COP27 mostra que é possível evitar o desmate de 11 milhões de ha de florestas na Amazônia

Pesquisadores e especialistas destacam que produtores rurais são peça fundamental no quebra-cabeça para solucionar os desafios climáticos planetário

Na Amazônia Legal, o percentual de florestas que podem ser derrubadas legalmente, respaldadas pelo Código Florestal brasileiro, corresponde a 20% dos imóveis rurais,

isto é, 11 milhões de hectares. Só no estado de Mato Grosso são três milhões de hectares passíveis de supressão.

Esses ativos de vegetação nativa excedente, isto é, áreas conservadas que estão fora da reserva legal, contêm um estoque de 474 milhões de toneladas de carbono acima do solo amazônico.

O número é mais de quatro vezes maior que os 100 milhões de toneladas que o Brasil precisa reduzir em suas emissões para o cumprimento da nova NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) até 2025.

Na contribuição, o país se comprometeu a baixar para 1,6 bilhão de tonelada as emissões de carbono equivalente (representação da soma do efeito superaquecedor de todos os tipos de gases do efeito estufa na atmosfera).

Gostou? confira mais: