O Ouvidor do MP do Rio Grande do Sul, Mauro Henrique Renner, participou do encontro de forma remota

Foi realizada nesta quinta-feira (16/05), a abertura da 70ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional do Ouvidores do Ministério Público (CNOMP), no foyer do 9° andar do edifício-sede do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), no centro do Rio. Durante dois dias, representantes das Ouvidorias dos MPs de todo o país vão trocar experiências e debater questões relativas ao aperfeiçoamento do trabalho. A presidente do CNOMP, Jussara Maria Pordeus e Silva, abriu o encontro pedindo um minuto de silêncio em solidariedade às vítimas da tragédia no Rio Grande do Sul. O ouvidor do MPRS, Mauro Henrique Renner, participou do evento por videoconferência.

Na sequência, Jussara Maria Pordeus e Silva cumprimentou a todos os presentes e agradeceu a acolhida pelo MPRJ. “Esse é um evento de extrema importância. As ouvidorias devem estar sempre próximas do cidadão, promovendo o contato, ouvindo e encaminhando as demandas”, destacou.

“Com certeza esse será um evento muito produtivo, do ponto de vista de conhecimento, de trabalho. A Ouvidoria cumpre um papel muito relevante no Ministério Público, ela vem crescendo e sendo incorporada cada vez mais ao nosso cotidiano. E o desafio agora é aprimorá-la cada vez mais. A Ouvidoria é a porta de entrada, o primeiro contato do cidadão. Essa troca de experiências permite maior agilidade e melhor tratamento das notícias e comunicações, fazendo com que possamos qualificar o trabalho na ponta”, ressaltou o procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos.

O ouvidor do MPRJ, Augusto Vianna, ressalta que o CNOMP é um conselho que traz muita experiência e a diversidade do Ministério Público. “Com os Ouvidores aqui reunidos, conseguimos trocar experiências e adquirir novas perspectivas de como atender melhor o cidadão. Experiências que já foram feitas em Manaus, no Rio Grande do Sul, em São Paulo, por exemplo, nós conseguimos adaptar para o Rio de Janeiro, construindo novas ferramentas que permitem que o cidadão seja melhor atendido e compreendido pela Ouvidora e pela instituição”, diz Augusto Vianna.

A Ouvidora Nacional do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Ivana Cei, falou sobre a importância do encontro: “Eu acredito no trabalho coletivo, na união de forças, e o Ministério Público tem um papel fundamental. A sociedade quer ser ouvida, quer dialogar, e esse é nosso papel. Precisamos sair daqui com novas experiências, mas também com objetivos a serem traçados”, afirmou.

Em seguida, Cristina Ayoub Riche, fundadora da Ouvidoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e ex-presidente do Instituto Latinoamericano de Ombudsman- Defensores del Pueblo (ILO) falou sobre as experiências no Instituto. A última palestra do dia foi da juíza-ouvidora do Supremo Tribunal Federal (STF), Flávia Martins, que apresentou dados e a experiência de seu trabalho no STF.

Também participaram do encontro a ouvidora da Mulher do MPRJ, Dina Maria Velloso; a corregedora-geral interina do MPRJ, Márcia Pires; o membro auxiliar da Ouvidoria Nacional, Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto; o presidente da Associação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Amperj), Cláudio Henrique Viana; o vice-presidente do CNOMP, Humberto Alexandre Campos Ramos, entre outros.

Sem avaliações ainda