Projeto ambiental busca colaboração da comunidade acadêmica

Coleta de lacres, tampinhas e blister tem também a função social de contribuir com o Hospital de Esperança

Matilde, com o cartaz, e Bruno, com a caixinha do projeto Lacres e Tampinhas de Esperança (Foto: Homéro Ferreira)
Matilde, com o cartaz, e Bruno, com a caixinha do projeto Lacres e Tampinhas de Esperança (Foto: Homéro Ferreira)

Estão sendo disponibilizadas esta semana no campus 2 da Unoeste caixas para recolher material reciclável do projeto de extensão Lacres e Tampinhas de Esperança. Também são fixados cartazes. A iniciativa dos alunos do Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, Matilde Barga, do mestrado, e Bruno Melo, do doutorado, está associada ao Programa Unoeste Sustentável. Também existe vínculo com projeto do mesmo nome, realizado pela Sabesp e com a destinação do dinheiro auferido para o Hospital de Esperança, em Presidente Prudente.

Alunos, professores e funcionários da universidade podem contribuir com tampinhas de plástico e não somente as de garrafa pet, mas todas que sejam rígidas; tampinhas metálicas de garrafas de cervejas e refrigerantes; lacres de bebidas em latinhas de alumínio; e blister, que são as cartelas de comprimidos. Como são materiais de reciclagem, a destinação correta representa importante contribuição para o meio ambiente. Inicialmente, a intenção de Matilde e Bruno é coletar o material depositado nas caixas a cada seis meses.

Apelo à contribuição

Dependendo do volume arrecadado, o prazo poderá ser reduzido. O início da ação será nos seguintes pontos: entradas dos Blocos B1, B2 (principal e da biblioteca) e B3 (principal e da Gastronomia) e no Bloco Q, onde fica o Centro Laboratorial. A Sabesp faz a venda do material a cada três meses. Desde 2021 até abril deste ano coletou 13.840 kg de lacres e tampinhas, que resultaram em R$ 27,2 mil. A arrecadação de blister foi iniciada recentemente. A estatal da água e esgoto desenvolve o projeto em 62 municípios de sua área de abrangência na região de Prudente.

As tampinhas e os lacres são vendidos para empresas prudentinas de reciclagem: Sucata do Gaúcho e Sucata do Boi. A venda de blister à Unicomper, indústria de União da Vitória (PR), especializada em produtos de PVC Wood (madeira plástica) para fabricação de batentes, guarnições e portas. Caso o projeto cadastrado na Pró-reitoria de Extensão e Ação Comunitária (Proext) tenha boa adesão no campus 2, existe a intenção de levá-lo para outros campi da Unoeste em Prudente, Jaú e Guarujá. Há um apelo para que alunos, professores e funcionários contribuam.

Está na Missão

Comprometimentos com questões sociais e ambientais estão alicerçados na Missão da Unoeste, com alcance na graduação e pós-graduação e assim formalizada: “A Universidade do Oeste Paulista tem como missão desenvolver a educação num ambiente inovador e crítico-reflexivo, pelo exercício das atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão nas diversas áreas do conhecimento científico, humanístico e tecnológico, contribuindo para a formação de profissionais cidadãos comprometidos com a responsabilidade social e ambiental”.

Sem avaliações ainda
Redação
Para falar conosco basta enviar um e-mail para redacaomeioambienterio@gmail.com ou através do nosso whatsapp 021 989 39 9273.