As ondas de calor estão se tornando cada vez mais um problema no mundo, especialmente na América do Sul. A região sempre passou por problemas com relação a este elemento, mas recentemente eles têm se tornando mais frequentes.

Tendo em vista essa situação, o calor excessivo acaba prejudicando uma série de setores, desde água até o fornecedor de energia solar, afinal, tudo que é oferecido em uma quantidade muito grande, tem os seus riscos.

Alguns países chegaram a emitir alertas de calor, com temperaturas passando a marca dos 42 graus Celsius. Essas massas de ar quente são extremamente problemáticas, principalmente para pessoas que dependem do clima para realizar seus trabalhos.

A Argentina, em particular, que é o país potencialmente mais afetado pelas ondas de calor recentes, passou por diversas dificuldades por conta das altas temperaturas, principalmente os riscos de incêndio e a seca.

Estes últimos eventos geraram na capital do país o dia mais quente da história da Argentina desde 1906, e a tendência é que essas temperaturas se elevem ainda mais a longo prazo, principalmente se as contramedidas não forem pensadas para fazer uma análise de água e da temperatura.

Outros países próximos, incluindo o Brasil, também têm marcado altas temperaturas com alertas de perigo, e muitas regiões do país estão com risco iminente à saúde por conta do calor.

Estudiosos avaliam a origem destas altas temperaturas, e procuram maneiras de tentar evitar esse tipo de situação, mas é preciso muito trabalho para conseguir reverter esse quadro e garantir mais qualidade de vida para a população.

Entenda o motivo das ondas de calor

Para conseguir compreender melhor a situação na América do Sul, é preciso ter em mente o que são as ondas de calor, e como elas se formam. Assim, você tem embasamento para pensar em alternativas para cuidar da situação, como a inspeção de tubulações em empresas.

Normalmente uma onda de calor é considerada uma sequência com dias quentes, que se estendem pelas madrugadas, quando geralmente a temperatura está baixa.

Depois de três ou mais dias com temperaturas muito elevadas, e com noites acima dos 23 graus, a maioria dos especialistas compreende que se trata de uma onda de calor, o que pode ser bastante complicado para as pessoas que estão na região afetada.

Além da sensação de desconforto generalizada causada na população, é preciso ter atenção especial com crianças e idosos, que costumam ser muito mais afetados por esse tipo de situação.

As ondas de calor também podem disparar uma série de condições de saúde, como:

  • Asma e bronquite;
  • Problemas de circulação;
  • Problemas cardíacos;
  • Tonturas.

Tanto pessoas que têm predisposição para passar por esse tipo de problema quanto pessoas saudáveis podem desenvolver esse tipo de quadro, o que torna as atividades ao ar livre muito perigosas durante o período.

A hipertermia é uma das maiores complicações que esse tipo de clima pode gerar, resultado do excesso de calor sofrido principalmente por pessoas que ficam muito tempo expostas nesse tipo de ambiente.

Esse problema é caracterizado por uma série de complicações, que vão desde as dores de cabeça e elevação da temperatura corporal até a perda da consciência, principalmente em horários de pico de temperatura como ao meio-dia.

Para evitar esse tipo de complicação, além da baixa exposição ao sol, é preciso tomar algumas atitudes, como evitar as bebidas com muito açúcar ou álcool, que podem piorar este quadro, diminuir atividades físicas, entre outros.

A alimentação tem um papel fundamental em manter a estrutura de cada pessoa. É preciso pensar em maneiras de se manter hidratado ao trabalhar com um serviço de drenagem, com o processo alimentar para evitar as complicações da hipertermia.

Além disso, as frutas e verduras são as melhores opções de alimento para dias muito quentes, bem como água para a hidratação. 

Ademais, é necessário dizer que repor os líquidos do corpo é um dos traços mais importantes desse tipo de processo,  isso pode ser feito com uma garrafa ou com um copo de um distribuidor de descartáveis, se esse for o caso.

Para se vestir, opte por roupas leves e de cor clara, mesmo em casos de roupas sociais para o trabalho. Além disso, para empreendedores, liberar certos tipos de vestimenta em situações assim pode ser uma excelente maneira de preservar sua equipe.

O ideal é que você permaneça sempre em lugares ventilados, ou mesmo resfriados se for uma possibilidade. Isso ajuda a evitar os sintomas causados pelo excesso de calor a longo prazo e permite que a pessoa fique mais saudável.

