PETROBRAS

A Petrobras fechou o terceiro trimestre deste ano com lucro de R$ 46,096 bilhões, 48% a mais do que há um ano, e 15,2% menor que o registrado no segundo trimestre de 2022, segundo informou a companhia à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira, 3.

Portanto, embora superem os resultados registrados no mesmo período do ano passado, o lucro da estatal recuou na margem, ou seja, na comparação com o trimestre imediatamente anterior, devido ao recuo das cotações do petróleo e derivados. O petróleo caiu 11,4% na passagem de um trimestre ao outro, com média de cerca de US$ 100,98 por barril nos três meses entre julho e setembro.

A receita de vendas no período subiu 39,9%, para R$ 170,076 bilhões, frente ao terceiro trimestre de 2021, e recuou 0,5% em relação ao segundo trimestre deste ano.

O Ebitda, que mede a capacidade de geração de caixa da companhia, teve alta de 50,5% contra o terceiro trimestre do ano passado, mas recuo de 7% em relação ao trimestre anterior, para R$ 91,421 bilhões.

Em carta divulgada junto ao relatório financeiro, o diretor financeiro e de relacionamento com investidores, Rodrigo Araújo, define os resultados como excelentes. Ele destacou o avanço na contratação de equipamentos para viabilizar o aumento sustentado e rentável da produção com foco no pré-sal.
“Assinamos os contratos de 3 novos FPSOs (navios-plataforma), P-80, P-82 e P-83, para o campo de Búzios, o maior em nosso portfólio e que representará
cerca de 1/3 da nossa produção em 2026. Com isso, resta apenas a contratação de 1 das quinze plataformas do nosso Plano Estratégico 2022-2026″, disse.

Araújo também destacou a elevação do caixa para patamar compatível com as necessidades da empresa (US$ 6,8 bilhões em caixa) e informou que a estrutura de capital da companhia foi mantida em níveis saudáveis. Não houve maiores comentários sobre o resultado em si.