Responsabilidade Social

As formas de se fazer negócios mudaram, adotando uma postura que exige uma maior responsabilidade social.

Muito se fala nos dias de hoje a respeito do rigor e nível de exigência dos clientes e a competitividade crescente no mercado como consequência disso. 

Não dá mais para vender só por vender, nem montar uma empresa visando apenas trazer benefícios jurídicos ou retornos financeiros para si mesmo apenas. Não existe uma grande empresa no mercado atual que não esteja atenta às regras de conduta vigentes no mundo.

As associações estão definindo de maneira cada vez mais completa os atributos de atuação e diálogo das suas atividades, de maneira que até mesmo a logomarca presente em um uniforme hospitalar deve comunicar a razão de ser da instituição.

Os empreendedores de primeira viagem que estão surgindo hoje não podem botar o pé na estrada sem primeiro entender que eles não estão apenas vendendo e pagando, recebendo e produzindo. Uma empresa, na verdade, possui um poder de influência na sociedade.

Mas, como enormes responsabilidades precisam ser friamente cobradas daqueles que detém grande poder, quanto maior for a empresa, maior será a sua responsabilidade social diante da sua atuação no mercado.

É por esta razão que uma loja de autopeças, até mesmo durante a realização de uma impermeabilização de estofados automotivos, precisa ter a consciência de que a sua entrega tem impacto nos gostos, hábitos e vivência diária do cliente com o produto.

Será necessário abordar neste texto o tema da responsabilidade social, o seu conceito, alguns exemplos dos seus diferentes tipos e a sua real importância para as empresas e a necessidade do seu uso ao relacionar-se com o mundo.

Conceito de responsabilidade social

O conceito de responsabilidade social está intimamente ligado às atitudes e práticas que organizações adotam, de maneira voluntária, e que procuram fazer a promoção do bem-estar social.

Uma empresa socialmente responsável é aquela que tem um padrão de gestão ético e coerente, fazendo o encaixe prático dos projetos que possuem o objetivo em comum pelo benefício da sociedade.

Assim, no momento em que uma oficina realiza um conserto de carro, os seus colaboradores precisam estar conscientes de que ali não houve uma simples troca de dinheiro e benefícios. Houve uma ação tanto de implicações privadas quanto públicas.

As consequências de um serviço bem ou mal feito por uma empresa podem ter efeitos tremendos na vida das pessoas, colaborando para a prosperidade ou a ruína de um indivíduo, grupo, instituição ou conjunto de pessoas.

A responsabilidade social age tanto no nível interno, que é aquele que engloba os funcionários e os indivíduos diretamente envolvidos na empresa, quanto o externo, que corresponde àquelas pessoas que se ligam indiretamente à organização.

Um exemplo da atuação no nível externo pode ser tanto a sociedade em geral quanto a comunidade em que a empresa está inserida.

Contudo, apesar de estar na maioria das vezes relacionada ao âmbito corporativo, esta prática pode também ser associada a atos de pessoas físicas ou jurídicas que possuem a capacidade de contribuir para uma sociedade melhor.

Em outras palavras, a responsabilidade social é uma atitude que todos os indivíduos podem e devem aderir, pensando no melhor para o próximo. 

De maneira geral, este termo pode ser classificado como o compromisso de refletir e agir a partir de um padrão ético nas relações, adotando hábitos em benefício comum. 

É muito importante que se ressalte que se trata de um ato voluntário. Assim, os projetos e decisões realizadas pelas organizações precisam ser feitos de maneira genuína, pensando no melhor para todos.

Assim, ao solicitar uma manutenção de ar condicionado industrial, um administrador não deve enxergá-la apenas no aspecto de custo, economia ou despesa, mas sim em um investimento para manter a integridade e a boa fama da companhia.

Pois a empresa que possui responsabilidade social sempre precisa visar a segurança e as boas condições de convívio de todos, incluindo os colaboradores, além das pessoas que fazem o contrato dos produtos e serviços.

Vale lembrar que essa espécie de valor precisa ser algo autêntico e voluntário, tendo que partir da empresa, e sem nenhum outro tipo de interesse que não seja o de realizar um impacto positivo ao seu redor.

Exemplos práticos

Ser uma organização socialmente responsável exige atitudes reais e concretas por parte da empresa. Não é suficiente apenas possuir um discurso bonito. 

Aliás, o mercado já está saturado desse tipo de coisa, que não representa algo precisamente bom.

