InícioNotíciasPlaneta se aproxima de cinco pontos de inflexão ambientais que podem desencadear...

Planeta se aproxima de cinco pontos de inflexão ambientais que podem desencadear efeito dominó

Novo relatório internacional alerta para risco de mudanças incontroláveis caso não sejam tomadas medidas urgentes para reverter trajetória atual

O mundo chegou a um momento decisivo à medida que as ameaças dos pontos de inflexão do sistema terrestre se aceleram, segundo um novo estudo. O relatório Global Tipping Points Report é a avaliação mais abrangente dos pontos de inflexão já realizada e afirma que a humanidade se encontra atualmente em uma trajetória desastrosa.

O ritmo da eliminação progressiva dos combustíveis fósseis e o crescimento das soluções sem emissões de carbono determinarão agora o futuro de bilhões de pessoas. O relatório afirma que a atual governança global é inadequada para a escala do desafio e faz seis recomendações para mudar rapidamente de rumo, incluindo uma ação coordenada para desencadear pontos de inflexão positivos.

Um ponto de inflexão ocorre quando uma mudança desencadeia uma transformação rápida e irreversível, e os efeitos podem ser positivos ou negativos. Com base em uma avaliação de 26 pontos de inflexão negativos do sistema terrestre, o relatório conclui que a manutenção do status quo já não é possível, uma vez que já estão acontecendo alterações rápidas na natureza e nas sociedades, e outras estão para vir.

Com o aquecimento global aproximando-se rapidamente dos 1,5°C, é provável que sejam desencadeados pelo menos cinco pontos de inflexão na Terra, incluindo o colapso de grandes camadas de gelo e a mortalidade generalizada dos recifes de coral de águas quentes.

À medida que os pontos de inflexão do sistema terrestre se multiplicam, há um risco de perda catastrófica em escala global da capacidade de cultivar alimentos básicos. Sem ação urgente para interromper a crise climática e ecológica, as sociedades serão sobrecarregadas à medida que o mundo natural se desintegra. Alternativamente, uma ação global de emergência – acelerada pelos líderes reunidos agora na COP28 – pode aproveitar pontos de virada positivos e nos direcionar para um futuro próspero e sustentável.

O relatório afirma que políticas ousadas e coordenadas poderiam desencadear pontos de inflexão positivos em vários setores, incluindo energia, transporte e alimentos. Uma cascata de pontos de inflexão positivos poderia salvar milhões de vidas, economizar trilhões de dólares em danos relacionados ao clima e começar a restaurar o mundo natural do qual todos dependemos. O relatório foi produzido por uma equipe internacional de mais de 200 pesquisadores, coordenada pela Universidade de Exeter, em parceria com o Bezos Earth Fund.
 

“Os pontos de inflexão no sistema terrestre representam ameaças de uma magnitude nunca enfrentada pela humanidade”, diz Tim Lenton, professor do Instituto de Sistemas Globais de Exeter. “Eles podem desencadear efeitos dominó devastadores, incluindo a perda de ecossistemas inteiros e a capacidade de cultivar culturas básicas, com impactos sociais que incluem deslocamento em massa, instabilidade política e colapso financeiro. Mas os pontos de inflexão também oferecem nossa melhor esperança: precisamos priorizar e desencadear pontos de inflexão positivos em nossas sociedades e economias. Isso já está acontecendo em áreas que vão desde energia renovável e veículos elétricos até movimentos sociais e dietas baseadas em plantas. Agora é o momento de desencadear uma cascata de pontos de virada positivos para garantir um futuro seguro, justo e sustentável para a humanidade.”

Cooperação global

“Atualmente, nosso sistema global de governança é inadequado para lidar com as ameaças iminentes e implementar as soluções urgentemente necessárias”, afirma Manjana Milkoreit, da Universidade de Oslo. “Alguns pontos de inflexão no sistema terrestre têm grande probabilidade de serem acionados, causando impactos severos e desproporcionais dentro e entre nações. Isso proporciona um ímpeto urgente para fortalecer a governança de adaptação e perdas e danos, ajustando os quadros existentes e aumentando os recursos para lidar com as ameaças dos pontos de inflexão. Evitar essa crise – e fazer isso de maneira equitativa – deve ser o objetivo central da COP28 e da cooperação global contínua. Uma boa governança global pode fazer com que isso aconteça, especialmente ao acionar pontos de inflexão positivos.”
 

Steve Smith, da Universidade de Exeter, explica que, assim como nos pontos de inflexão do sistema terrestre, pontos de inflexão positivos podem se combinar para reforçar e acelerar uns aos outros. “Por exemplo, ao ultrapassarmos o ponto que torna os veículos elétricos a forma dominante de transporte rodoviário, a tecnologia de bateria continua a melhorar e a se tornar mais barata. Isso poderia desencadear outro ponto de inflexão positivo no uso de baterias para armazenar energia renovável, reforçando outro no uso de bombas de calor em nossas casas, e assim por diante”, fala Smith. “Muitas áreas da sociedade têm o potencial de serem ‘viradas’ dessa maneira, incluindo a política, normas sociais e mentalidades. A história humana está repleta de exemplos de mudanças sociais e tecnológicas abruptas. Aprendendo com esses exemplos, devemos direcionar nosso foco da mudança incremental para a ação transformadora – inclinando as probabilidades a nosso favor.”

O relatório também inclui seis recomendações-chave para reverter a tendência atual:

  • Reduzir gradualmente os combustíveis fósseis e as emissões provenientes do uso da terra agora, eliminando-os totalmente bem antes de 2050.
  • Reforçar a governança da adaptação e “perdas e danos”, reconhecendo a desigualdade entre e dentro das nações.
  • Incluir pontos de inflexão na Global Stocktake (o “inventário” climático mundial) e nas NDCs (os esforços de cada país para combater as mudanças climáticas).
  • Coordenar esforços políticos para acionar pontos de inflexão positivos.
  • Convocar uma cúpula global urgente sobre pontos de inflexão.
  • Aprofundar o conhecimento sobre o tema. A equipe de pesquisa apoia os apelos por um Relatório Especial do IPCC sobre pontos de inflexão

“As mudanças climáticas são a questão definidora de nosso tempo; é essencial que avancemos na ciência dos pontos de inflexão globais para lidar com as ameaças e oportunidades que temos pela frente”, diz Kelly Levin, Chefe de Ciência, Dados e Mudanças Sistêmicas para o Bezos Earth Fund. “O caminho que escolhemos agora determinará o futuro da humanidade, e este relatório extraordinário apresenta os pontos de inflexão do sistema terrestre que precisamos evitar, a governança que precisamos implementar com urgência e os pontos de virada positivos que precisamos acionar para transformar nossa sociedade e o mundo. Resolver as crises climáticas e ambientais exigirá grandes transições em vários setores – desde mudanças na dieta até a restauração de florestas e a eliminação gradual do motor de combustão interna. Dada a escala necessária de ação, devemos visar os pontos de inflexão positivos mais benéficos para que a mudança se desencadeie de uma maneira que seja imparável.”

Redação
Redação
Para falar conosco basta enviar um e-mail para redacaomeioambienterio@gmail.com ou através do nosso whatsapp 021 989 39 9273.
RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments