Por mais que a COP 27 não seja de conhecimento de todos, esse evento ocorre desde 1995 e de fato é essencial ter atenção aos temas e assuntos que são debatidos, pois eles são de extrema importância diante de todo o mundo.

Um fato inegável e que já tem se tornado recorrente são as questões climáticas e tudo que envolve esse cenário, um exemplo claro disso são os anos cada vez mais quentes.

Logo, diante desse cenário apresentado em todo o mundo, a COP 27 é justamente a conferência anual das partes das Nações Unidas, que tem como seu principal objetivo levantar discussões referentes às mudanças climáticas.

Sendo assim, diante desse evento que ocorre, são levantadas desde questões como a agricultura de precisão aos danos que as mudanças climáticas estão causando e podem causar a longo prazo.

Por isso, diante do contexto de agravamento dos efeitos das mudanças climáticas, a COP 27 foi de extrema importância para a reafirmação das metas estabelecidas em reuniões anteriores e para garantir principalmente o cumprimento de ações urgentes em relação ao clima.

Afinal de contas, reduzir os impactos negativos das mudanças climáticas, assegurar um futuro mais sustentável para as próximas gerações e estabelecer programas de educação ambiental é um passo necessário e que tende a fazer toda a diferença.

Pensando nisso, hoje iremos falar sobre a COP 27, fazendo com que você entenda sua importância socioambiental, o que é debatido nesse evento e gerar uma contextualização sobre a fala da ONU de que os últimos 8 anos foram os mais quentes da história. Confira!

O que é a COP 27?

O COP 27 se caracteriza como a 27ª reunião anual da Conferência das Partes da Convenção-quadro das Nações Unidas sobre as mudanças climáticas.

Essa reunião tem como seu principal foco debater algumas questões e assuntos referentes às mudanças climáticas, visando estabelecer ações que diminuam os riscos à sociedade e diante de todo o planeta.

Ou seja, esse evento se mostra importante, pois através dele é que algumas ações são intensificadas, visando estabelecer melhorias ao meio ambiente e diminuir todos os riscos em relação às mudanças climáticas.

A reunião estava programada para ocorrer em 2021, entretanto, devido aos riscos da COVID-19 e todas as alterações impostas, a COP 27 ocorreu este ano entre os dias 6 e 18 de novembro de 2022.

Além do mais, esse evento tão importante e que engloba todo o mundo ocorreu na cidade de Sharm El-sheikh, que fica localizada na península do Sinai, no Egito.

Logo, ficar por dentro de tudo que é debatido e colocado em evidência na COP 27 é um passo fundamental, pois os reflexos dos temas debatidos tendem a ser vistos desde uma empresa de tecnologia a uma compra de sucata.

Afinal de contas, desde o século 18 as ações humanas têm sido a principal causa das mudanças climáticas, principalmente pela queima de combustíveis fósseis, o que gera um alerta e demonstra que alguns processos e ações devem ser mudados.

Importância socioambiental da COP 27

Diante do momento em que vivemos, onde se tem uma grande instabilidade internacional, conflitos entre a Rússia e Ucrânia e até mesmo enchentes e desastres ocorrendo por todo o mundo, a COP 27 tem um papel de extrema importância.

Afinal de contas, devido às mudanças climáticas, nós podemos citar as enchentes no Paquistão na segunda metade de 2022, que deixou aproximadamente um terço do país inundado e fez com que se tivesse mais de 1200 vítimas fatais.

Ou seja, as mudanças climáticas estão ocorrendo e estão diante dos nossos olhos, sendo assim a COP 27 tem um papel totalmente relevante, pois se estabelece melhorias desde a gestão de frotas e em todo o país.

Além do mais, a importância da COP 27 é justamente na renovação das metas estabelecidas anteriormente e sobretudo para garantir o cumprimento de acordos e parcerias que foram feitos anteriormente para acelerar as ações sobre o clima.

Sendo assim, essa reunião tem como seu principal foco assegurar um futuro sustentável para as próximas gerações e fazer com que de fato se tenha uma conscientização e melhorias diante de todos os âmbitos da sociedade.

Por isso, cada vez mais se mostra necessária algumas questões, como a licença ambiental e atitudes que preservem o planeta e estabeleçam melhorias e reflexos positivos diante de toda a sociedade.

O que é debatido na COP 27?

