03 de Novembro, 2022 – A.P. Moller – Maersk apresentou bons resultados no terceiro trimestre de 2022, com ganhos mais altos em seus três principais negócios: Marítimo, Logística & Serviços e Terminais, em relação ao mesmo trimestre do ano passado. A receita aumentou 37%, e o EBITDA e o EBIT aumentaram cerca de 60% em comparação com o terceiro trimestre de 2021. O impulso contínuo na transformação estratégica, o crescimento em Logística e os valores dos contratos marítimos acima do ano anterior foram os principais impulsionadores da melhoria do desempenho.

“Nosso resultado do terceiro trimestre foi outro recorde e o 16º trimestre consecutivo com crescimento de lucro ano a ano. As tarifas de frete marítimo, que impulsionaram os resultados excepcionais que entregamos em 2022, aumentaram novamente tanto na comparação anual quanto na comparação com o segundo trimestre deste ano. No entanto, está claro que os valores dos fretes atingiram o pico e começaram a se normalizar durante este trimestre, impulsionadas tanto pela diminuição da demanda quanto pelo alívio do congestionamento na cadeia de suprimentos. Conforme previsto durante todo o ano, os ganhos no setor marítimo cairão nos próximos períodos. Nosso impulso geral de transformação permaneceu muito forte à medida que continuamos a crescer rapidamente nosso negócio de Logística. Pela primeira vez, a receita em Logística ultrapassou US$ 4 bilhões em um trimestre, e esperamos continuar superando o mercado de Logística com base na conquista de novos clientes”, disse Soren Skou, CEO da AP Moller – Maersk.

A receita do terceiro trimestre aumentou para US$ 22,8 bilhões, o EBITDA aumentou para US$ 10,9 bilhões e o EBIT aumentou para US$ 9,5 bilhões. O lucro foi de US$ 8,9 bilhões no terceiro trimestre e US$ 24,2 bilhões nos primeiros nove meses do ano. O retorno sobre o capital investido (ROIC) foi de 66,6%. nos últimos 12 meses.

“Com a guerra na Ucrânia, uma crise energética na Europa, inflação alta e uma recessão global iminente, há muitas nuvens escuras no horizonte. Isso pesa no poder de compra do consumidor que, por sua vez, afeta a demanda global de transporte e logística. Embora esperemos que uma desaceleração da economia global leve a um mercado mais suave no Marítimo, continuaremos buscando oportunidades de crescimento em Logística. Como um parceiro confiável, estamos prontos para apoiar nossos clientes a repensar suas necessidades de cadeia de suprimentos durante o que provavelmente será um período de ambiente de negócios mais volátil”, continuou o CEO.

No Marítimo, a receita aumentou ao longo do trimestre para US$ 18 bilhões e o EBIT subiu para US$ 8,7 bilhões principalmente devido a valores de frete significativamente mais altos em contratos e embarques nas rotas da Ásia para a Europa e para a América do Norte, parcialmente compensadas por uma diminuição nos volumes e por maiores custos relacionados ao bunker, movimentação de contêineres e rede logística global.

Em Logística e Serviços, a Maersk continuou investindo em seu portfólio e capacidades. A aquisição da LF Logistics foi concluída, a aquisição pretendida do Martin Bencher Group foi anunciada e o “footprint” dos armazéns, centros de distribuição e áreas de armazenamento frio foram significativamente expandidos com 21 instalações incrementais em mercados-chave como América Latina, Europa e Índia. A receita em Logística cresceu 60% para US$ 4,2 bilhões e o EBIT aumentou para US$ 258 milhões principalmente devido à receita adicional de aquisições e volumes maiores, em particular entre os 200 principais clientes existentes da Maersk.

Em Terminais, a receita cresceu para US$ 1,1 bilhão e o EBIT aumentou para US$ 357 milhões, principalmente devido a maiores volumes e preços, bem como a conclusão do desinvestimento da participação do Terminal na Global Ports Investments na Rússia.

Situação do Mercado

A demanda por serviços de Logística foi moderada nas cadeias de suprimentos globais no terceiro trimestre de 2022. Os gargalos do lado da oferta continuaram a representar desafios, mas há sinais de redução à medida que a demanda diminui e as restrições relacionadas ao COVID 19 na China diminuem. Os valores dos fretes e os valores de afretamento caíram no terceiro trimestre de 2022 em relação ao trimestre anterior, pois a normalização esperada ganhou impulso ao longo do trimestre. Estima-se que os volumes globais de contêineres tenham caído -3% ano a ano no terceiro trimestre, enquanto os volumes globais de carga aérea, medidos em CTKs, caíram 9% em julho/agosto (IATA). Como resultado da desaceleração da atividade econômica espera-se que a demanda global de contêineres se contraia entre -2 e -4% em 2022.

Orientação para 2022

A orientação para o ano inteiro foi confirmada para um EBITDA subjacente de cerca de US$ 37,0 bilhões, um EBIT subjacente de cerca de US$ 31,0 bilhões e um fluxo de caixa livre acima de US$ 24,0 bilhões. Dada a desaceleração econômica que se desenrola, que também deve continuar no próximo ano, a APMM reduziu suas perspectivas para o crescimento da demanda global de contêineres em 2022 para um declínio entre -2/-4% em relação ao limite inferior do +1-/ intervalo de 1%. A orientação de Capex para 2022-2023 permanece inalterada em US$ 9,0-10,0 bilhões.

Destaques Financeiros

Destaques do 3º trimestre

bc69aa08180554fb71d767e51368724e

Orientação de sensibilidade

O desempenho financeiro da A.P. Moller – Maersk para 2022 depende de vários fatores e está sujeito a incertezas relacionadas à situação na Rússia e Ucrânia, COVID-19, preços de combustível de bunker e taxas de frete, dadas as condições macroeconômicas incertas.

Se a situação continuar, as sensibilidades para 2022 para quatro premissas principais estão listadas na tabela abaixo:

485bf2f53715b256b008e8eaf1d8f28d