Porquinho de prata ao lado de moedas
Se atentar ao calendário é essencial para retirar valores esquecidos em outros bancos

Quem não gostaria de descobrir que possui uma quantidade específica de valores a serem recebidos? Um montante extra que lhe ajudaria a pagar suas contas, cuidar dos seus investimentos, ou até mesmo garantir um momento especial de lazer.

Como na confirmação daquela viagem em família que você adia há meses, enquanto tenta juntar dinheiro para realizar essa excursão coletiva. Bem, esse é o sonho de muitos brasileiros no momento, ainda mais no atual período de instabilidade econômica.

Resultado do demorado processo de reaquecimento do mercado comercial, que ainda se recupera dos efeitos da pandemia de covid-19, junto da crise nas relações políticas internacionais, que acabam por afetar do mais diferentes mercados, inclusive os nacionais.

Tornando dessa forma o trabalho de um serviço de contabilidade bastante complicado nos últimos meses, tendo que encontrar resultados positivos para garantir o funcionamento de um negócio, ou até para a manutenção do seu ciclo familiar.

Nesses casos, a presença de um dinheiro na poupança, ou qualquer tipo de reserva financeira pode apresentar uma grande ajuda, aliviando qualquer tensão financeira que pode estar relacionada à situação atual tanto de uma pessoa física como jurídica.

A questão é que de fato existe possibilidade uma boa parte dos brasileiros receber um valor que lhe pertence, e que não está dentro do seu nível de conhecimento. Como aquele dinheiro que estava guardado em uma conta ao qual um cliente não possui mais acesso.

Tratando-se de uma conta usada exclusivamente para receber o seu salário ao trabalhar em um grupo de empresas de sistemas, e que após o desligamento desse funcionário, ele opta por fechar tal conta, tendo esquecido de esvaziar o crédito antes.

Resultando assim em um dinheiro visto como perdido por parte deste cliente, que já não possui acesso à conta cancelada, impedindo dessa forma com que possa ser feito a retirada do valor que se encontrava disponível nessa poupança em particular.

E foi justamente visando esse tipo de situação, mais comum do que se pensa, que o Governo Federal desenvolveu um sistema capaz de servir como uma ponte entre os usuários e as instituições bancárias, ajudando no resgate desses valores associados.

Do que se trata o SVR?

O SVR, sigla para Sistemas Valores a Receber, trata-se de uma plataforma desenvolvida pelo Banco Central com o objetivo de ajudar com que os clientes que possuem algum tipo de contato com certas entidades bancárias consigam resgatar seus créditos anteriores.

Um montante financeiro que chega a marca de R$ 8 bilhões, a serem distribuídos para um conjunto de 28 milhões de pessoas. Tratando-se tanto de indivíduos físicos como pessoas jurídicas, que podem possuir algum tipo de valor a ser resgatado junto aos bancos.

Com tais valores podendo fazer uma boa diferença na sua avaliação patrimonial, a depender da quantia que pode ser resgatada por meio dessa plataforma, envolvendo o valor de crédito existente entre tais clientes e suas contas antigas associadas a um banco.

Incluindo aqueles que não possuem memórias se de fato existe um valor a ser resgatado por parte desse indivíduo, com a plataforma Valores a Receber trabalhando com um sistema de consulta aberto para todos os usuários, necessitando apenas dos seus dados.

E é justamente por causa desse amplo acesso que o sistema passou por grandes instabilidades logo em seu lançamento, no dia 24 de janeiro de 2022, ao contar com um número de acessos muito maior do que o esperado por parte do governo federal.

Com base nisso, foi desenvolvida uma plataforma exclusiva para o programa SVR, de forma a estar preparado para esses acessos em alta quantidade, sem prejudicar também outros sistemas a serem administrados pelo governo federal.

Um novo sistema foi disponibilizado ao público semanas após a data inicial de lançamento da plataforma, no dia 15 de fevereiro. Agora contando com um sistema ideal para tal número de acesso, com o auxílio adequado de serviços de informatica.

Com a parte do governo sendo resolvida, a maior dúvida em relação ao sistema partia agora dos próprios usuários, envolvendo o conhecimento deles sobre a sua situação financeira, ou seja, sobre quem tem direito a receber alguma parcela desses valores.

Para quem se destina o SVR?

