A anterolistese é o deslocamento de uma vértebra sobre outra e é numerada até 5 graus, dependendo da distância do deslocamento (Grau I é o mínimo e grau 5 é o máximo).

Quando o deslocamento da vértebra ocorre para frente, ela é chamada de anterolistese e retrolistese para trás. Se deslizar demais, o osso pode prender a medula óssea ou os nervos.

Pode ser instável e causar estenose no canal e/ou dor lombar com movimentos ou ao ficar em pé.

Ocorre com mais frequência em segmentos lombares, especialmente nos últimos (L4-L5-S1). Embora também possa ocorrer no nível cervical.

Um dos tratamentos comuns é a fisioterapia para acalmar a dor, mas caso os sintomas sejam acentuados, o recomendado é proceder com uma cirurgia. O melhor é buscar um médico para avaliar claramente o seu caso.

Para ajudar você a entender mais sobre a anterolistese, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

Quais são as causas da anterolistese?

As causas da anterolistese são:

  • Problemas de nascimento (nas vértebras).
  • Espondilólise, especialmente em jovens.
  • Acidentes ou trauma vertebral.
  • Doenças degenerativas da coluna vertebral, como osteoartrite.
  • Doenças reumatológicas, como artrite reumatoide.
  • Infecções.

Quais sintomas a doença produz?

A anterolistese muitas vezes não produz sintomas e pode ser um achado casual. No entanto, pode produzir, dependendo de sua gravidade, os seguintes sintomas:

  • Dor lombar crônica.
  • Dor ciática, que começa na área lombar e pode se espalhar pela coxa, joelho e pé. É devido à compressão das raízes nervosas do nervo ciático que coleta a sensibilidade da perna. Às vezes, a dor se manifesta como um choque elétrico. A dor geralmente aparece em uma única perna, mas às vezes pode afetar ambas.
  • Se a raiz nervosa for significativamente comprimida, um déficit neurológico pode aparecer na perna, com perda de sensibilidade (formigamento ou anestesia) e fraqueza, o que pode dificultar sua mobilidade.
  • Estreitamento do canal lombar. Consiste em dor na parte inferior da área lombar, nádegas ou pernas, que aparece ao caminhar ou ficar em pé e que melhora ao sentar. É devido ao estreitamento do canal lombar, ou seja, o canal onde a medula espinhal está localizada. A dor geralmente afeta ambas as pernas. 
  • Dor ao levantar-se. Caracteriza-se por dor na região lombar inferior, associada ou não à perda de força em uma ou ambas as pernas ou coxas, o que causa dificuldade em se levantar de uma cadeira. Também está associado a fraqueza, alterações na sensibilidade (formigamento e anestesia) e perda de reflexos nas nádegas, face interna das coxas e/ou pernas ou pés e anestesia da área perineal (área entre a região genital e o ânus) consistindo em formigamento e falta de sensibilidade nela. Às vezes, é acompanhado por problemas para urinar (incontinência urinária, vazamento de urina ou retenção de urina).

Como é diagnosticado?

O diagnóstico da anterolistese requer um exame de imagem (raio-X da coluna vertebral, tomografia computadorizada ou ressonância magnética).

Qual é o tratamento para anterolistese?

O descanso relativo é necessário no momento da dor aguda da anterolistese.

Cronicamente, a perda de peso é recomendada em pacientes obesos, exercícios para fortalecer os músculos das costas e tomar analgésicos ou anti-inflamatórios para controlar a dor.

A cirurgia é recomendada quando a dor não se acalma com medicamentos, quando há compressão das raízes nervosas ou quando há sintomas que interrompem a vida do paciente. A cirurgia endoscópica de coluna tenta descomprimir a área para evitar danos à medula óssea, seja ou não acompanhada pela fusão das vértebras.

Considerações finais

Gostou de saber mais sobre a anterolistese? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.