou que o Brasil está fora de sincronia (“out of sync”) em relação a outros países, pois se encontra em uma trajetória de ascensão e crescimento econômico, com obediência às regras da responsabilidade fiscal, mesmo em uma conjuntura adversa marcada pela pandemia da Covid-19 e, mais recentemente, pela guerra entre Rússia e Ucrânia. 

O ministro citou números que demonstram a queda da inflação e do desemprego e confirmam o crescimento econômico, afirmando acreditar que o Brasil terá um crescimento de 3% esse ano e que deverá manter esse patamar por um longo período. Pontuou, ainda, que as mudanças regulatórias em setores como infraestrutura e energia resultaram em quase US$ 200 bilhões em compromissos de investimentos para os próximos 10 anos. Guedes mencionou também o trabalho realizado pelo país para o cumprimento dos requisitos para acessão à OCDE.