Seis Espécies de Tartarugas na Austrália Enfrentam Extinção, Mas Medidas de Conservação Trazem Esperança

Seis espécies de tartarugas marinhas que habitam a Austrália estão classificadas como vulneráveis ou ameaçadas de extinção. No entanto, recentes esforços de conservação estão oferecendo novas perspectivas para a sobrevivência dessas criaturas ancestrais.

A Austrália, lar de diversas espécies de tartarugas marinhas, enfrenta um desafio crescente para proteger essas criaturas que estão sob ameaça significativa. De acordo com um relatório da CSIRO, seis espécies de tartarugas que vivem nas águas australianas estão atualmente vulneráveis ou ameaçadas de extinção devido a múltiplos fatores ambientais e humanos.

Espécies Ameaçadas

Entre as tartarugas marinhas da Austrália, a tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea), a tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) e a tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) estão listadas como ameaçadas de extinção. Além disso, as tartarugas-chata (Natator depressus), as tartarugas-verdes (Chelonia mydas) e as tartarugas-de-pente (Eretmochelys imbricata) são consideradas vulneráveis, podendo estar à beira da extinção.

Impactos das Mudanças Climáticas

As mudanças climáticas têm um impacto crítico sobre essas espécies. A temperatura do ambiente de incubação dos ovos é um fator determinante para o sexo das tartarugas marinhas. Temperaturas superiores a 31°C resultam em uma proporção significativamente maior de fêmeas, enquanto temperaturas abaixo de 28°C produzem predominantemente machos. Com o aumento das temperaturas globais, observa-se uma tendência preocupante: até 99% dos filhotes de tartarugas-verdes estão nascendo fêmeas em algumas regiões. Isso desequilíbrio pode ameaçar gravemente a futura reprodução e sustentabilidade das populações de tartarugas.

Além disso, o aumento do nível do mar e a intensificação de tempestades relacionadas às mudanças climáticas estão causando a erosão das praias e a inundação dos ninhos, comprometendo a sobrevivência das novas gerações.

Desafios do Desenvolvimento Costeiro

O desenvolvimento costeiro, incluindo a construção de portos e marinas, representa outro risco significativo para as tartarugas marinhas. O Plano de Recuperação do Governo Federal para Tartarugas Marinhas da Austrália destaca que áreas importantes de nidificação estão sendo perturbadas por essas atividades. A poluição luminosa desorienta os filhotes, dificultando sua jornada até o mar, enquanto a atividade humana e o tráfego de barcos aumentam o risco de colisões e a destruição dos habitats de nidificação.

Perigos do Plástico e da Pesca

As tartarugas-de-couro, conhecidas por seu grande porte e capacidade de mergulho em profundidades superiores a 1.000 metros, são particularmente vulneráveis à ingestão de plásticos, que muitas vezes confundem com suas presas naturais, como águas-vivas. Estudos indicam que uma única peça de plástico pode ter uma chance de 22% de ser fatal para uma tartaruga marinha.

A captura acidental em redes de pesca é outra ameaça crítica. A tartaruga-cabeçuda sofreu um declínio dramático em suas populações reprodutoras desde a década de 1970, em grande parte devido à captura em redes de arrasto de camarão.

Ação e Esperança na Conservação

Apesar desses desafios, há iniciativas promissoras em andamento. Em Queensland, a organização Aak Puul Ngantam (APN), junto com a Microsoft, implementou um sistema baseado em Inteligência Artificial para monitorar e proteger os ninhos de tartarugas contra predadores, como os porcos selvagens. Outro projeto, o Flatback Futures, trabalha com o governo da Austrália Ocidental para preservar as tartarugas-chata e seus habitats de nidificação.

O uso de dispositivos de exclusão de tartarugas em redes de pesca tornou-se obrigatório no norte da Austrália e em Queensland desde 2000, resultando em uma recuperação nas populações de nidificação de tartarugas-cabeçuda. Além disso, o Plano de Ação para Espécies Ameaçadas do governo australiano inclui técnicas inovadoras para o resfriamento de ninhos, ajudando a equilibrar os efeitos do clima nas tartarugas Olive Ridley não eclodidas.

Embora as tartarugas marinhas da Austrália enfrentem sérias ameaças, os esforços de conservação e a implementação de novas tecnologias oferecem esperança para o futuro dessas espécies. Combinando ciência, tecnologia e ação comunitária, é possível preservar essas magníficas criaturas para as próximas gerações.

Fonte: CSIRO. Seis espécies de tartarugas que vivem na Austrália estão vulneráveis ou ameaçadas de extinção, mas há esperança.

Sem avaliações ainda