cidade alagada por enchentes vista por cima
Enchentes se tornam cada vez mais presentes nos primeiros meses do ano no Brasil

A ocorrência de enchentes é infelizmente uma ação comum dentro do histórico nacional, de tempos em tempos havendo um incidente do tipo, deixando dezenas de mortos e pessoas desabrigadas, sem emprego e sem a presença dos seus entes queridos.

O maior problema nos últimos está no nível de incidência desse tipo de tragédia natural, de que tamanho que já não pode ser mais chamado de um acidente imprevisto, diante da sua ocorrência cada vez mais frequente, e não mais um evento aleatório.

A cada enchente, inundação ou deslizamento é comum que a população passe a cobrar dos serviços públicos o tipo de trabalho que está sendo feito, para prevenir que tais incidentes não voltem a acontecer. A realidade é diferente, como prova o número de casos.

Mas com tais acontecimentos correndo em um ritmo muito mais dinâmico, fica claro que o trabalho de um estudo de análise de risco ambiental se torna cada vez mais necessário, de forma a se preparar para que tal tipo de tragédia seja evitada o mais rápido possível.

Com a frequência de enchentes exigindo com que um trabalho de prevenção seja feito de maneira cada vez mais eficaz e em grande escala, substituindo as ações de reparação, que são postas em práticas sempre que um acidente do tipo ocorre.

Algo não impossível de ser previsto. Não só pelas tecnologias de preservação e análise que permitem ter um melhor controle sobre a situação das cidades em relação ao seu ambiente natural, mas também pelas tragédias anunciadas que estão presentes.

Uma situação que pode ser identificada por qualquer consultoria ambiental contratada para analisar a realidade das cidades hoje, sendo algo perceptível também para os próprios moradores desses espaços de risco, diante do seu contato direto com tais locais.

Sendo importante nesse sentido ter uma compreensão maior sobre o número crescente de inundações, enchentes e problemas associados que estão assolando a população em um ritmo cada vez mais frequente.

Os incidentes naturais que crescem no país

Sempre que uma nova tragédia atinge uma localidade no país, é comum ver os telejornais, assim como as figuras políticas da região anunciarem uma incidência inesperada do nível de chuva como principal responsável por tais eventos catastróficos.

Por mais que exista uma responsabilidade direta, não é como se a ocorrência de chuvas frequentes fosse algo inesperado, fazendo parte da própria construção natural do Brasil. Um país que se destaca pelo seu clima tropical, logo, é esperado esse clima pluvial.

O real problema está na maior incidência do nível de chuva nos últimos anos, alinhado à falta de preparação na construção das cidades sobre como se preparar para a ocorrência de tempestades e precipitações em larga escala.

Uma realidade comum para quem trabalha com prestação de serviços de terraplanagem, ou qualquer tipo de atividade que esteja alinhada a realização de atividades voltadas à manutenção de um espaço para construções ou ações afins.

Sendo possível prever a ocorrência de tais acidentes justamente por causa da falta de preparação do solo e das construções urbanas, que se mostram inadequadas a receber esse tipo de precipitação em larga escala. Mesmo sendo algo comum no país.

E nos últimos anos tal tipo de tragédia vem crescendo exponencialmente. Nos últimos meses é possível citar as fortes chuvas que ocorreram no sul da Bahia. Região que em dezembro de 2021 passou pela maior enchente dos últimos 35 anos.

A situação deixou pessoas desabrigadas, perdendo muito das suas conquistas pessoais de toda uma vida. Fora o número de vítimas fatais em relação à tal ocorrência. Um número que infelizmente cresce, ao acompanhar a ocorrência dessas tragédias agora constantes.

Já que poucos meses depois, em fevereiro de 2022, ocorreu outro incidente em grande escala no país, que foram as fortes chuvas ocorridas em Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, resultando em inundações e deslizamentos de terra na região.

Uma ocorrência direta da falta de ações preventivas, como um serviço de drenagem, a atuar justamente no escoamento dessa água para esgotos e estações de tratamento, ao invés do seu acúmulo nas ruas da cidade.

Resultado tanto do crescimento no volume de chuvas, como também nos serviços de prevenção, ou a falta deles, em relação à constituição dos centros urbanos atuais. Extintos nesse sentido uma série de causas ligadas à ocorrência de tais incidentes.

