A inclusão social é uma importante ferramenta de participação e controle social, responsável por salvaguardar os direitos de todos os cidadãos e manter a democracia como um sistema político igualitário.

Ela é um conjunto de medidas para indivíduos excluídos das circunstâncias sociais, seja por deficiência física ou mental, cor, orientação sexual, gênero ou poder aquisitivo dentro da comunidade.

Portanto, o objetivo dessas ações é proporcionar a todos os cidadãos o acesso a bens e serviços como saúde, educação, emprego, renda, lazer, cultura, etc.

Qual a importância da inclusão social?

Em 1948, com a promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a liberdade e a igualdade entre os homens começaram a ganhar espaço para o debate e a reflexão contemporânea.

Com isso, o debate sobre a inclusão social é cada vez mais importante, fator que estimula as pessoas a renunciar às práticas excludentes e discriminatórias.

Dessa forma, a inclusão social é importante porque combate o isolamento social e democratiza diversos espaços e serviços para quem não pode utilizá-los.

Yabá Consultoria

A Yabá Consultoria é um bom exemplo de empresa que se preocupa com a inclusão social. Ela refere-se ao poder feminino e está diretamente ligada aos conceitos de concepção, geração e transformação.

Nas consultorias, concebem boas ideias e produzem bons projetos que ajudam a sociedade a prosperar e se transformar. Respeitam as diferenças e assumem que é possível impactar a vida de muitos com dedicação e trabalho de qualidade.

É como se fosse uma ponte conectando os setores público, privado e a sociedade.

O aprendizado contínuo os mantém engajados e com potencial para inovar. Entendem o poder de seus clientes de fazer um investimento social na sociedade e que trabalham para melhorar as políticas públicas locais, fortalecendo o diálogo democrático e estabelecendo uma base para o desenvolvimento da próxima geração.

Como elaborar um projeto de inclusão social?

Um projeto tem um começo e um fim e requer recursos específicos para alcançar resultados específicos.

No que diz respeito aos projetos sociais, eles nascem para resolver problemas e são responsáveis ​​por mudar a realidade de uma organização, estruturá-la e promovê-la.

Eles também são usados ​​para angariação de fundos para que os financiadores possam entender melhor as intenções da ONG, para que recursos serão usados, que tipos de atividades serão realizadas e que impacto terão nas comunidades alvo.

Antes de iniciar um projeto, além da existência de um plano estratégico e/ou plano de financiamento, a organização deve definir, claramente:

  • quais as necessidades e os requisitos que o projeto atenderá;
  • quais serão os executores e os beneficiários;
  • quais os recursos necessários;
  • qual a sua viabilidade (social e econômica);
  • quais metas deverão ser alcançadas.

A estrutura básica do projeto consiste em:

  • Descrição da organização: dados e histórico da entidade proposta, descrição dos projetos implementados e/ou em andamento, lista de parceiros e apoiadores.
  • Resumo: realizado depois do projeto finalizado. Deve conter as principais ideias.
  • Contextualização: analisar a situação, história e status socioeconômico da comunidade alvo. Use dados estatísticos ou de referência.
  • Justificativa: por que o projeto existe e deve ser aprovado e o nível de importância do projeto.
  • Objetivos: gerais e específicos, relacionados à lógica e aos resultados esperados.
  • Descrição do público-alvo: descreva a quem o projeto atende direta e indiretamente. Número de beneficiários diretos e indiretos.
  • Tabela de Objetivos: relacionada aos objetivos específicos, ações e resultados que definem o impacto do projeto. Devem ser acompanhados de indicadores quantitativos e qualitativos.
  • Metodologia: como o projeto será executado e quais modelos sociais ou tecnologias serão utilizadas. Como monitorá-lo e avaliá-lo.
  • Equipe Executiva: a equipe profissional responsável pela execução e monitoramento do projeto e como essa equipe irá trabalhar.
  • Parceiros: quem apoiará o projeto ou a agência.
  • Plano de execução: ações agendadas por prazo.
  • Orçamento: deve ser objetivo e claro, baseado nas circunstâncias do financiador.

Com essas informações estruturadas, o projeto está pronto para buscar parceiros, apoiadores, voluntários, recursos e começar com boas chances de sucesso.

Por mais bem intencionada que seja uma ONG, suas ideias devem ser divulgadas na forma de projetos, para que possam ser documentadas e estruturadas.

Isso garantirá que os resultados desejados possam ser alcançados com alta qualidade e eficiência, a fim de que ações e recursos possam ser gerenciados.

Alguns projetos de inclusão social feitos pelo SENAI

Além de suas conquistas no sistema educacional, o SENAI desenvolveu programas de acessibilidade e tecnologias assistivas para ajudar pessoas com deficiência a alcançar maior autonomia e melhor qualidade de vida.

Essas iniciativas são desenvolvidas por professores e alunos dentro da sala de aula.

Confira alguns desses projetos:

  • Próteses de mão para ajudar as crianças a recuperar o movimento

Uma mão robótica feita em impressora 3D pode melhorar a qualidade de vida de crianças que perderam a maior parte de seus membros por acidentes ou deformidades. O aparelho é bem mais barato que as próteses tradicionais.

  • Qualificações profissionais para pessoas com deficiência

O projeto Construir proporciona qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho para pessoas com deficiência e recuperadas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), além de oportunidades para empresas de construção civil se adequarem à legislação sobre aprendizagem industrial.

  • Máquina de costura adaptada

Alunos criaram uma máquina de costura para pessoas com deficiência. A tecnologia possui uma configuração eletromecânica que pode ser instalada em equipamentos com motor elétrico convencional com embreagem mecânica ou acionamento direto, sendo este último um motor elétrico de acionamento direto.

O dispositivo é um pequeno controle analógico, semelhante a um joystick (controle) usado em videogames, conectado a uma placa receptora de sinal que traduz os movimentos do operador em micro movimentos realizados por um motor de passo, que é conectado ao motor da máquina de costura.