O novo rebocador da Wilson Sons (WS Orion) em operação em São Luís, no Maranhão

O novo rebocador da Wilson Sons — WS Orion — foi entregue para operação e junta-se ao WS Centaurus, no apoio às operações de atracação e desatracação de navios, em São Luís (MA), atendendo os terminais de Ponta da Madeira, Itaqui e Alumar. A primeira operação ocorreu na segunda-feira (24/10), no terminal de Ponta da Madeira, na manobra de atracação de um navio de grande porte usado para exportação de minério de ferro.

Batizado em 13 de outubro, no Rio de Janeiro, o WS Orion tem capacidade para apoiar grandes navios que transportam até 400 mil toneladas de carga. Construída no estaleiro da Wilson Sons, no Guarujá (SP), a embarcação possui as mesmas características do WS Centaurus, lançado em junho deste ano. O novo rebocador da classe RSD 2513 tem notação de classe escort tug e equipamento de combate a incêndio certificado FIFI-1, que possui vazão de 2.400m³ de água por hora.

O design do WS Orion é da Damen Shipyards e a embarcação possui 25 metros de comprimento com 13 metros de boca (largura). Ela opera avante e a ré com a mesma eficiência, podendo ser usada tanto em manobras portuárias, quanto em rebocagem oceânica. O bollard pull (tração exercida no cabo de manobra) é de mais 90 toneladas, fazendo do novo rebocador um dos dois mais potentes em operação no Brasil, ao lado do WS Centaurus.

“A demanda por rebocadores potentes vem crescendo nos portos de todo o Brasil, em razão dos navios de grande porte que chegam a terminais como o de Ponta da Madeira para movimentação de minério de ferro, assim como dos grandes conteineiros de 360 metros que se preparam para operar em águas brasileiras. A entrega do WS Orion reafirma o pioneirismo da Wilson Sons no mercado brasileiro, que utiliza projetos modernos e alinhados às agendas de sustentabilidade e inovação na construção de suas embarcações”, ressalta Marcio Castro, diretor-executivo da divisão de Rebocadores da Wilson Sons.

“Com a entrega do WS Orion, chegamos à marca de 150 embarcações construídas em nosso Estaleiro, no Guarujá”, explica o diretor-executivo dos estaleiros da Wilson Sons, Adalberto Souza.


Desempenho e sustentabilidade


O WS Orion é o segundo de uma série de seis novos rebocadores da companhia que unem desempenho à sustentabilidade. Seu design inovador permite uma redução estimada de até 14% nas emissões de gases de efeito estufa (GEE) em função de uma hidrodinâmica mais eficiente por meio das duplas quilhas (twin fin), que melhoram a navegação e aumentam a capacidade de arrasto durante as manobras. Esse novo design de casco garante a redução de consumo de combustível e, consequentemente, de emissões.

“A Wilson Sons busca fomentar as melhores práticas operacionais e socioambientais na nossa frota de rebocadores. O WS Orion vem compor, junto ao WS Centaurus, a leva das primeiras embarcações, no País, a se adequarem, voluntariamente, às diretrizes de prevenção de poluição de navios da Organização Marítima Internacional, IMO TIER III, padrão internacional exigido somente para áreas de controle de emissão, como é o caso de algumas regiões da América do Norte e Europa”, comenta Monica Jaén, diretora de Sustentabilidade da companhia.

O WS Orion irá promover a redução das emissões de óxidos de nitrogênio em aproximadamente 75%, contribuindo para a melhoria da qualidade do ar nos portos onde opera. O maior problema ambiental causado pelo óxido de nitrogênio é a chuva ácida, que pode prejudicar, quando em grande quantidade, principalmente o solo, a água e as plantas. Outros quatro rebocadores mais sustentáveis, da mesma classe, serão entregues até o final de 2023 pela Wilson Sons.

Com suas atividades, o Grupo Wilson Sons participa da operação de mais de 50% de todos os navios que atracam nos portos brasileiros, vindo eles do exterior ou de alguma localidade da nossa costa por meio de navegação de cabotagem. Além disso, a indústria de óleo e gás continua sendo atendida pelas unidades de negócio Rebocadores e Agenciamento Marítimo na movimentação de plataformas e demais embarcações desse setor.

Atualmente, a frota da Wilson Sons conta com 80 rebocadores, que atuam ao longo de toda a costa brasileira. Há mais de uma década, todas as embarcações são monitoradas remotamente 24/7 por meio da Central de Operações de Rebocadores (“COR”), localizada em Santos (SP), proporcionando maior segurança e eficiência às operações.
 

“Buscamos usar a embarcação adequada e que esteja melhor posicionada, partindo para a manobra no momento certo e com velocidade econômica. Assim fazemos há mais de 10 anos, por meio de nossa COR e, desta forma, temos obtido excelentes resultados operacionais e também no controle de emissões atmosféricas, inclusive de GEE”, reforça o diretor Marcio Castro, ao comentar sobre o lema que vem sendo adotado pela unidade de negócio.


A Wilsons Sons é pioneira no controle de velocidade das suas embarcações para a redução de consumo de combustível. A companhia estima que, por meio da COR, obtém uma redução de 5% no consumo e, consequentemente, nas emissões atmosféricas.

No quesito segurança, o monitoramento das operações pela Central garante uma navegação sem acidentes, evitando-se áreas com baixa profundidade ou com obstáculos, garantindo assim a maior disponibilidade das embarcações para operação.