Quais os principais tipos de vinhos e como degustá-los da forma correta

Você sabe quais os principais tipos de vinhos e como degustá-los da forma correta? Pegue o seu Kit VInho Personalizado e venha descobrir tudo sobre os tipos de vinho e como degustá-los.

Tipos de vinhos

Antes de pegar seu Kit VInho Personalizado para fazer degustação, você precisa conhecer as cinco principais categorias de vinho. Descubra quais são elas, suas características e exemplos famosos.

Vinhos Brancos 

Os vinhos brancos são classificados como leves, médios ou encorpados. Os vinhos brancos leves tem como destaque a acidez, o aroma de frutas cítricas e baixo teor alcoólico. Como exemplo, podemos citar: o Vinho Verde, de Portugal, o Pinot Grigio, Italiano e o Moscato, brasileiro.

Já os vinhos brancos médios possuem aroma e sabores característicos devido a um leve contato com o carvalho. O exemplo de destaque é o Chardonnay, de origem francesa. 

E os vinhos brancos médios, possuem gosto de carvalho marcante, com um toque de amanteigado. Como exemplo, citamos o Borgonhas Cru Classés, o Bordeaux e os Chardonnays que ficaram maior tempo em contato com o carvalho.

Rosés

Os vinhos rosés também são leves ou encorpados. Os rosés leves têm coloração clara, são refrescantes e versáteis. Um exemplo são os rosés da Provença. Já os rosés encorpados possuem cores mais intensas, mais peso e maior teor alcoólico e o exemplo são os rosés da Espanha e Portugal.

Vinhos Tintos

Os vinhos tintos também podem ser leves, médios ou encorpados. Os tintos leves têm aromas de frutas, sabor discreto, aroma de madeira e acidez mais acentuada. Dois exemplos de tintos leves são o Beaujolais, feito da uva Gamay, e os Pinot Noir, que não entram em contato com madeira.

Já os tintos médios apresentam diversas opções. Possuem ao mesmo tempo características semelhantes e próprias. Como semelhanças, possuem sabor e aroma leve a médio de carvalho. O exemplo são os vinhos à base de Cabernet Sauvignon e Merlot, como os brasileiros.

E os tintos encorpados trazem boa dose de madeira, geralmente são envelhecidos e mais marcantes, graças a maior concentração de compostos, além do teor alcoólico mais elevado e coloração forte. Os exemplos são o americano Merlot, o Shiraz, da Austrália, o argentino Malbec, entre outros.

Espumantes

Os espumantes se distinguem pela fermentação. Os vinhos Asti apresentam gás. Os exemplos são os espumantes de Moscatel e os Asti Italianos.

Já os espumantes Charmat passam por duas fermentações em tanques de aço inox. Uma para criar a bebida em si e outra para produzir as bolhas características da bebida. Os espumantes brasileiros e os Proseccos italianos, são dois exemplos conhecidos.

O Champenoise, ou tradicional, possui o tipo de produção mais comum de espumante, criado na cidade de Champagne, na França. Também possui duas fermentações, mas a segunda ocorre diretamente nas garrafas, o que torna o aroma da fermentação mais acentuado.

Em contrapartida, podem ficar anos em descanso,  tornando este tipo de champanhe mais encorpado. Os exemplos são o Champagne, a Cava, de origem espanhola, e o italiano Franciacorta.

Vinhos Doces

A principal característica dos vinhos doces é o açúcar, o doce da própria uva, não adicionado. Uvas bastante maduras são utilizadas na produção do Late Harvest ou Colheita Tardia. 

Para ele, o ponto é essencial, pois a acidez na medida certa impede-o de ficar enjoativo. O exemplo é a produção chilena a partir da uva Riesling.

O Botritizado também é produzido com uvas sobre maduras, mas em lugares adequados e com condições climáticas apropriadas para o fungo nos cachos das uvas. 

O fungo Botrytis faz furos minúsculos na casca da uva. Dessa forma, parte da água evapora concentrando o açúcar da fruta, mantendo a maciez e desenvolvendo um aroma único. O exemplo é o vinho Sauternes, da região de Bordeaux.

Há ainda os vinhos Fortificados, considerados doce porque a fermentação é interrompida antes do tempo. Assim, o teor alcoólico fica mais elevado, parando as leveduras e deixando o vinho mais doce. O mais tradicional é do Porto.

O último grupo é formado pelos Vinhos Pacificados, produzidos com uvas maduras, colhidas e secas para concentrar o açúcar. Como exemplo, tem os vinhos da região italiana de Passito, como o Vin Santo, também italiano, e o francês Vin de Paille.

Como degustar um vinho?

Degustar vinho é uma maneira de ter um contato íntimo com a bebida. Pessoas que passam por esse processo são conhecidas como sommelier, ou seja, alguém que conhece as peculiaridades da bebida.

A degustação possui três etapas: análise visual, olfativa e gustativa. 

Análise visual

Nesta etapa, você observa a tonalidade do vinho, da borda do líquido até o centro, percebe o brilho do líquido e a presença ou não de sedimentos.

Análise olfativa 

Aqui, você deve analisar as notas aromáticas antes e depois do giro, para identificar se elas mudam (ou surgem) após a oxigenação.

Análise gustativa

Nesta última etapa, você avalia o corpo, o dulçor, a acidez, o amargor e o álcool da bebida.

Conclusão

Agora você conhece os cinco tipos de vinho e suas classificações e descobriu que degustar um vinho significa analisá-lo do ponto de vista visual olfativo e gustativo.
Portanto, pegue Kit VInho Personalizado e comece a treinar degustação e não esqueça de aproveitar um bom vinho!