Passageiros do MetrôRio evitaram a emissão de 60 mil toneladas de CO₂ no último ano

O MetrôRio, que transporta diariamente milhares de passageiros, desempenha um papel fundamental quando o assunto é conscientização sobre as mudanças climáticas. Por ser movido a energia elétrica limpa e renovável, o sistema metroviário tem uma propensão natural à geração de benefícios de sustentabilidade, diferentemente de outros meios de transportes que utilizam combustíveis fósseis, cuja queima emite gases causadores do efeito estufa e aquecimento global, principalmente o CO₂ (gás carbono).

Em 2023, por exemplo, estima-se que a utilização do MetrôRio por cerca de 189 milhões de passageiros evitou o lançamento de mais de 60 mil toneladas de gás carbônico equivalentes na atmosfera. Esse cálculo foi feito pela empresa a partir de perspectivas de emissões geradas pelo sistema metroviário e outros modais da cidade e também de declarações de clientes da concessionária sobre qual transporte utilizariam, caso o metrô não existisse (dados obtidos através de pesquisa de qualidade de serviço realizada com usuários da concessionária no ano passado). E outra medida importante adotada entre 2022 e 2023, a empresa passou a contar com fornecimento de energia baseado em fontes renováveis alternativas, como energia solar, eólica e de biomassa.

“Diariamente, o metrô ajuda na construção de um mundo mais sustentável. A operação do sistema metroviário é fundamental para pensarmos o papel do transporte de alta capacidade na preservação do meio ambiente. São ganhos para a cidade do Rio de Janeiro e para toda a sociedade”, afirma o presidente do MetrôRio, Guilherme Ramalho.

A opção dos passageiros pelo metrô, um meio de transporte de massa e um aliado natural na luta contra as mudanças climáticas, contribui não só com a diminuição da emissão de gás carbônico, mas também com a redução de tempo de viagem, de carros em circulação nas ruas, consumo de combustível, entre outros fatores. Para efeito de comparação, os modais ferroviários emitem em média 100 vezes menos gases que os rodoviários, segundo monitoramento de emissões de gases de efeito estufa da cidade do Rio, realizado pelo Instituto Pereira Passos, referente ao período de 2012 a 2021.

Diante desse cenário, é preciso que a população tenha – cada vez mais – consciência sobre os efeitos das mudanças climáticas, estimulando assim o pensamento crítico para atuar, de fato, na mitigação dos impactos ao meio ambiente. Um bom caminho é optar pelo transporte público, especialmente o metrô.

Internamente, o MetrôRio tem como prioridade minimizar os impactos ao meio ambiente não somente com o cumprimento de legislações específicas, mas também com o aperfeiçoamento e desenvolvimento de soluções inovadoras de engenharia que unam sustentabilidade e eficiência. A concessionária vem buscando reforçar o compromisso com as próximas gerações, evidenciando a jornada de responsabilidade ambiental.