continua após a publicidade

De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pela empresa de meios de pagamento Cielo (BVMF:CIEL3), as vendas do varejo nacional subiram 1,2% em termos deflacionados sobre março de 2022. O indicador ICVA de março também apontou crescimento nominal de 7,3% nas vendas do período.

Por setores, as vendas de serviços encolheram 2,6% desconsiderando a inflação, enquanto bens duráveis sofreram queda de 6,2%, com destaques para recuos em materiais de construção e vestuário. Por outro lado, os bens não duráveis tiveram alta de 6,7% nas vendas deflacionadas em março sobre um ano antes.

O vice-presidente de produtos e tecnologia da Cielo, Carlos Alves, afirmou em comunicado que “o segmento de Drogarias e Farmácias foi um dos mais importantes. Acreditamos que tenha ocorrido uma antecipação de compras em março por causa da alta de preços prevista para abril”.

O ICVA é calculado mensalmente com base em dados de vendas de 1,1 milhão de varejistas credenciados à Cielo. As vendas do varejo nacional são um importante indicador da atividade econômica do país, e os dados divulgados pela Cielo mostram que, apesar das oscilações nos diferentes setores, as vendas em geral apresentaram um crescimento em março.

continua após a publicidade