Trabalhar nos EUA: Veja 6 profissões em alta para os brasileiros

Imagem: artursafronovvvv no Freepik

A terra das oportunidades tem atraído brasileiros com sua promessa de carreiras prósperas, salários competitivos e alta qualidade de vida.

Os Estados Unidos são um polo de oportunidades profissionais que se estendem por uma variedade de setores.

No entanto, o sonho americano não é facilmente alcançado.

Requer o visto apropriado, habilidades profissionais certificadas e domínio fluente do inglês.

Neste artigo, vamos explorar seis profissões em ascensão para brasileiros nos EUA.

Detalhando os pré-requisitos, expectativas salariais e orientações para garantir uma posição.

Acompanhe!

6 profissões em alta nos EUA

1. Saúde

Com o envelhecimento da população e o constante requisito de cuidados médicos, os profissionais de saúde estão entre os mais requisitados nos EUA.

As oportunidades se estendem desde médicos e enfermeiros até fisioterapeutas, farmacêuticos, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais.

A entrada no campo da saúde requer formação acadêmica reconhecida, licença profissional do estado de prática e certificação de proficiência em inglês.

As demandas de visto também são rigorosas, requerendo o H-1B para profissionais especializados ou o J-1 para intercâmbio cultural e educacional.

O salário médio anual varia entre US$ 75 mil para enfermeiros e US$ 208 mil para médicos, conforme listado no Occupation Outlook Handbook.

Essas posições estão entre os empregos mais bem pagos da área da saúde nos EUA, o que torna a área uma opção realmente atrativa.

2. Tecnologia da informação (TI)

As carreiras em tecnologia da informação, como programadores, analistas, desenvolvedores, engenheiros, gerentes e consultores de TI, estão em franca expansão.

É necessário um background acadêmico na área ou experiência prática comprovada, além de proficiência em inglês e linguagens de programação.

O visto de trabalho também é um requisito, sendo mais comuns o H-1B para profissionais especializados ou o L-1 para transferência interna da empresa.

O Glassdoor lista os salários médios anuais na faixa de US$ 68 mil para analistas de TI a US$ 107 mil para desenvolvedores de software.

3. Engenharia

Os profissionais de engenharia também estão entre os mais requisitados nos EUA, principalmente pelo desenvolvimento econômico e da infraestrutura do país.

Engenheiros civis, mecânicos, elétricos, químicos, ambientais e industriais são algumas das carreiras em alta na área de engenharia.

Para trabalhar na área de engenharia nos EUA, é preciso ter uma formação acadêmica na área e um diploma validado pelo país.

Além do domínio do inglês e de outras habilidades técnicas.

Também é preciso ter um visto de trabalho específico, como o H-1B para profissionais especializados ou o E-2 para investidores.

Os salários na área de engenharia nos EUA variam segundo a especialidade, a experiência e a localização.

Segundo o site Occupation Outlook Handbook, a média salarial anual dos engenheiros civis nos EUA é de US$ 88 mil.

Dos engenheiros mecânicos é de US$ 89 mil, dos engenheiros elétricos é de US$ 101 mil, dos engenheiros químicos é de US$ 108 mil.

Já dos engenheiros ambientais é de US$ 92 mil e dos engenheiros industriais é de US$ 88 mil.

4. Logística

Com o avanço do comércio eletrônico e a consequente necessidade de transporte e distribuição, o setor de logística está em ascensão.

Profissionais como gerentes, analistas, coordenadores, supervisores e operadores de logística estão sendo cada vez mais requisitados.

Entrar nessa área requer formação ou experiência comprovada, proficiência em inglês e habilidades gerenciais e operacionais.

Além disso, é necessário o visto de trabalho H-1B ou o L-1.

O Glassdoor relata que a média salarial anual varia de US$ 32 mil para operadores de logística a US$ 66 mil para gerentes.

5. Turismo

A diversidade cultural e natural dos EUA e a retomada das viagens pós-pandemia tornam o setor de turismo um campo fértil para brasileiros.

Guias, agentes, consultores, gerentes e coordenadores de turismo são apenas algumas das posições em alta demanda.

O requerimento inclui formação acadêmica ou experiência comprovada na área, fluência do inglês e, para algumas posições, a fluência em outros idiomas como espanhol e francês.

