PERÓ TERÁ REFORÇO NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Foto: Divulgação

Educação ambiental, para os estudantes de escolas públicas e particulares e para os banhistas e comerciantes da praia, será uma das prioridades da gestão da nova coordenadora do projeto Bandeira Azul na Praia do Peró, a bióloga Luisa Reith. Ela foi apresentada nesta quinta-feira aos membros do Conselho Gestor do projeto Bandeira Azul, integrado por representantes do município, do estado, de concessionárias e da sociedade civil.

Com grande experiência em educação ambiental, a nova gestora da Bandeira Azul do Peró começou a trabalhar na mesma semana em que a praia foi apontada como uma das dez melhores da América Latina em estudo divulgado pela renomada Rede Proplayas. Atenta às reivindicações da sociedade civil, Reith anotou todas as reivindicações e sugestões. Uma delas, inclusive, pedia mais ações de educação ambiental junto aos estudantes das escolas públicas e particulares do Peró.

Os programas de educação ambiental também serão levados para a praia, sobretudo na alta temporada do verão. Vão conscientizar os banhistas sobre os problemas causados pelo lixo na praia; animais na areia; e, os riscos de alimentar as gaivotas, além da proibição do som alto na faixa de areia. Durante o encontro, foi entregue um diploma aos Amigos do Peró pela luta do grupo na conquista e preservação da Bandeira Azul, selo internacional de qualidade ambiental. O diploma foi assinado pela Secretária de Municipal de Meio Ambiente, Rosalice Fernandes.

— A reunião foi muito produtiva, pois estavam lá os vários setores do poder público e da sociedade civil que reconhecem e trabalham pelo sucesso do projeto Bandeira Azul. Tivemos a sensação do comprometimento de todos com o programa – disse Marta Rocha, do Amigos do Peró, acrescentando que foi criado o comitê gestor da candidatura do Pontal do Peró para receber também a Bandeira Azul.

Durante o encontro, os diversos setores apontaram as prioridades para a orla do Peró. Pediram urgência para solução dos cães vadios que estão atacando banhistas na praia; ocupação irregular da areia, entre os quiosques, no espaço destinado ao público que prefere não usar os ombrelones, mesas e cadeiras dos quiosques; comércio fixo irregular na areia; e, invasão da orla por veículos. Também foi pedida a volta da passarela móvel para cadeirantes acessarem a areia.

Os representantes do Meio Ambiente explicaram que está em fase de licitação a compra de uma cancela para controlar o acesso à orla do Peró. Informaram também que a passarela para deficientes só é usada nos fins de semana de grande movimento no verão devido à complexidade para levá-la ao local. Prometeram reforçar a sinalização para desestimular a presença de animais na praia e evitar esportes nos horários proibidos.

— Foi um bom encontro de apresentação da nova gestora. Na verdade, as reivindicações apresentadas são antigas, mas saímos confiantes de que agora as soluções vão aparecer – disse, confiante, o biólogo Menezes, do grupo Amigos do Peró.

Sem avaliações ainda
Redação
Para falar conosco basta enviar um e-mail para redacaomeioambienterio@gmail.com ou através do nosso whatsapp 021 989 39 9273.