Reino Unido pode liderar o caminho contra os combustíveis fósseis, revela estudo

A questão dos combustíveis fósseis, especialmente o petróleo e o gás do Mar do Norte, tornou-se um tema central nas eleições gerais do Reino Unido. Enquanto o Partido Trabalhista propõe o fim das novas licenças para exploração, os Conservadores defendem a continuidade dos leilões anuais.

Um estudo recente destacou que, para combater eficazmente a crise climática e limitar o aquecimento global a 1,5°C, não é necessário desenvolver novos campos de combustíveis fósseis. A análise indicou que os ativos já existentes são suficientes para atender à demanda global restante por energia, desde que se restrinja o aquecimento dentro desses limites.

O relatório ecoa um chamado anterior da Agência Internacional de Energia (AIE), reforçando que não há necessidade de novos projetos para atingir metas de emissões líquidas zero. Isso implica que os planos atuais do Partido Trabalhista, embora restrinjam novas licenças, poderiam ir além ao evitar completamente a expansão da infraestrutura de combustíveis fósseis.

Impacto e Implicações Políticas

A interrupção de novos projetos de combustíveis fósseis não só apoiaria metas climáticas globais como também impulsionaria normas internacionais contra a expansão dessas indústrias. Na Cúpula Climática COP28 em Dubai, em dezembro de 2023, os líderes concordaram em princípio com essa transição, mas compromissos específicos e imediatos são essenciais para garantir ação concreta.

Enquanto os compromissos de não novos combustíveis fósseis são mais transparentes e facilmente verificáveis, eles também reforçam a liderança do Reino Unido no cenário global de mudanças climáticas. Isso poderia desempenhar um papel crucial não apenas na redução das emissões domésticas, mas também no estabelecimento de um precedente para outras nações seguirem.

Progresso e Desafios Futuros

O Reino Unido já demonstrou liderança ao fundar a Powering Past Coal Alliance, que busca eliminar gradualmente o carvão. Expandir esses esforços para incluir petróleo e gás através de alianças como a Beyond Oil and Gas Alliance pode acelerar ainda mais a transição global para energias mais limpas.

A decisão de um futuro governo britânico em interromper novos projetos de petróleo e gás não apenas enviaria um sinal forte aos mercados globais, mas também restauraria a credibilidade do país como um defensor ativo do meio ambiente em um momento crítico.

Fonte: A Conversa

Sem avaliações ainda