Quais são os princípios que regem o marketing verde e exemplos

marketing verde

O marketing verde é um conceito relativamente novo, que envolve a promoção de produtos e serviços seguros para o meio ambiente. 

Para isso, ele inclui o desenvolvimento, fabricação, promoção, distribuição, consumo e descarte dos produtos e serviços de forma sustentável, com objetivo de minimizar os danos causados à natureza.

Desta forma, a comercialização da oferta da empresa é feita com base nas vantagens ambientais. As atividades podem incluir ajuste do produto, mudança no processo de produção e na publicidade, além do uso de embalagem sustentável.

O objetivo principal é reduzir os efeitos adversos dos produtos e o consumo e descarte no meio ambiente. 

Isso significa que os produtos e serviços são ecologicamente corretos, ou produzidos de maneira ecologicamente correta, o que não prejudica a natureza.

Como funciona o marketing verde?

O marketing verde começa com a empresa implementando métodos de negócios sustentáveis, sendo reconhecida por meio de auditoria contábil e corporativa.

No entanto, se não houver alinhamento entre a missão, as falas e as práticas de forma clara, as organizações correm o risco de serem rotuladas como desonestas. 

Desse modo, é muito importante que as práticas de negócios correspondam às mensagens de marketing verde e que essa seja uma causa real para a instituição. 

Isso significa que eles devem garantir que estão praticando o que estão pregando. A autenticidade é vital no marketing verde.

A empresa pode optar por se concentrar em como os produtos são feitos de material reciclado, como são projetados para serem reciclados ou reutilizados, em conjunto com o uso de embalagens biodegradáveis ​​ou uma combinação dos três.

Também é bastante comum encontrar grandes corporações que participam de vários programas, cuja missão é aumentar a reciclagem em toda a empresa, diminuir o descarte de resíduos e apoiar iniciativas comunitárias.

O mix de marketing verde

O declínio de recursos naturais preciosos forçou os profissionais de marketing a lançarem um novo mix de marketing que preserve os recursos verdes e, ao mesmo tempo, traga produtos e serviços de valor agregado para os consumidores. 

Essa faceta é considerada muito importante devido ao aquecimento global, à destruição da camada de ozônio, ao desgaste dos recursos naturais e à necessidade de produtos seguros e saudáveis.

O mix de marketing verde tem como base o próprio mix de marketing tradicional, sendo composto por 7 elementos apresentados a seguir.

  1. Preço

Bens ou serviços não devem ter preços muito altos, isto é, eles devem estar dentro do alcance dos consumidores – mas alinhados à produção e demanda. Contudo, cabe considerar que há exceção quando tiverem um valor extra, como:

  • Apelo ecológico;
  • Design sustentável;
  • Melhor desempenho energético; 
  • Sabor natural.

Assim, mesmo que haja um custo um pouco mais elevado em alguns casos, as pessoas se sentem incentivadas a comprar bens ou serviços verdes, tendo como base o estímulo da causa e a consultoria de contabilidade para garantir o lucro saudável empresarial.

  1. Produto ou serviço

Os produtos verdes podem ser definidos como bens que têm um impacto menos prejudicial ao meio ambiente. 

Além disso, os produtos verdes devem ser produzidos de forma a economizar recursos e gerar subprodutos menos nocivos. 

Por conta disso, esses itens não devem apenas reduzir os efeitos nocivos sobre o meio ambiente, mas ao mesmo tempo ser capazes de satisfazer as necessidades e desejos dos consumidores.

  1. Embalagem 

A embalagem pode ser definida como atividades feitas para proteger as mercadorias de danos e ajudar no transporte.

A embalagem de um produto não deve ser prejudicial ao meio ambiente, assim como ao próprio produto.

  1. Distribuição

Para realizar bem o marketing verde, as organizações devem garantir que o canal de distribuição não tenha um impacto negativo ao meio ambiente. Para isso, o canal de distribuição deve conferir uma boa imagem da organização.

  1. Promoção

A promoção verde deve ter uma abordagem amigável no que diz respeito ao uso de materiais, mão de obra e outros recursos. 

As alegações devem ser honestas, verdadeiras e não enganosas e, por isso, as organizações devem escolher mídias verdes. 

Além disso, a agência de publicidade escolhida também deve compartilhar uma filosofia de marketing verde.

  1. Pessoas

Para se tornar uma empresa verde que desenvolve projetos de laudo técnico de inspeção predial, é importante que o líder se preocupe com o meio ambiente e com os problemas ambientais, bem como os impactos na comunidade como um todo.

Além disso, é preciso compartilhar essa preocupação com os funcionários, promovendo uma cultura voltada ao cuidado com o ambiente. 

Assim, é fundamental que os colaboradores tenham conhecimento sobre ecologia em todos os aspectos da produção e consumo para que o objetivo do marketing verde seja cumprido. 

Portanto, os funcionários devem ser educados sobre questões verdes. Por exemplo, os funcionários devem aprender regras e gestos simples, como usar menos papel, comunicar-se eletronicamente, entre outros aspectos, como reduzir o uso de água e energia elétrica.

  1. Serviço pós-venda 

Quando ocorre um problema com um produto, esse produto deve ser reparado e não substituído. No entanto, se o produto não puder ser reparado, ele poderá ser substituído e seus componentes devem ser direcionados ao descarte correto ou ao reaproveitamento. 

Ou seja, o produto quebrado deve ser enviado para reciclagem para que os materiais possam ser usados ​​para fabricar outros itens e produtos.

