Uma pesquisa global divulgada nesta quinta-feira (20) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com a Universidade de Oxford e a GeoPoll, revelou que quatro em cada cinco pessoas querem que seus governos adotem medidas mais rígidas contra as mudanças climáticas. A sondagem, que envolveu 75.000 participantes de 77 países, representa 87% da população mundial.

Apoio Massivo à Ação Climática

O resultado principal da pesquisa indica que 80% dos entrevistados estão a favor de um aumento dos esforços nacionais para combater o aquecimento global. O desejo por ações mais enérgicas é particularmente forte entre os países mais pobres, com 89% apoiando políticas mais rigorosas. Nos países ricos do G20, o apoio também é significativo, com 76% dos entrevistados pedindo mais ações.

“Enquanto os líderes mundiais deliberam sobre os novos compromissos sob o Acordo de Paris até 2025, estes resultados são uma evidência clara de que há um suporte global para uma ação climática ousada”, comentou Cassie Flynn, diretora global do clima do PNUD.

Vozes dos Maiores Emissores

Mesmo nos maiores emissores de gases de efeito estufa, como China e Estados Unidos, a maioria das pessoas expressou apoio a ações climáticas mais vigorosas. Na China, 73% dos entrevistados querem que o governo aumente os esforços, enquanto nos Estados Unidos esse número é de 66%.

Em contraste, apenas 16% dos entrevistados na Rússia se mostraram a favor de uma rápida transição dos combustíveis fósseis para a energia limpa.

Apoio à Energia Limpa

A pesquisa também revelou um forte apoio à transição para energias limpas. Em 62 dos 77 países pesquisados, a maioria dos entrevistados é favorável a essa mudança. Na China, 80% querem um movimento rápido para a energia limpa, enquanto nos Estados Unidos, 54% apoiam essa transição.

Preocupações Crescentes com as Mudanças Climáticas

As preocupações com o aquecimento global estão em ascensão, com 56% dos entrevistados afirmando que pensam nas mudanças climáticas pelo menos uma vez por semana. Mais de metade (53%) relatou estar mais preocupada com o clima do que no ano anterior. Essa crescente preocupação é mais pronunciada em países como Fiji (80%), Afeganistão (78%) e Turquia (77%).

Por outro lado, países como Arábia Saudita (25%), Rússia (34%), República Checa (36%) e China (39%) apresentaram os menores aumentos nas preocupações climáticas.

Impacto nas Decisões de Vida

O estudo descobriu que as mudanças climáticas estão influenciando significativamente as decisões de vida das pessoas. Mais de dois terços (69%) dos entrevistados disseram que o aquecimento global afeta suas escolhas sobre onde viver, trabalhar e o que comprar.

A Lacuna de Percepção na Ação Climática

Apesar dessas crescentes preocupações, Achim Steiner, chefe do PNUD, alertou que a ansiedade climática nem sempre se traduz em ações concretas nas urnas ou nas escolhas de consumo. Ele destacou uma “lacuna de percepção” onde as pessoas sentem que, embora queiram agir, percebem que os outros não farão o mesmo, o que pode levar à inação.

Esta pesquisa destaca um desejo global por ações mais decisivas contra as mudanças climáticas. Com o apoio majoritário da população mundial, os líderes têm uma base sólida para intensificar os esforços no combate ao aquecimento global.

Fonte: ONU News

Sem avaliações ainda