Por mais que a consulta esteja aberta para todos os usuários, não são todos de fato que possuem direito a receber esses valores retidos junto às entidades bancárias. Com tais indivíduos se dividindo entre pessoas com:

  • Contas encerradas;
  • Cotas de capital não retiradas;
  • Recursos associados a cooperativas de crédito;
  • Retorno em cima de cobranças indevidas.

Questões que envolvem um número grande de pessoas, até mesmo aquelas que faleceram, cabendo aos parentes entrarem em contato com tais agências bancárias para receber tais valores, contando com o apoio de um advogado direito do consumidor.

E para realizar esse tipo de consulta junto à plataforma SVR só é preciso seguir uma série de passos como:

Acessar o site correto

É comum que existam golpes na internet, principalmente envolvendo sistemas do governo, que diante da necessidade do público em acessar tais sites, pode acabar por clicar em endereços duvidosos, capazes de roubar os dados desses indivíduos.

O site correto em relação ao sistema Valores a Receber é o https://valoresareceber.bcb.gov.br/, sendo possível consultar nessa plataforma se existe algum dinheiro a ser resgatado, independentemente do seu valor.

Dados necessários

Para fazer essa consulta, a plataforma necessita de poucos dados nesse momento inicial. Especificamente do CPF e da data de nascimento desse indivíduo. No caso de uma pessoa jurídica, os dados requisitados são o CNPJ da empresa e a data de abertura dela.

Envolvendo assim tanto o dinheiro a ser recebido por uma pessoa física que fechou alguma conta com valores ali presentes, ou então um escritório de soluções ambientais a receber a devolução de um pagamento feito em cima de algum débito indevido.

Calendário de pagamento

Logo após o preenchimento desses dados, o usuário em questão receberá a resposta sobre a existência ou não de um valor a ser recebido. Caso essa devolutiva seja positiva, será informada uma data específica com o qual essa pessoa deve retornar à plataforma.

Para que assim seja possível para esse indivíduo dar continuidade ao recebimento da quantia a ser resgatada. Com a informação da data e do horário com que esse resgate deve ser feito, assim como o calendário de repescagem.

Recebi uma resposta positiva como prosseguir?

Após o usuário receber uma resposta positiva, informado que de fato existe alguma quantia a ser resgatada dentro desse sistema, tal indivíduo, seja como pessoa física ou jurídica, deve agir para garantir que o recebimento seja feito na data estipulada.

Nessa fase será necessário ter um conta gov.br. A mesma utilizada para acessar a serviços do governo, tais como:

  • INSS;
  • Comprovante de vacina;
  • Pagamento de tributos;
  • Agendamento de consultas públicas.

O maior diferencial está no nível dessa conta, sendo necessário contar com um perfil de nível prata ou ouro. Certificação essa que envolve a quantidade de dados a serem apresentados junto às plataformas do governo, garantindo maior segurança à conta.

Agindo de certa forma como um controlador de acesso, porém de origem digital, a permitir que somente esse usuário em questão tenha direito a acessar tal perfil.

A partir dessa liberação o usuário em questão visualizará o valor a ser recebido e a instituição por trás dessa devolução, sendo preciso apenas informar uma das suas chaves PIX, para que essa transferência seja feita em até 12 dias.

Junto a isso os órgãos do governo informam sobre a importância de ter atenção sobre os métodos de segurança que devem ser tomados por parte dos usuários, para que ele não caia em nenhum tipo de golpe.

Diante disso, o Banco Central informa que em nenhum momento entrará em contato com tais usuários por meio de canais diferenciados, como:

  • SMS;
  • E-mails;
  • WhatsApp;
  • Telegram;
  • Redes sociais.

Com qualquer tipo de comunicação sendo feita com o usuário, sendo realizada diretamente por meio das instituições bancárias, e somente caso exista algum problema. O que será sinalizado no próprio sistema SVR.

A partir desses passos é possível para um indivíduo físico, ou para uma empresa que atua com o serviço de calibração, resgatar qualquer tipo de valor a ser recebido através das instituições bancárias, ao usar desse sistema do governo como uma plataforma de acesso.

Servido assim como uma ponte entre os bancos e os seus amigos clientes, por meio de um programa geral de restituição, a ajudar com que as relações comerciais sejam de fato finalizadas entre um cliente que fechou sua conta há meses ou anos em um banco.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.