Uma pesquisa do instituto britânico YouGov mostra que, aproximadamente, 48% das empresas no mundo estão optando por terceirizar (outsourcing), principalmente devido à falta de talentos em seus respectivos mercados. O significado outsourcing é “fonte externa” e, na prática, quer dizer: entregar um ou mais serviços para quem é especialista, uma vez que o assunto não é de domínio da empresa. O objetivo da ação: aumentar a qualidade do produto ou do serviço oferecido e, principalmente, reduzir a margem de erros, retrabalho e, claro, os custos.

E, por falar em gastos, todo empresário sabe que os dispêndios com TI são altos. Isso sem contar a falta de profissionais no mercado. De acordo com a Deloitte, 70% dos negócios pensarão em outsourcing, com soluções que vão desde gestão de ativos até treinamento aos usuários, locação de equipamentos, suporte técnico ou manutenção. “O outsourcing é considerado um investimento estratégico. E uma vez que estamos vivendo em tempos que exigem eficiência na gestão de custos, com análise pormenorizada de todos os dispêndios, soluções desse tipo promovem uma melhor saúde financeira para a organização”, explica Frederico Sieck, CEO da startup Koud, especializada em alocar profissionais e treiná-los em recrutamento técnico.

Importante ressaltar que a popularidade do outsourcing teve seu boom na pandemia de covid-19, quando muitas empresas foram forçadas a “ir para a nuvem” e, por isso, tiveram que terceirizar muitas das suas funções. Nesse sentido, a estimativa da Bloomberg é que esse segmento atinja um valor de mercado de US$ 620 bilhões até 2032.

Motivos para optar pelo outsourcing

Avaliando essa previsão, Frederico comenta que essa “corrida outsourcing, atrelada à contenção de gastos, deve-se a outros dois principais motivos que estão levando empresas a adotá-lo: o foco no core business e maior acesso a banco de dados, pelo fato de as empresas, como a Koud, por exemplo, já oferecerem material e profissionais prontos para o serviço.

“Para alcançarmos resultados, precisamos focalizar no que estamos fazendo e o mesmo se aplica a empresas. Neste sentido, o outsourcing é uma das ferramentas mais indicadas para alcançar esse propósito porque, ao terceirizar os serviços secundários, é possível se dedicar integralmente ao core business, aumentando a produtividade, melhorando o desempenho e conquistando mais rentabilidade”.

Outro viés é que o outsourcing está sendo visto como excelente ferramenta para acelerar o tempo de colocação (de seu produto ou serviço) no mercado. Ademais, como os riscos virtuais exigem dos gestores monitoramento contínuo e investimento para se manter longe das ameaças, o outsourcing vem sendo considerado “a chave” para que o negócio tenha ambiente tecnológico constantemente seguro e atualizado.

Exemplo

Tudo ocorre porque as atividades de tecnologia não têm ligação direta com o negócio propriamente dito, mas elas são fundamentais para a entrega de valor ao cliente. Vamos imaginar um e-commerce de eletroeletrônicos que faça a gestão de TI da loja internamente. Tal negócio tem que arcar com custos de transporte para a entrega, manutenção, funcionários contratados, demitidos e que pedem as contas, folhas de pagamentos, contabilidade, finanças, abastecimento, segurança e logística… Então, ao assumir as atividades que não são o seu core business e tentar ter o controle de tudo, é natural que ele perca tempo, dinheiro e qualidade na entrega das mercadorias. 

Nas palavras de Sieck, ao somar atribuições secundárias aos processos internos, é óbvio que essa empresa está perdendo dinheiro, tempo e qualidade na entrega: “O e-commerce de eletroeletrônicos deveria, idealmente, se concentrar em vender produtos eletroeletrônicos. E, ao fazer as contas do quanto se perde fazendo outras coisas que não sejam a razão de ser do negócio, é que muitos estabelecimentos, como este do exemplo, estão testemunhando a vantagem do outsourcing”.

A empresa Globalbot Tecnologia, plataforma de vendas e atendimento em canais de chat, contratou os serviços de outsourcing da Koud em fevereiro de 2022 por causa da velocidade de captação de profissionais, com o intuito de ampliar o time de tecnologia para evoluir com seus produtos. “Como todo trabalho de recrutamento, seleção e adaptação leva tempo em todas as etapas, nós preferimos contar com o serviço de uma empresa especialista no assunto”, explica Felipe Volpato, CEO da Globalbot.

O resultado, segundo Felipe, foi a redução de gastos de várias ordens: “Caso contrário, nosso time técnico teria que parar para fazer entrevistas com as pessoas, processo de avaliação, depois da contratação explicar as tarefas certinho… enfim, como a Koud já pré-seleciona os candidatos, nós não precisamos parar. Pelo contrário: foi possível dar continuidade nas ações, de forma imediata”.

Outra vantagem é que, como a contratação de especialistas para atuar internamente exige pagamento de obrigações trabalhistas e previdenciárias, quem terceiriza acaba ganhando com redução de custos, o que resulta na melhoria da eficiência de atividades de áreas de apoio, sem investimento de recursos.