Por isso, é necessário possuir atitudes verdadeiras que na prática denotem uma preocupação real com o próximo e que possam ser identificadas no dia a dia da empresa. Assim, entre os principais exemplos práticos, estão:

  • Doações para obras sociais;
  • Investimento na segurança do trabalho;
  • Preservação da estrutura do ambiente laboral;
  • Reduções dos impactos ambientais;
  • Interação com a comunidade local;
  • Criação ou contribuição com creches;
  • Ampliação das licenças maternidade e paternidade;
  • Promoção da diversidade nas contratações;
  • Acessibilidade para pessoas com deficiência;
  • Promoção da igualdade salarial.

Todas as empresas que estão crescendo precisam, mais cedo ou mais tarde, se preocupar e se preparar para aderir a todos esses ideais, e mais alguns outros.

Não importa se a empresa vende doces ou faz limpeza de carpete empresarial. A responsabilidade social é um olhar para a pessoa humana presente nas relações profissionais.

Tipos de responsabilidade social

São quatro as principais vertentes da responsabilidade social, com as suas diferentes particularidades próprias e maneiras de atuação, a saber:

  1. Responsabilidade Corporativa;
  2. Responsabilidade Empresarial;
  3. Responsabilidade Ambiental;
  4. Responsabilidade Individual.

A Responsabilidade Social Corporativa está relacionada às atitudes tomadas pela empresa para assegurar que os seus atos não proporcionarão um impacto negativo na vida de seus empregados ou colaboradores.

A segurança de um operário de obra durante o manuseio de uma pedra de construção ou a salubridade de um ambiente hospitalar ou de fornecimento alimentício são atribuições do dever que uma empresa tem do ponto de vista corporativo.

Porém, é essencial lembrar que não se trata somente de prestar serviços assistenciais, mas sim de ter uma gestão totalmente voltada ao procedimento ético, para que as pessoas sejam enxergadas como seres humanos em vez de apenas mais um número.

Já a responsabilidade empresarial é parecida com a corporativa em seu conceito. Entretanto, a segunda é mais abrangente.

Além de prezar pelo bem dos que estão no conjunto interno da empresa, a empresarial procura ampliar sua linha de atuação, considerando também a redução de impactos negativos das suas práticas nos grupos interessados na empresa e no resto da sociedade

É como uma marca de alimentos que decide totalmente a não fornecer os seus produtos com ingredientes industrializados, como conservantes, que venham a ser tóxicos à saúde de todos. Daí surgem alternativas como as especiarias orgânicas.

A responsabilidade ambiental busca suprir as necessidades não apenas dos funcionários e colaboradores e da população externa, mas também do meio ambiente. 

Conforme apresentado pelo Ministério do Meio Ambiente, a Responsabilidade social ambiental precisa estar relacionada às ações que preservam o meio ambiente e a políticas que possuam como um dos objetivos centrais a sustentabilidade.

Mais além do que isso, todas as pessoas são responsáveis pela preservação do meio ambiental, desde os governos e as empresas, até cada um dos cidadãos.

Por fim, a Responsabilidade Social Individual diz respeito a todos esses cuidados já mencionados e contidos em todas as outras categorias, mas que o indivíduo pode e deve se preocupar em realizar por si mesmo.

Importância da responsabilidade social

A expansão da tecnologia possibilitou que os públicos estejam cada vez mais bem informados acerca do que acontece no mundo. 

São muitos os que possuem opiniões formadas em relação à política, educação, e questões sociais evidentes no momento.

A acessibilidade a esses tipos de informação faz com que os grupos se tornem muito mais críticos, construindo assim novas demandas.

Acerca disso, é observado que cada vez mais os clientes cobram das empresas um posicionamento no que tange às questões que preocupam e envolvem a sociedade.

Conforme as pesquisas nacionais apontam, é grande o número dos consumidores brasileiros que escolhem comprar de empresas que têm valores de grande impacto social, cultural e ambiental. 

Por outro lado, são muitos os que consideram importante trabalhar em empresas que possuam um sólido programa de responsabilidade social, e sentem mais segurança em questões como garantia do recebimento de salário e asseguramento dos direitos.

Considerações finais

Não se abre uma empresa nem mesmo para ministrar curso manutenção em iPhone hoje em dia sem ter um olhar voltado para as responsabilidades que serão exigidas, e que vão muito além da troca de valores, da compra e da venda.

Este texto serviu para facilitar a compreensão do conceito de responsabilidade social, o motivo de sua importância ser maior do que os fatores econômicos que envolvem as relações profissionais e os principais tipos e exemplos mais comuns desta prática.

O mundo corporativo está mudando para melhor, por esta razão, as empresas que não se adequarem às novas exigências serão, pela seletividade natural do público e pela cultura das políticas públicas, derrotadas pelas organizações mais responsáveis.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.