impactos ambientais

Os impactos ambientais têm trazido muitas consequências ruins para o planeta, como o aumento da temperatura, desastres naturais e escassez de água em vários pontos do planeta.

No Brasil, no ano de 2015, a região sudeste presenciou uma das maiores secas da história, devido à falta de chuva, o que fez com que a sociedade começasse a rever o modo como utiliza a água.

Economizar água é muito importante, mas existem outras ações que precisam ser colocadas em prática, para de fato reduzir os impactos ambientais.

Pessoas e empresas precisam rever o modo como consomem alimentos, como descartar o lixo corretamente, racionalizar o uso de recursos como papéis, priorizar a reciclagem, dentre outras ações importantes.

A sustentabilidade é um assunto em pauta e não é à toa, pois se não fizermos algo efetivo desde já, os recursos naturais estarão escassos nos próximos anos, o que vai impactar a qualidade de vida e o bem-estar das próximas gerações.

As empresas têm um papel muito importante nesse processo, e para entender um pouco mais sobre o assunto, vamos explicar o que são os impactos ambientais e dar algumas dicas que as organizações podem colocar em prática para reduzi-los.

O que são impactos ambientais?

Impactos ambientais são alterações das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, provocadas por matérias e energias provenientes das ações humanas.

Direta ou indiretamente, elas acabam por afetar a saúde, o bem-estar e até a segurança para a sociedade. Também prejudicam as atividades sociais e econômicas, condições estéticas e sanitárias do ecossistema e a qualidade dos recursos naturais.

O que todos precisam entender, desde os indivíduos até os mais variados tipos de empresa, como uma de lavagem de almofadas, é que este termo se refere exclusivamente aos efeitos das ações humanas no meio ambiente.

Isso quer dizer que os fenômenos naturais, como enchentes, incêndios florestais naturais, tempestades e terremotos, não são considerados impactos ambientais, mas sim, consequências deles, na maioria das vezes.

Esses impactos também podem ser divididos em diferentes tipos, como os positivos, que podem resultar em melhorias nos parâmetros ambientais.

Também existem os negativos, que como o próprio nome sugere, provocam danos à qualidade dos fatores ambientais.

Os impactos diretos são resultados de uma simples relação de causa e efeito, enquanto os indiretos são ações secundárias, provenientes de outras ações e que provocam uma reação em cadeia.

Os impactos locais são aqueles que afetam apenas o próprio local onde acontece. Os regionais, por sua vez, afetam determinada área e suas imediações.

Também existem os impactos estratégicos, que é quando um componente ou recurso ambiental de muita importância gera consequências para o coletivo ou até mesmo para um país todo.

Os impactos imediatos são aqueles em que seus efeitos aparecem instantaneamente, e no caso dos de médio e longo prazo, são aqueles que levam algum tempo após a ação.

Pessoas e empresas, como uma especializada em lâmpadas para iluminação de quartos, também precisam conhecer os impactos temporários, que é quando o efeito permanece depois de certo tempo.

Por fim, existem os impactos permanentes, que nada mais são do que aqueles nos quais os efeitos continuam se manifestando ao longo do tempo. 

Com relação aos impactos negativos, os mais comuns são:

  • Diminuição de mananciais;
  • Inundações;
  • Destruição da camada de ozônio;
  • Extinção de espécies;
  • Chuva ácida;
  • Poluição;
  • Mudanças climáticas;
  • Efeito estufa;
  • Perda de biodiversidade.

Diversas ações humanas são responsáveis por gerar impactos ambientais, mas existem aquelas que provocam consequências muito mais graves e difíceis de contornar.

Atividades nocivas ao meio ambiente precisam ser analisadas cautelosamente, e para que de fato seja possível conhecer os problemas e determinar se a atividade pode realmente ser colocada em prática.

É papel da sociedade como um todo, inclusive de empresas de aluguel de impressora zebra, reconhecer quais são as atividades potencialmente nocivas para o ecossistema, pois isso permite saber os problemas que podem causar.

Uma resolução do CONAMA, de 23 de janeiro de 1986, estabeleceu que as atividades de grande potencial de degradação e poluição dependem do Estudo de Impacto Ambiental e da apresentação do Relatório de Impacto Ambiental, para serem aprovadas.

Qualquer empresa listada pela Resolução Normativa 237/97 precisa do licenciamento ambiental, para proceder de maneira legal.

Como as empresas podem reduzir seus impactos?

