continua após a publicidade

Até o início dos anos 2000, a Amazônia era conhecida por ser uma das regiões com menores índices de violência no Brasil. No entanto, recentes dados revelam uma preocupante transformação nesse cenário, impulsionada pela falta de oportunidades econômicas, pela presença crescente da ilegalidade e crime organizado na região. Atualmente, se a Amazônia Legal fosse considerada um país independente, ocuparia a alarmante posição de 4º lugar entre os mais violentos globalmente, ficando atrás somente de El Salvador, Venezuela e Honduras.

Essa informação faz parte do estudo Fatos da Amazônia, do projeto Amazônia 2030, uma iniciativa de pesquisadores brasileiros em prol do desenvolvimento sustentável da Amazônia. Em 2019, quatro dos dez municípios mais violentos do Brasil ficavam na Amazônia Legal. Entre os 100 mais violentos, 23 eram da região. A taxa de homicídios nos estados aumentou em mais de 100% desde os anos 2000, saltando de menos de 20 para mais de 40 por 100 mil habitantes, em 2017.

Em 2007, a taxa de homicídios na Amazônia igualou-se à média nacional, mantendo uma trajetória ascendente até atingir 43 homicídios por 100 mil habitantes, dez anos depois. Embora tenha havido uma queda após esse ano, a situação permanece alarmante. Em 2020, vários municípios da Amazônia Legal registraram índices superiores a 70 homicídios por 100 mil habitantes, sinalizando uma crise que demanda atenção imediata e efetiva.

Diante desse cenário crítico, é necessário que a comunidade global, governos e organizações não governamentais se envolvam ativamente na reversão dessa tendência preocupante. Ações coordenadas são essenciais para combater as causas fundamentais dessa crescente violência na Amazônia, como a falta de oportunidades econômicas e a presença da ilegalidade.

Para uma análise mais aprofundada e propostas de solução, acesse o estudo completo disponível em: Link

Sobre o Projeto Amazônia 2030 – O projeto Amazônia 2030 é uma iniciativa de pesquisadores brasileiros para desenvolver um plano de desenvolvimento sustentável para a Amazônia brasileira. Nosso objetivo é que a região tenha condições de alcançar um patamar maior de desenvolvimento econômico e humano e atingir o uso sustentável dos recursos naturais em 2030.

continua após a publicidade