Quando chega o momento da reforma em que precisamos comprar as tintas para parede, é sempre uma hora que pode dar dor de cabeça. Isso acontece porque os custos são altos e podem encarecer e muito a obra.

Além disso, existem muitos tipos de tintas diferentes, e cada uma delas possui um acabamento e uma durabilidade. Dentre outros fatores, ainda existem as infinitas marcas com qualidades diferentes de produto para confundir ainda mais.

Mas essa dor de cabeça pode ser evitada. As tintas ecológicas podem ser uma ótima alternativa para resolver todos esses problemas. Então, nos acompanhe nesta leitura e descubra mais sobre tintas ecológicas. Confira!

O que são tintas ecológicas?

As tintas ecológicas são tintas que usam elementos naturais para serem feitas. Elas utilizam ingredientes que possuem baixo teor de agressão ao meio ambiente, como argila, cola, água e amido de milho. 

Dentre os seus principais tipos, podemos citar as tintas ecológicas feitas com  elementos minerais, vegetais e também aquelas com insumos de animais.

Por isso, elas são muito mais baratas e fáceis de serem feitas. Também não possuem componentes sintéticos ou derivados de petróleo, o que pode ser extremamente prejudicial para o meio ambiente. 

Além do fato de serem mais baratas e mais amigas do meio ambiente que as tintas convencionais, as alternativas ecológicas não oferecem nenhum risco à saúde, pois não contém nenhum ingrediente tóxico.

Por fim, é um método de acabamento que possui um ótimo custo-benefício e também diminui a incidência de mofos e fungos nas paredes, protegendo-as de forma completa. Isso faz com que sejam uma alternativa perfeita para ambientes externos e que recebam muita umidade. 

Como fazer tinta ecológica em casa?

É possível fazer uma tinta ecológica em casa, utilizando poucos ingredientes. Para começar o processo de produção, é necessário água, cola, terra e pigmentos naturais. 

Em seguida, basta misturar a terra peneirada e sem nenhum outro resíduo orgânico, como galhos e folhas e a água até ter uma mistura homogênea. É necessário ir adicionando água aos poucos conforme as duas se misturam.

Depois, é só peneirar e acrescentar cola gradualmente, conforme a mistura acontece. O ponto da tinta vai conforme a sua necessidade, mas é importante ponderar para não ficar muito aguado. 

Caso queira uma tinta mais fina, basta peneirar mais uma vez e acrescentar água, por exemplo. A terra vai trazer cor à sua tinta, mas ela não é a única alternativa. Se você desejar outra cor para a sua tinta ecológica, é só acrescentar um pigmento natural da sua escolha. 

Dentre os pigmentos naturais utilizados para colorir as tintas ecológicas, podemos citar:

– Açafrão (laranja);

– Mostarda (amarelo);

– Espirulina (verde-escuro);

– Beterraba (vermelho);

– Carvão ativado (preto);

– Fruto de boldo (roxo);

– Abacate (verde);

– Hibisco (rosa).

Tinta ecológica x tinta comum

Como as principais vantagens das tintas ecológicas, podemos citar: 

  • Produção: o petróleo não é um elemento renovável, já a matéria-prima utilizada nas tintas ecológicas sim. 
  • Remoção: tintas à base de elementos naturais são bem mais fáceis de remover do que tintas à base de petróleo. 
  • Saúde: As tintas à base de petróleo são poluentes ao meio ambiente.
  • Alimentação: Podem ser utilizadas em contato com alimentos, como em embalagens, já que não prejudicam a saúde.
  • Qualidade: Muitas matérias-primas utilizadas na tinta ecológica, como, por exemplo, o óleo de linhaça, conseguem deixá-la com uma qualidade melhor do que as com base em petróleo.
  • Aplicação: As tintas ecológicas não impermeabilizam a parede, permitindo que elas respirem melhor e evitem fungos e mofos.

Por fim, é importante citar que existe uma alternativa sustentável e amiga do meio ambiente para as tintas convencionais, como as tintas à base de água. No entanto, elas não utilizam elementos 100% naturais.

Além disso, a cal, ingrediente muito utilizado durante as construções de casas e edifícios, já é uma tinta ecológica natural que ajuda a preservar a qualidade da parede.