Já que finalizamos o tópico anterior falando sobre o licenciamento ambiental, vamos falar sobre outras responsabilidades das organizações que ajudam a reduzir os impactos ambientais das companhias. 

1.    Mapear a geração de resíduos

É papel das empresas mapear a geração de resíduos por fonte geradora, pois esta é uma maneira de reduzir os impactos ambientais.

Ao fazer esse mapeamento, uma empresa de conserto de notebooks consegue avaliar as fontes que desperdiçam matéria-prima, como lidar com os resíduos da melhor forma e as opções para reduzir sua geração.

Dessa forma, fica mais fácil controlar e reduzir os impactos ambientais, como proliferação de vetores, poluição atmosférica, contaminação das águas e contaminação do solo.

2.    Reciclar

A reciclagem é muito importante para aproveitar melhor os resíduos que são descartados durante os processos internos.

O conceito de reciclagem é a mudança do estado físico, químico e biológico, de modo que determinado material se transforme em uma nova matéria-prima ou produto.

Por meio de diferentes técnicas, é possível desenvolver algo totalmente novo e útil, reduzindo a produção de rejeitos e o acúmulo de agentes poluentes na natureza.

As organizações precisam investir na reciclagem de resíduos, não apenas para preservar o meio ambiente, como também para gerar receitas adicionais para elas mesmas.

3.    Gerar menos resíduos

Uma empresa de serviços de higienização de carro pode investir na política dos 5R para reduzir a geração de resíduos, além de ajudar a mudar o comportamento dos indivíduos e reeducar o modo de consumo.

Trata-se de 5 ações que reduzem a geração de resíduos, e uma das principais é a redução do consumo. Mas, sabe-se que nem sempre é possível reduzir, nesse sentido, a companhia deve considerar seus impactos e de que maneira pode reutilizá-los.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, os 5 R são: repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar, e todas elas garantem o sucesso das atividades sustentáveis por parte da corporação.

4.    Comercializar os resíduos

As organizações também podem comercializar os resíduos e os produtos originados a partir da reciclagem desses materiais. 

Uma das melhores formas de fazer isso é por meio do mercado de resíduos, uma plataforma exclusiva para a negociação.

Para utilizá-la, uma lavanderia de roupas deve fazer um cadastro e informar o tipo de resíduo que gera. 

Os tratadores também podem fazer esse cadastro e comprar esses materiais, o que traz benefícios para ambos os lados.

5.    Entender o tipo de resíduo

Outro ponto importante é caracterizar e classificar o resíduo emitido pela organização, em outras palavras, ela deve conhecer o que gera para que possa dar o destino mais adequado.

A NBR 10.004:2004 da ABNT classifica os resíduos como classe 1, 2 A e 2 B. Os de classe 1 são os mais perigosos, como os inflamáveis, tóxicos, corrosivos, reativos e patogênicos.

Uma empresa de limpeza de fachada também deve verificar se seus resíduos são de classe 2 A, conhecidos como não inertes, podendo ser perigosos ou com propriedades como biodegradabilidade, combustibilidade e solubilidade em água.

Por fim, os de classe 2 B são os inertes, que não constituem solubilidade e concentrações superiores aos padrões de potabilidade da água.

6.    Destinar corretamente os resíduos

Se não for possível reciclar ou reutilizar o resíduo em questão, é fundamental descartá-lo a um aterro sanitário legalizado.

O aterro precisa cumprir os requisitos legais de funcionamento e seguir os princípios da engenharia para reduzir o volume ao máximo. O local também deve colocar uma camada de terra por cima dos materiais descartados.

Se uma fábrica de perfil de alumínio destinar seus resíduos para o devido aterro, além de cumprir a lei, colabora com a preservação do meio ambiente.

7.    Contratar uma consultoria

Por fim, se houver alguma dúvida ou dificuldade para lidar com os resíduos, a corporação pode optar por contratar uma consultoria especializada.

Seus profissionais são especialistas no assunto e podem orientar as geradoras em relação ao manejo e descarte dos materiais, preservando a qualidade e o bem-estar do ecossistema.

Considerações finais

Sendo assim, proteger o meio ambiente é dever de todos, mas as empresas têm um papel ainda mais importante nesse processo.

Elas precisam assumir o papel de exemplos da sociedade, agindo de maneira correta e conscientizando as pessoas sobre a importância de adotar o mesmo comportamento. Isso vai garantir a sustentabilidade de suas ações e a proteção da natureza.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.