Um estudo publicado na Nature Astronomy por Profs. Shen Laiquan, Bai Haiyang, et al., do grupo do Prof. Wang Weihua no Instituto de Física da Academia Chinesa de Ciências, esclareceu os efeitos respectivos da irradiação e dos impactos na formação de nanopartículas de ferro metálico (npFe0) na lua.

As npFe0 são amplamente distribuídas na lua, e sua acumulação altera o espectro óptico da superfície lunar ao longo do tempo. O estudo mostrou que a formação de npFe0 pequenas e grandes com efeitos ópticos distintos é controlada independentemente pela irradiação do vento solar e pelos impactos de micrometeoritos.

As npFe0 são produtos do intemperismo espacial, que inclui dois agentes principais: impactos de micrometeoritos e irradiação do vento solar. No entanto, os papéis específicos desses dois agentes na formação de npFe0 de diferentes tamanhos não eram bem compreendidos antes deste estudo, dificultando nossa compreensão das variações de cor da superfície lunar em ambientes espaciais complexos.

“Descobrimos que os grânulos de vidro no solo lunar da missão Chang’e-5 conseguem preservar partículas de ferro de diferentes tamanhos, de cerca de 1 nanômetro a 1 micrômetro”, disse o Prof. Bai.

Este estudo revelou a presença de numerosas npFe0 grandes discretas, com dezenas de nanômetros de tamanho, que tendem a se concentrar nas extremidades dos grânulos de vidro. Esses resultados enfatizam que a irradiação do vento solar é o principal motor das pequenas npFe0 observadas.

Os cientistas identificaram abundantes npFe0 pequenas, de vários nanômetros de tamanho, que povoam densamente as superfícies dos grânulos de vidro. Essas pequenas npFe0 exibem características de distribuição semelhantes aos danos causados por vesículas induzidas por irradiação.

O estudo demonstra que a irradiação do vento solar e os impactos de micrometeoritos desempenham papéis importantes, mas distintos, na formação de npFe0. O crescimento independente de npFe0 pequenas e grandes revelado nesta pesquisa coincide bem com muitas medições de sensoriamento remoto, fornecendo insights valiosos para entender e prever as propriedades ópticas de corpos sem ar expostos a diferentes ambientes espaciais.

Fonte: Adaptado de Zhang Nannan, Academia Chinesa de Ciências

Sem avaliações ainda