As causas das enchentes e inundações no Brasil

A causa frequente de tais incidentes pode ser implicada na ação humana na natureza, pois além da falta de preparo nas cidades para receber tais volumes de chuvas, a própria ocorrência dessas precipitações tem origem na interferência humana no meio ambiental.

Com o aquecimento global tendo uma atuação direta no nível de chuvas, assim como em sua ocorrência descontrolada. Ainda mais em locais no qual a incidência desses eventos naturais já era conhecida pelo alto nível, como nos países próximos aos trópicos.

Junto ao aspectos naturais, as causas dessas inundações podem ser atreladas aos seguintes pontos de interferência humana à natureza como:

  • Construções em locais inadequados;
  • Desmatamento;
  • Falta de um sistema de drenagem;
  • Escoamento ineficiente das águas;
  • Esgotos entupidos;
  • Rompimento de barragens e comportas.

Em relação ao último tópico é impossível não lembrar do impacto do rompimento da barragem de Brumadinho em janeiro de 2019. Região de Minas Gerais que foi assolada por esse acidente de grande nível, que trouxe impactos duradouros ao local.

Afetando a realidade da região, tanto no número de mortes como no índice de empresas e mercados que foram afetados pelo rompimento. Dificultando até mesmo o trabalho de uma estação de tratamento de agua, com suas reservas afetadas pela presença da lama.

Para evitar que esse tipo de evento continue a estampar as manchetes dos jornais, é importante que algumas atitudes sejam tomadas em relação ao controle das cidades e centros urbanos, com a adoção de estratégias que possam impactar positivamente.

Como evitar tais imprevistos?

Se por um lado parece impossível remediar a situação natural do planeta, como esse desequilíbrio das chuvas, só sendo possível resolver esse problema com um trabalho de conscientização ambiental a longo prazo.

As prevenções em relação à ocorrência dessas precipitações constantes passam por um conjunto de atividades que atuam diretamente na resolução de problemas associados às constantes enchentes. 

E para evitar que essas inundações possam ocorrer, afetando a segurança de uma população, além do pólo industrial de uma região, como a atuação de uma distribuidor de descartáveis em uma cidade pequena, algumas práticas podem ser adotadas, como:

Construção de piscinões artificiais

Os piscinões se tratam de grandes reservatórios, aos quais a água das chuvas é escoada, impedindo com que essas águas sejam acumuladas nos centros urbanos ou qualquer região que não esteja preparada para receber esse nível de água.

No entanto, isso se trata apenas de uma solução temporária, não sendo suficiente para resolver esse problema a longo prazo. Junto a isso é importante trabalhar com uma análise de água, para garantir que não exista a incidência de doenças nesses acúmulos.

Recomposição das cidades

O sistema hidráulico e de esgoto de uma cidade deve acompanhar o ritmo de pessoas presente nesses centro urbanos. Algo que cresce de forma cada vez mais dinâmica, com a mesma coisa valendo para o nível de chuvas a atingir tais espaços.

Com base nisso é preciso construir novos sistemas de drenagem, cidades adaptadas para um possível alto nível de chuvas incidentes, além do complexo de escoamento ao esgoto presentes nessas localidades.

Sistema de esgotos

Um sistema adequado de distribuição de água e esgoto permite com que o escoamento da água provinda das chuvas seja destinada ao um local correto de tratamento, impedindo seu acúmulos na ruas, além de garantir um melhor proveito para essa água.

Para lidar com isso é importante não só lidar com a instalação de um sistema de escoamento correto, mas também com a manutenção dele, por meio de uma frequente inspeção de tubulações, que resulte na garantia de qualidade desses canos.

Reflorestamento

Outra forma de tentar remediar esse alto índice de chuvas é com o reflorestamento das cidades, já que as árvores fazem um importante trabalho nos sistemas de drenagem das águas, impedindo assim que ocorra um acúmulo nas ruas.

Fora a importância que esses elementos naturais possuem em relação à preservação do planeta, atuando diretamente no controle do aquecimento global, um dos principais responsáveis por esse ritmo alto de chuvas nos últimos anos.

Sendo preciso adotar ações de preservação para que seja possível evitar a ocorrência frequente de inundações e outros problemas de raiz ambiental. Pois caso nenhuma atitude seja tomada nesse sentido, o ritmo de tais acidentes só deve crescer no futuro.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou dessas dicas? Se sim, compartilhe com seus familiares e amigos, e também em suas redes sociais. Receba conteúdo gratuito, diariamente, e siga-nos no Google News.