Pedra de âmbar

História da pedra âmbar

O âmbar é usado não apenas em joias, mas também é de interesse de muitos ramos da ciência. Algumas pedras de âmbar são de valor científico especial. São as chamadas inclusões – partículas de flora e fauna congeladas em resina fóssil. Essas pedras raras permitem que os cientistas não apenas vejam besouros e aranhas pré-históricos, mas também recriem a vida na Terra milhões de anos antes de nossa era. 

A pedra do sol, como o âmbar é geralmente chamado, na verdade não é uma pedra. Um fato bem conhecido: o âmbar é uma resina endurecida de antigas árvores coníferas. Às vezes, antes de endurecer, a resina líquida pegajosa encontrava plantas, insetos e até pequenos vertebrados em seu caminho. Eles ficaram para sempre atolados em resina e, graças à sua composição, permaneceram praticamente inalterados por milhões de anos. Esses “prisioneiros” enclausurados em âmbar são chamados de inclusões.

As inclusões podem ser de tamanhos diferentes, mas cada uma delas é valiosa, até mesmo uma bolha de ar. A maioria das inclusões tem apenas alguns milímetros de comprimento, mas existem “grandes” exceções. O comprimento máximo fixo da inclusão é de quatro centímetros. Por exemplo, âmbar com um lagarto inteiro foi encontrado na costa báltica da Polônia. O âmbar também pode contar sobre a vida dos mamíferos pré-históricos: pedaços de pele são frequentemente encontrados na pedra, que pertencia aos ancestrais dos esquilos ou toupeiras modernos.

Muitos insetos também foram encontrados no âmbar do Mar Báltico, que hoje não pode ser encontrado nas florestas do norte, mas apenas nas latitudes tropicais e subtropicais. Segundo os cientistas, a grande maioria das inclusões pertence à fauna moderna da Terra e pouco mudou nos últimos 40-50 milhões de anos. Mas seus habitats realmente mudaram drasticamente, indicando uma mudança no clima do planeta.

Propriedades curativas e mágicas do âmbar

O âmbar é uma das pedras preciosas da joalheria, cujo efeito benéfico no corpo humano foi confirmado. E se antes era misturado com água de várias maneiras (por exemplo, moído em pó) e esse líquido curativo era tomado, hoje o ácido succínico é preparado a partir dele. Este último é usado como um poderoso imunoestimulante que ajuda a combater a inflamação e o estresse severo.

Além da cura geral, a pedra de âmbar era usado para clarear os dentes, curar doenças do trato gastrointestinal, dores de cabeça e do sistema respiratório. Além disso, acreditava-se anteriormente que a pedra ajuda a melhorar o funcionamento da glândula tireoide. O colar de âmbar para bebês são usados para aliviar a dor da dentição, proporcionando o bem-estar e diminuindo o desconforto.

Propriedades mágicas foram atribuídas a pedra âmbar báltico, quase desde o momento em que os povos antigos começaram a usá-lo. Em muitos mitos e lendas, a pedra foi associada ao Sol. Aos olhos dos mágicos, o âmbar tinha um poder especial, no qual lagartos e insetos ficavam presos.

Acredita-se que o âmbar é capaz de trazer muita sorte ao seu dono, dotá-lo de vitalidade, vigor, fazê-lo “brilhar por dentro”. Uma pedra do sol aliviará a depressão, dará felicidade e amor mútuo, se os pensamentos de uma pessoa forem puros.

Quem se beneficiará com a pedra?

O âmbar é um elo único entre o passado e o presente, o guardião da memória de tempos distantes e quase inacessíveis ao estudo. É por isso que a pedra é considerada o talismã de maior sucesso para aqueles cuja vida e obra estão diretamente relacionadas ao estudo dos tempos passados ​​- arqueólogos, geólogos, professores de filosofia e historiadores. 

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.