O calor e a América do Sul: entenda o tema

Por conta de sua geografia, a região conhecida como Cone Sul, uma área do continente sul-americano é um local propício para momentos de calor intenso, muitas vezes atingindo temperaturas extremas.

Essa região engloba parte do centro da Argentina, os Andes e a região sul do Brasil, e costuma ter longos períodos de sol, em alguns dias chegando a 14 horas antes de ele se pôr.

Essas condições ajudam a criar as massas de ar quente e podem ser um empecilho para a prestação de serviços de terraplanagem, bem como para diversas outras atividades.

Com a formação dessas massas, o clima fica mais seco, aumentando o tom da onda de calor e possibilitando que a temperatura atinja níveis alarmantes, ampliando a possibilidade de problemas de saúde.

Os ventos que têm sua origem no oeste da região e descem a cordilheira dos andes também têm um forte impacto em aumentar essa sensação de calor, um evento que acaba alterando a temperatura de todo o Cone Sul.

Além disso, um fenômeno conhecido como La Niña, que impacta tanto a atmosfera quanto o oceano, altera ainda mais a temperatura local ao gerar um resfriamento anormal no Oceano Pacífico.

Além de todos estes elementos naturais, é preciso ainda lidar com a questão do aquecimento global. Estas mudanças afetam o mundo todo, e mostram que os últimos anos foram os mais quentes já registrados na Terra de acordo com um estudo de análise de risco ambiental.

Esses eventos têm se intensificado ainda mais no mundo todo, o que causa uma série de problemas. Isso porque o calor também é responsável por chuvas fortes que causam destruição nas cidades afetadas.

Em locais que já naturalmente sofrem com as ondas de calor, esse tipo de situação se torna ainda mais grave, fazendo necessária a ação do Estado para proteger o local e seus habitantes de uma série de problemas gerados pelo calor extremo.

A influência humana tem um grande papel nessa situação atual. A falta de cuidado com o meio ambiente e com o clima são reflexos de anos de abusos cometidos pela humanidade, que agora precisa lidar com os resultados dessas ações.

O período com o qual estas ondas de calor estão acontecendo também é relativamente maior por conta de todos estes efeitos climáticos. Antes, esse período mais quente costumava durar de dois a três meses.

Nos últimos anos, esse período passou para cinco, e em alguns casos até seis meses com constantes ondas de calor. A estrutura de centros urbanos ajuda a piorar ainda mais essa questão.

Isso porque o concreto e asfalto, muito comuns em áreas urbanas, ajudam a passar uma sensação térmica maior do que em áreas rurais, onde as árvores e a terra ajudam a aliviar um pouco o calor constante.

Medidas preventivas: conheça algumas

Além das medidas comuns para conseguir diminuir o impacto das ondas de calor e preservar a saúde das pessoas, é preciso pensar de forma mais ampla sobre esse caso, principalmente cobrando atitudes de governos e grandes empresas.

O principal foco para conseguir reduzir as ondas de calor é justamente evitar que o clima aumente na Terra como um todo, através de ações de sustentabilidade e outros elementos de impacto nesse tipo de ação, seja com a ajuda de uma consultoria ambiental ou não.

As ondas de calor são muito danosas, e causam mortes em pessoas com menos condições de se proteger, mortes essas que estão ligadas diretamente a questões de aquecimento global, aumentando a temperatura exponencialmente.

Se nada for feito para preservar o meio ambiente e impedir que esse aquecimento se torne uma estrutura de qualidade, a América do Sul acabará sofrendo com crises cada vez mais intensas de calor, gerando uma série de complicações a longo prazo.

Para isso, existem muitas soluções que podem ser tomadas, desde a redução e eliminação do desmatamento, até a preservação de florestas e rios. Quanto mais é realizado para proteger a fauna e a flora no planeta, maiores são as chances de a humanidade se defender desse tipo de ação.

Considerações finais

As ondas de calor constantes sofridas pela América do Sul possuem uma série de razões, mas é preciso pensar em alternativas para ajudar tanto as pessoas que passam por esse tipo de situação quanto a natureza, que sofre com esse impacto.

Por isso, pensar em alternativas para lidar com as crises de temperatura da América do Sul é uma excelente maneira de proteger o mundo de situações como o aquecimento global, um dos principais responsáveis por esse tipo de problema.

Defender a Terra é uma função de cada pessoa, que deve pensar nesse tipo de situação climática e em como suas atitudes podem modificar o futuro de tantas pessoas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.