Supermercados do rio de janeiro liberam entrada de pet

Cariocas que tiverem pet já podem fazer compras no mercado levando seu animalzinho de estimação.

Pois é, o Rio de Janeiro é a primeira cidade brasileira a ter a rede supermercadista pet friendly, de acordo com o Decreto 51.262 do prefeito carioca, Eduardo Paes, para a alegria de muitos tutores.

Porém, vale ressaltar que a iniciativa partiu da Asserj (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro), que criou e será responsável por emitir os “selos Super Pet” para os mercados que aderirem à medida e seguirem as regras do município.

Ou seja, é preciso que o mercado exiba na entrada o selo Super Pet, lembrando que nem todos os mercados irão aderir à iniciativa, e isso se deve , em grande parte, à falta de bom senso de muitos tutores.

Vale lembrar que, mesmo sendo lei que cães de raças notoriamente violentas e perigosas só podem ser levados aos parques, praças ou vias públicas, onde ocorra a presença de crianças ou pessoas indefesas, com a utilização de coleira, guia curta de condução, enforcador e focinheira, não é isso que vemos acontecer, com casos a todo momento de ataques e ferimentos graves por não cumprimento da lei.

Aumento da disseminação da cultura pet friendly

Lembrando que, mesmo antes da pandemia, o número de animais de estimação nos lares brasileiros já era significativo, desde então, esse número aumentou cerca de 30%. 

Segundo a Asserj, essa lei encontra justificativa, justamente, no aumento da disseminação da cultura pet friendly entre a população e o comércio em geral, e também na necessidade de se estabelecer critérios e parâmetros para a adaptação da cultura pet friendly ao exercício das atividades econômicas.

Dessa forma, a partir de agora os animais, devidamente acompanhados de seus donos, já podem circular pelo mercado, menos nas áreas de armazenamento, produção e manipulação de alimentos.

Porém, é preciso que os cães estejam usando, obrigatoriamente, coleira ou focinheira (cachorro de porte grande) e os gatos devem estar em caixas adequadas para o seu transporte. 

Também não é permitido oferecer água ou comida dentro do supermercado e os mercados precisam exigir dos donos certificado de vacinação e comprovante de vermifugação, além de garantir a limpeza do ambiente quando for necessário.

Aqueles estabelecimentos que quiserem poderão instalar áreas de recreação para os animais, desde que disponibilizem um ou mais empregados para tomarem conta.

Também precisam oferecer carrinhos específicos para carregar as compras e os pets simultaneamente, e acesso à água potável em ambiente específico.

Sem dúvida, uma medida muito importante que atende a uma parcela de consumidores que acabava tendo que deixar seu animal preso na entrada do mercado enquanto fazia suas compras, correndo o risco de ser roubado ou sofrer um acidente. 

Regras

Embora a entrada dos pets em mercados já seja permitida, no entanto, vale saber que o decreto da Prefeitura estabelece critérios e parâmetros para o funcionamento dos supermercados que estarão abertos aos animais. 

Primeiramente, a medida deverá ser informada de forma clara ao consumidor, por meio de aviso indicativo, que se trata de estabelecimento pet friendly (amigo dos animais domésticos), podendo estabelecer a identidade visual própria que o identifique.

Também fazem parte das normas estabelecidas, a necessidade do tutor apresentar certificado de vacinação e comprovante de vermifugação, o que não é opcional, e será exigido pelos mercados, que deverão manter os ambientes sob constante vigilância e higienização.

Poderão ser instaladas, a critério dos estabelecimentos, áreas de recreação para os animais, sob a supervisão constante de colaboradores, disponibilizar carrinhos específicos para carregar as compras e os animais e oferecer água potável em ambiente específico. 

Por outro lado, será proibido entrar com cães sem coleira ou focinheira (dependendo do porte), ou caixa adequada para transporte de gatos, e também não será permitido oferecer água ou comida dentro do estabelecimento.

No mais, claro, vale sempre deixar o bom senso falar mais alto, não é porque é permitido por lei, que se deva levar um cão não sociável ou desobediente a um ambiente com pessoas que estão ali para fazerem suas compras.

Lembrando que os cachorros também são permitidos nas praias da capital carioca, cuja lei prevê o uso da coleira, o recolhimento de fezes do animal e o certificado de vacinação, além da criação de uma faixa separada em que eles possam circular, porém, na prática, não é o que acontece, os animais costumam ficar soltos na areia, sem fiscalização.