A COP 27 promoveu uma série de discussões temáticas sobre assuntos como a emergência climática e até mesmo as estratégias para mitigar os efeitos causados pelas mudanças climáticas em um futuro próximo.

Logo, levando em consideração os acordos realizados em Paris, boa parte das metas e questões discutidas tinham esses reflexos de algumas questões anteriores, ressaltando a urgência de como muitas questões devem ser mudadas.

Sendo assim, desde empresas de consultoria ambiental em SP atendendo e estabelecendo hábitos mais positivos nesse grande polo que é São Paulo, até ações maiores, tudo faz parte dessa busca pela melhoria e para uma evolução diante do momento em que vivemos.

Com isso, para que fique claro, confira alguns dos assuntos debatidos na reunião da COP 27, considerando sobretudo aqueles em que a comissão brasileira e os representantes do país estiveram presentes.

  • Desmatamento nos biomas brasileiros, destacando a Amazônia;
  • Agricultura sustentável e práticas sustentáveis no agronegócio;
  • Garantia da segurança alimentar;
  • Mercado de créditos de carbono;
  • Garantia de um futuro mais verde;
  • Adoção de uma matriz energética;
  • Manejos sustentável das fontes de água potável;
  • Impactos das mudanças climáticas e da poluição;
  • Igualdade de gênero e a participação das mulheres;
  • Adaptação e resiliência às transformações promovidas pelas mudanças climáticas.

Ou seja, diante dos pontos levantados, todas as camadas da sociedade e país estão dentre essas mudanças, sendo necessário de fato que se tenha mudanças positivas desde um transporte e logística a tudo que envolve as ações humanas.

Afinal de contas, como foi visto, as ações humanas há alguns anos têm sido as principais responsáveis pelas mudanças climáticas, sendo de extrema urgência que processos e algumas ações melhorem visando um futuro mais sustentável.

Os últimos 8 anos podem ter sido os mais quentes

Iniciamos este parágrafo com um grande fator de alerta, pois segundo a ONU, os últimos oito anos, ou seja, de 2015 a 2022, podem ter sido os mais quentes da história segundo um relatório provisório da Organização Meteorológica Mundial.

Logo, conforme o boletim do estado do clima, estima-se que a temperatura média global esteja em 1,15 °C acima dos níveis pré-industriais em que são estabelecidos e que eram para estar em 2022.

Afinal de contas, devido a esse cenário, ondas de calor extremas, secas e inundações devastadoras têm afetado praticamente todo o mundo e custado bilhões neste ano, conforme o relatório estabelecido.

Quanto maior for o aquecimento, maiores serão os impactos na sociedade, sendo necessários que ações como cadastro ambiental rural nas empresas e pequenos hábitos sejam implantados, visando melhorias diante de toda a sociedade.

Além do mais, o relatório em questão considera dados registrados até setembro deste ano, levando em conta serviços meteorológicos e hidrológicos nacionais e de instituições parceiras da ONU.

O documento que gera esse alerta a toda a população ocorreu na cerimônia de abertura da COP 27 no dia 6, colocando em evidência o quanto a situação é preocupante e deve ser mudada.

Vale ressaltar também que, de acordo com a OMM, o fenômeno La Niña permitirá que 2022 seja provavelmente o quinto ou sexto ano mais quente já registrado, entretanto esse fato não muda a tendência e alerta a longo prazo.

No relatório em questão, também se indica que as concentrações dos principais gases de efeito estufa, como é o caso do dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, continuam a crescer conforme os anos e novamente estão batendo recordes.

Os recordes de derretimento dos Alpes europeus, inclusive, foram quebrados em 2022, gerando perdas médias de espessura de três a quatro metros, segundo a agência internacional.

Na Suíça, por exemplo, 6% do volume do gelo das geleiras foram perdidos justamente entre os anos de 2021 e 2022 de acordo com os dados precisos das medições iniciais no país.

Pela primeira vez na história, nenhuma neve sobreviveu à temporada de verão, mesmo quando nós tratamos dos locais de medição mais altos, o que demonstra que não ocorreu acúmulo de gelo fresco segundo o relatório.

Sendo assim, fica claro que mudanças devem ocorrer, pois diante do cenário em que vivemos, a nossa sobrevivência e de futuras gerações estão em risco, o que gera a urgência de hábitos e ações positivas serem implementadas o quanto antes diante de todo o mundo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.