Crédito: iStock

Atualmente, é muito difícil irmos para qualquer lugar e não encontrarmos ao menos um sinal de Wi-Fi para conectar. Essa é uma tecnologia que se tornou amplamente massificada por ser o principal meio de as pessoas se conectarem à internet.

A partir dela, é possível realizar praticamente qualquer coisa, desde jogar online até mesmo comprar uma passagem aérea para Santa Catarina, que, aliás, nesta época do ano, é maravilhosa. Mas o Wi-Fi contém diversos segredos guardados também, que apostamos que você nem sabia.

Pensando nisso, separamos aqui algumas curiosidades sobre esta ferramenta, que está tão presente em nossas rotinas. Então, vamos lá?

O primeiro modelo de Wi-Fi foi testado em 1971

Isso aconteceu no Havaí, em 1971, quando as companhias norte-americanas NCR e AT & T testaram uma tecnologia de comunicação que permitia a troca de dados sem fio, chamada de WaveLAN.

A primeira versão do Wi-Fi como conhecemos viria somente em 1997, quando o Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) liberaria o padrão IEEE 802.11, que seria rebatizado em 1999 para o nome que conhecemos atualmente.

Qual a origem do nome Wi-Fi?

Em 1999, a Wi-Fi Alliance, um consórcio regulamentador do uso deste padrão no mundo, rebatizou a tecnologia, entre várias outras alternativas para rebatizar a tecnologia. Apesar de ser semelhante ao termo Hi-Fi, relacionado com qualidade de áudio e que significa High Fidelity, o nome atual é totalmente original.

Mas na mesma época, também estavam na disputa os nomes WECA, WaveLAN e Flank Speed, e quase que teríamos o nome de DragonFly para essa tecnologia tão importante.

Uma atriz de Hollywood estava envolvida com a sua criação?

É verdade, mas não diretamente. Hedy Lamarr, famosa atriz dos anos dourados do cinema norte-americano, também era uma inventora excepcional. Ela realizou estudos dos quais se originou o sistema de comunicação via rádio.

Juntamente do compositor George Antheil, ela desenvolveu e patenteou um conceito que anos mais tarde seria útil aos aliados durante a Segunda Guerra Mundial, e anos depois, ajudaria a dar origem ao Wi-Fi.

De onde veio o logo usado para simbolizar o Wi-Fi?

O logotipo que conhecemos do Wi-Fi foi inspirado no Yin e Yang do taoísmo, e faz referência à universalidade de compatibilidade da tecnologia por qualquer dispositivo de emissão recente ou um receptor com 10 anos. Desta forma que foi originado o design.

Eletrodomésticos interferem no sinal?

Todo o equipamento que emite ondas eletromagnéticas pode interferir diretamente no seu sinal de Wi-Fi, desde micro-ondas até babás eletrônicas; portanto, o ideal é que o roteador não seja posicionado perto destes objetos.

Existe diferença entre o Wi-Fi 5 GHz e o 2,4 GHz?

Existe uma mudança crucial entre as duas, pois a 5 GHz tem o sinal com a frequência mais alta, podendo levar mais dados em um tempo relativamente menor. Enquanto isso, a 2,4 GHz não é tão forte, reduzindo sua capacidade de carregamento de troca de informações entre roteador e dispositivo, porém a sua área de alcance é muito maior.

Posicionar o roteador em um local alto melhora o sinal

Quanto mais alto você colocar o seu roteador, melhor vai ser o seu sinal. Isso se deve às ondas emitidas pelo aparelho atuarem de frente para baixo, e quanto está em uma posição elevada, ocorre a diminuição de obstáculos, o tornando mais rápido. O ideal é posicioná-lo em uma cômoda alta, onde tenha menos móveis.

Como fazer o Wi-Fi chegar em toda a casa?

Uma das formas mais eficazes de tornar a sua casa completamente conectada, com o sinal chegando em praticamente todos os cômodos, são os repetidores de sinal. Configurando-os corretamente, é possível criar uma rede única, sendo necessário logar somente uma vez, e a troca de emissor, feita automaticamente pelos dispositivos sem a sua intervenção.

Seu corpo pode ser um bloqueador de sinal

É isso mesmo que você leu, seu corpo é um grande bloqueador de Wi-Fi. Isso porque a água é uma das substâncias naturais que mais impedem a propagação do sinal, e como o corpo humano é composto por 65% deste líquido, é natural falarmos que atrapalhamos este processo, mesmo que indiretamente.

Sinais de Wi-Fi públicos não são seguros

Se conectar a estas redes abertas pode ser um grande risco. Como são públicas, várias pessoas têm acesso a essa rede, e suas informações podem ficar expostas e sujeitas a ataques. Portanto, nunca realize transações bancárias, digite senhas ou acesse coisas que não podem ser compartilhadas quando estiver logado nestas redes.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.