5 princípios do marketing verde

Aqui estão os 5 princípios do marketing verde e sustentável que se pode adotar em uma organização de forma estratégica para ter um melhor aproveitamento dessa linha de comunicação e publicidade:

  1. Marketing orientado ao consumidor 

O marketing orientado ao consumidor significa que a empresa ou organização vê as estratégias, ou seja, pensa nas ações de marketing considerando os interesses e o ponto de vista do consumidor.

  1. Marketing de valor para o cliente 

O marketing de valor para o cliente envolve colocar a maior parte dos esforços e recursos na melhoria contínua do valor agregado à oferta. 

À medida que a empresa cria valor para o cliente, este, por sua vez, cria valor para a empresa, tudo dentro de uma escala sustentável.

  1. Marketing inovador

O princípio do marketing inovador garante que uma organização nunca deixe de encontrar melhores formas de desenvolver produtos, serviços e formas de comercializar. 

  1. Marketing de senso de missão 

O marketing de senso de missão é o princípio que orienta uma empresa a definir um objetivo e causa amplos, e que fale com a sociedade e não apenas com o produto. 

Adotar uma missão ampla dá à empresa uma direção clara e de longo prazo, atendendo aos melhores interesses dos consumidores e da marca.

  1. Marketing social

As empresas inovadoras olham para os potenciais problemas sociais como oportunidades. 

Com o princípio do marketing social, a empresa equilibra as decisões com base nos desejos do cliente, nos requisitos da empresa e nos interesses de longo prazo da sociedade como um todo. 

Desse modo, o marketing sustentável vai além da preocupação com as necessidades e desejos da sociedade atual, mas se concentra no bem-estar de todas as partes interessadas e do mundo em geral.

Impacto do marketing verde na sociedade

O ecomarketing tem uma influência positiva nas pessoas, nas empresas e no meio ambiente, com grande incentivo aos esforços para a conservação ambiental e a qualidade social a longo prazo. 

Nesses tempos de mudanças por causa do avanço da tecnologia, as empresas estão interessadas em métodos de produção mais ágeis, com menos resíduos e qualificados para garantir produtos puros e mais ecológicos

Os consumidores também estão buscando produtos orgânicos livres de toxinas. Há uma redução significativa no uso de plástico e produtos que não se mostram recicláveis ou favoráveis à sustentabilidade. 

Em vez disso, as pessoas estão adotando o uso de produtos reutilizáveis ​​e embalagens sustentáveis. 

Os esforços de reciclagem também estão aumentando devido à conscientização dos consumidores sobre os benefícios para o ecossistema e o impacto nas necessidades junto a manutenção das demandas.

Portanto, os esforços de marketing verde estão dando frutos na promoção da sustentabilidade, de serviços contabilidade a linhas de produção sustentáveis e corretamente ecológicas.

História do marketing verde

Embora algumas considerações tenham sido dadas ao marketing verde na década de 1970, foi no final da década de 1980 que surgiu a ideia dessa linhagem de forma mais estruturada.

Tudo começou na Europa no início dos anos 1980, quando se descobriu que alguns produtos manufaturados eram prejudiciais ao meio ambiente. Desde então, o marketing verde passou por três fases.

O final da década de 1980 marcou a primeira fase do marketing verde, quando o conceito foi discutido pela primeira vez. 

A primeira fase foi denominada marketing verde “ecológico”. Ao longo desta etapa, todas as atividades de marketing buscavam oferecer soluções para os problemas ambientais. 

Os profissionais de marketing começaram a se entregar a diferentes formas de marketing verde para satisfazer as necessidades e desejos dos consumidores. 

Pensava-se que as pessoas comprariam produtos verdes e isso aumentaria a boa vontade da organização. Isso ajudaria a capturar uma fatia maior do mercado. 

No entanto, nada aconteceu como esperado. O motivo apontado para essa repercussão foi o greenwashing (falsa adesão de boas práticas).

Isso porque as empresas estavam apenas falando que eram verdes, mas a verdade é que não estavam praticando nenhuma ação relacionada à preservação ou ampliaram o que era feito de forma incorreta.

O marketing verde entrou na segunda fase quando os profissionais de marketing testemunharam a reação. 

A segunda fase foi denominada marketing verde “ambiental”. Durante essa fase, o foco mudou para a tecnologia limpa, que visava projetar itens que não prejudicasse o meio ambiente.

Já no início da década de 1990, as pessoas começaram a se conscientizar mais sobre a proteção e preservação do meio ambiente.

Com isso, muitos ficaram mais alertas sobre os problemas ambientais. Isso marcou a terceira fase. Este último foi denominado marketing verde “sustentável”. 

Como os clientes estavam comprando produtos e serviços menos prejudiciais ao meio ambiente, as organizações foram forçadas a mudar os comportamentos de venda e a realmente adotar boas práticas de preservação e de aproveitamento na produção, garantindo sua plena continuidade de atuação.

Conclusão

Para os empresários que se preocupam em criar um mundo sustentável, a poderosa ferramenta de marketing verde e sustentável pode melhorar as conexões com uma sociedade mais consciente e, dessa forma, impulsionar o sucesso junto ao mercado consumidor.

Para os consumidores, o marketing sustentável os educa e os capacita sobre maneiras de apoiar empresas e organizações sem fins lucrativos que compartilham a vontade de transformar o mundo em um lugar melhor e ter um melhor aproveitamento dos insumos e matérias-primas, promovendo uma coexistencia mais sustentável.

Com isso o marketing verde, quando feito de forma autêntica, une consumidores e empresas em direção a objetivos compartilhados e sucesso, tanto agora quanto no futuro, promovendo um bem-estar geral com a natureza.

Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.