Os documentos de visto de trabalho exigidos podem ser o H-1B ou o J-1.

Os salários variam de US$ 36 mil para guias de turismo a US$ 51 mil para gerentes de turismo, conforme listado no PayScale.

6. Pesquisa científica

Os EUA são conhecidos pelo investimento em inovação e desenvolvimento, tornando a pesquisa científica um campo promissor.

Pesquisadores, cientistas, professores, doutores e pós-doutores estão entre as carreiras mais requisitadas.

Um diploma avançado validado pelos EUA, proficiência em inglês e habilidades analíticas e criativas são necessários.

O visto de trabalho pode ser o H-1B ou o O-1 para indivíduos com habilidades extraordinárias.

Os salários variam de US$ 50 mil para pós-doutores a US$ 99 mil para cientistas, conforme o Occupation Outlook Handbook.

Dicas para conseguir trabalhar nos EUA

Quando se trata de entrar com sucesso no mercado de trabalho dos Estados Unidos, existem algumas estratégias essenciais a serem consideradas:

  • Prepare-se com antecedência

Comece pesquisando a indústria específica para a qual você está se candidatando. 

Descubra quais são as habilidades e qualificações mais valorizadas e desenvolva-as. 

Dedicar tempo para entender o mercado de trabalho pode aumentar suas chances de ser contratado.

  • Aprenda Inglês

Compreender e falar fluentemente inglês é crucial quando se trabalha nos EUA.

Muitos empregadores esperam que os funcionários se comuniquem efetivamente em inglês. 

Considere frequentar aulas de inglês ou aprimorar suas habilidades linguísticas para garantir a competência na língua.

  • Entenda o processo de visto

Identifique o tipo de visto de trabalho de que você precisa.

O tipo de visto pode variar dependendo da natureza do trabalho e do tempo que você pretende permanecer nos Estados Unidos.

  • Adapte seu currículo ao padrão americano

Currículos nos EUA são geralmente mais concisos e diretos ao ponto do que em muitos outros países.

Certifique-se de adaptar seu currículo ao formato americano, incluindo apenas as informações mais relevantes e mantendo-o breve e profissional.

  • Prepare-se para as entrevistas

As entrevistas de emprego nos EUA podem ser diferentes das do Brasil. Esteja preparado para perguntas comportamentais e situações hipotéticas.

A chave é demonstrar sua capacidade de resolver problemas e se adaptar a situações novas ou desafiadoras.

  • Construa sua rede de contatos

Networking é uma parte essencial da busca por emprego nos EUA.

Participe de eventos de networking, junte-se a organizações profissionais e esteja ativo nas mídias sociais profissionais, como o LinkedIn.

  • Respeite a cultura local

Cada país tem suas próprias normas culturais e sociais.

Esteja ciente das expectativas culturais nos locais de trabalho dos EUA e faça um esforço para se adaptar e respeitar essas normas.

  • Seja persistente

Encontrar um emprego nos Estados Unidos pode levar tempo.

Não desanime se não conseguir uma oferta de emprego imediatamente. Continue se candidatando e buscando oportunidades.

Essas dicas podem te ajudar a navegar melhor no mercado de trabalho americano e a maximizar suas chances de encontrar uma posição adequada.

Lembre-se, os Estados Unidos é um lugar de oportunidades, mas pode ser desafiador na maioria das vezes, por isso, paciência e persistência são fundamentais neste processo.

Conclusão

Trabalhar nos EUA não só representa uma chance de crescimento pessoal e profissional, mas também uma oportunidade de imersão em uma nova cultura.

Como visto, várias carreiras estão em alta para brasileiros, cada uma com seus requisitos e desafios.

Se o sonho americano está no seu horizonte, informe-se sobre as possibilidades, prepare-se para os requisitos e busque a vaga que melhor se alinha com suas aspirações.

Boa sorte em sua jornada!

Artigo anteriorPERÓ PEDE MELHORIAS EM DEBATE PARA DISCUTIR O PLANO VERÃO
Próximo artigoVeja 10 ideias de atividades para fazer com os filhos
Avatar
Estudante de marketing, redatora freelancer e fã de SEO. Amante da comunicação e de ajudar o público a ler boas matérias! E-mail: redatora.paula@gmail.com