Transição de carreira pode ser a solução para pessoas insatisfeitas com suas profissões

De acordo com o palestrante Alexandre Slivnik, existem técnicas que podem facilitar esse momento que, para muitos, é extremamente conturbado

Transição de carreira
Transição de carreira / foto: pexels

Muitas pessoas iniciam um curso na universidade, se formam e começam a trabalhar na área planejada. Mas, no caminho, alguns percebem que não se adaptaram àquela profissão e não estão satisfeitos em atuar naquele setor, seja por uma escolha profissional precoce, falta de perspectiva de crescimento na carreira, propósito, motivação ou, até mesmo, por algum fator externo.

De acordo com dados levantados pelo consultor Fredy Machado, cerca de 90% das pessoas estão infelizes em seus trabalhos e, mesmo diante desse cenário, muitos optam por continuar na área em que estão, mesmo que infelizes, para seguir cumprindo suas obrigações financeiras como aluguel, família ou qualquer outra despesa.

Para Alexandre Slivnik, vice-presidente da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), que realiza cursos e palestras há vinte anos, nesse caso, uma ótima alternativa para buscar a realização profissional é fazer uma transição de carreira. “Não se adaptar à sua área de atuação é muito comum e acontece com uma frequência maior do que imaginamos. O primeiro passo, nesse caso, é fazer uma autoavaliação sobre o momento da sua carreira. Entenda os motivos por não ter gostado dessa experiência e avalie como essa vivência pode colaborar para a sua nova escolha de profissão no futuro”, revela.

O palestrante acredita que é necessário ponderar se realmente é preciso fazer uma completa transição de carreira. “Nem sempre o descontentamento com um emprego é sinal de infelicidade com a profissão. Pode ser que a empresa não seja a ideal e uma mudança de ares já resolveria o problema. Também é possível levar em conta uma alteração de função, porque os cargos podem apresentar diversas possibilidades. Analise a situação friamente e entenda se o problema não pode ser resolvido de uma maneira menos radical”, pontua.

Caso a escolha por uma transição seja efetivada, é importante planejar os próximos passos e conversar com profissionais que atuam na área almejada. “Realizar um bom networking, ir atrás das pessoas que conquistaram aquilo que você quer conquistar e participar de eventos relacionados a essa área de atuação serão passos fundamentais para facilitar essa recolocação no mercado de trabalho”, relata Slivnik.

De acordo com o professor, a insegurança é comum nesse momento, mas deve ser superada em busca da felicidade profissional. “Não tenha medo de mudar. A nossa vida é feita de testes, erros, acertos e, quanto maior o número de testes e tentativas, maiores as chances de finalmente encontrarmos aquilo o que procuramos em nossos trabalhos e carreiras”, finaliza.